As mulheres de Barbacena (MG) e as Sessões Chiques de cinema (anos de 1926 e 1927)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-8042.2020e76218

Palavras-chave:

Cinema, Mulher, Barbacena-MG

Resumo

O objetivo deste artigo é investigar a presença das mulheres de Barbacena (MG) nas sessões de cinema que foram dedicadas especificamente ao público feminino, denominadas “Sessões Chiques”, com ênfase nas programações que aconteceram no Cine-Theatro Leal, entre os anos de 1926 e 1927. Com o intuito de analisar os sentidos conferidos a essas programações, realizamos a análise de reportagens do impresso Cidade de Barbacena e de sinopses e fotografias dos filmes transmitidos. Concluímos que as “Sessões Chiques” se tornaram momentos em que as citadinas puderam vivenciar uma nova experiência, mas com destacado caráter instrutivo e moralizador em se tratando do conteúdo projetado. Ainda assim, constatamos que elas foram incentivadas a outras atividades proporcionadas pelo lugar e pelas tramas das fitas que envolviam, por exemplo, enlaces amorosos e práticas corporais a exemplo das desempenhadas pelas atrizes hollywoodianas nas telas e nas páginas de revistas especializadas.

 

Biografia do Autor

Igor Maciel da Silva, Universidade Federal de Juiz de Fora - Campus Avançado de Governador Valadares.

Professor Substituto do Departamento de Educação Física da Universidade Federal de Juiz de Fora - Campus Avançado Governador Valadares. Doutorando em Estudos do Lazer.

Sarah Teixeira Soutto Mayor, Universidade Federal de Juiz de Fora - Campus Avançado de Governador Valadares

Professora do Departamento de Educação Física da Universidade Federal de Juiz de Fora - Campus Avançado de Governador Valadares. Doutora em Estudos do Lazer.

Referências

ABEL, Richard. Os perigos da Pathé ou a americanização dos primórdios do cinema americano. In: CHARNEY, Leo; SCHWARTZ, Vanessa R. O cinema e a invenção da vida moderna. Tradução Regina Thompson. 2. ed. rev. São Paulo: Cosac Naify, 2004, p. 215-256.

ALVARENGA, Arnaldo Leite de; CHAVES, Elisângela. Arte e entretenimento: a dança teatral em Belo Horizonte (1897-1964). In: ROSA, Maria Cristina; DIAS, Cleber (org.). História do lazer nas Geraes. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2019, p. 187-216.

ALVES, Rogério Othon Teixeira. “Da ponta dos trilhos ao centenário inventado”: práticas modernas de divertimento em Montes Claros – MG (1926-1957). 2018. 267 f. Tese (doutorado) – Escola de Educação Física, Fisioterapia e Terapia Ocupacional, Programa de Pós-graduação em Estudos do Lazer, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte – MG, 2018.

AUTRAN, Arthur. A noção de “ciclo regional” na historiografia do cinema brasileiro. REVISTA ALCEU - Revista de Comunicação, Cultura e Política, Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro/PUC-Rio, v. 10, n. 20, jan./jun. 2010, p. 116-125.

BARRO, Maximo. Participação italiana no cinema brasileiro. Editora SESI - Serviço Social da Indústria, 2017, 328 p.

BARROS, Cleyton Souza. Eletricidade em Juiz de Fora: Modernização por fios e trilhos (1889-1915). 2008. 159 f. Dissertação (mestrado) – Universidade Federal de Juiz de Fora, Programa de Pós- Graduação do Curso de História, Juiz de Fora – MG, 2008.

BERNARDET, Jean-Claude. O que é cinema? São Paulo: Brasiliense, 1996.

BICALHO, Maria Fernanda Baptista. A arte da sedução: a representação da mulher no cinema mudo brasileiro. In: COSTA, Albertina de Oliveira; BRUSCHINI, Cristina. Entre a virtude e o pecado, Rio de Janeiro: Rosa dos Tempos; São Paulo: Fundação Carlos Chagas, 1992, p. 89-117.

CASA RENASCENÇA. Nação Brasileira, Rio de Janeiro, anno II, n. 15, nov. 1924, p. 86. Disponível em: http://memoria.bn.br/DOCREADER/cache/24143002248347/I0000834-20Alt=002416Lar=001672LargOri=002593AltOri=003747.JPG Acesso em 14 fev. 2020.

CIDADE DE BARBACENA, Barbacena, 24 fev. 1927, n. 2274, p. 3.

CINE LEAL. Cidade de Barbacena, Barbacena, 1926, n. 2204, p. 3.

CINE-LEAL. Cidade de Barbacena, Barbacena, 1926, n. 2214, p. 2.

CINE-LEAL. Cidade de Barbacena, Barbacena, 1926, n. 2217, p. 2.

CINE LEAL. Cidade de Barbacena, Barbacena, 1926, n. 2223, p. 3.

CINE LEAL. Cidade de Barbacena, Barbacena, 1927, n. 2342, p. 2.

CINE LEAL. Cidade de Barbacena, Barbacena, 1927, n. 2344, p. 3.

CINE-THEATRO-APOLLO. Cidade de Barbacena, Barbacena, 1923, n. 1921, p. 2.

DIVERSÕES. Cidade de Barbacena, Barbacena, 1917, n. 1344, p. 2.

FERREIRA, Paulo Roberto. Do kinetoscopio ao Omniographo. Revista Filme Cultura. Embrafilme: Ministério da Cultura, n. 47, agosto, 1986, p. 14-21. Disponível em: http://revista.cultura.gov.br/item/filme-cultura-n-47/ Acesso em 13 jul. 2020.

FIGUEIREDO, Priscila Kelly. Recônditos da Belleza: As práticas corporais em Cinearte e Scena Muda (1921-1941). 2007. 110 f. Dissertação (mestrado) - Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas-SP, 2007.

GALDINO, Márcio da Rocha. Minas Gerais ensaio de filmografia, Prêmio Cidade de Belo Horizonte - Ensaio, Editora Comunicação, 1983, 430 p.

GALDINO, Márcio da Rocha. Paulo Benedetti – dossiê. In:ANDRADE, Rudá de; GALVÃO, Maria Rita; e outros. Cinema brasileiro: 8 estudos, Rio de Janeiro, MEC – EMBRAFILME – FUNARTE, 1980, p. 109-144.

GOELLNER, Silvana Vilodre. Bela, maternal e feminina: imagens da mulher na Revista Educação Physica. 1999. 180 f. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas – SP, 1999.

GOMES, Paulo Augusto. Os italianos e o nascente cinema mineiro. Revista da imigração italiana em Minas Gerais – Ponte entre culturas, Belo Horizonte, 2011, p. 1-8.

GOMES, Paulo Augusto. Paulo Benedetti. In: GOMES, Paulo Augusto. Pioneiros do cinema em Minas Gerais, Belo Horizonte: Crisálida, 2008, p. 41-49.

GOMES, Paulo Augusto. 100 anos de cinema em Belo Horizonte. Varia História, Belo Horizonte, n. 18, Set/97, p. 347-372.

GOMES, Paulo Emílio Salles. Humberto Mauro, Cataguases, Cinearte. São Paulo: Perspectiva/Editora Universidade de São Paulo, 1974.

LIMA, Otávio Henrique Reis. Exibidores brasileiros: breve histórico de exibidores cinematográficos de Varginha (MG). 2017. 95 f. Trabalho de conclusão de curso em Cinema e Audiovisual – Instituto de Artes e Comunicação Social, Universidade Federal Fluminense, Niterói-RJ, 2017.

LINO, Sônia Cristina. Cinematographo: doença da moda. Revista do Arquivo Público Mineiro, Belo Horizonte, Dossiê, ano. 45, n. 1, jan./jun. 2009, p. 90-103.

LISBOA, Jakeline Duque de Moraes. O divertimento nos espaços associativos de imigrantes alemães e teuto-brasileiros em Juiz de Fora - MG: do último quartel do séc. XIX ao fim da II Guerra Mundial. 2017. 210 f. Tese (doutorado) – Escola de Educação Física, Fisioterapia e Terapia Ocupacional, Programa de Pós-graduação em Estudos do Lazer, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte – MG, 2017.

MALUF, Marina; MOTT, Maria Lúcia. Recônditos do mundo feminino. In: SEVCENKO, Nicolau. História da vida privada no Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 1998. v. 3. p. 368-421.

MARQUES, Alexandre Pimenta. O registro inicial do documentário mineiro: Igino Bonfioli e Aristides Junqueira. 2007. 222 f. Dissertação (mestrado) – Escola de Belas Artes, Programa de Pós-Graduação em Artes, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte – MG, 2007.

MARTINI, Cristiane Oliveira Pisani. Festas, bailes, partidas e contradanças: as danças de sala do Bello Horizonte de 1897 a 1936. 2010. 162 f. Dissertação (mestrado) – Escola de Educação Física, Fisioterapia e Terapia Ocupacional, Programa de Pós-graduação em Estudos do Lazer, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte – MG, 2010.

MELO, Victor Andrade de; VAZ, Alexandre Fernadez. Cinema, corpo, boxe: reflexões sobre suas relações e a questão da construção da masculinidade. In: MELO, Victor Andrade de; DRUMOND, Maurício. Esporte e Cinema: novos olhares. Rio de Janeiro: Apicuri, 2009. p. 97-143.

MOTA, Andeza Gonsalez Rodrigues. Divirta-se quem puder: história e lazer em Belo Horizonte através da revista Semana Illustrada, 1927-1928. 2018. 75 f. Dissertação (mestrado) – Escola de Educação Física, Fisioterapia e Terapia Ocupacional, Programa de Pós-graduação em Estudos do Lazer, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte – MG, 2018.

MOURA, Rodrigo Caldeira Bagni. O amadorismo, o profissionalismo, os sururus e outras tramas: o futebol em Belo Horizonte nas décadas de 1920 e 1930. 2010. 162 f. Dissertação (mestrado) – Escola de Educação Física, Fisioterapia e Terapia Ocupacional, Programa de Pós-graduação em Estudos do Lazer, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte – MG, 2010.

NO CINE-LEAL. Cidade de Barbacena, Barbacena, 18 ago. 1926, n. 2221, p. 1.

NOGUEIRA JUNIOR, José Martins. Uma história dos divertimentos do sul mineiro: Itajubá, Pouso Alegre e Campanha entre o final do século XIX e as primeiras décadas do século XX(1891-1930). 2017. 166 f. Dissertação (mestrado) – Escola de Educação Física, Fisioterapia e Terapia Ocupacional, Programa de Pós-graduação em Estudos do Lazer, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte – MG, 2017.

O CINE-LEAL e a Sociedade dos Grandes Exhibidores Cinematographicos. Cidade de Barbacena, Barbacena, 9 jun. 1927, n. 2301, p. 1.

OLIVEIRA, Renata Cristina Simões de. O teatro e algumas diversões em Diamantina: uma história registrada pela imprensa (1888-1915). 2016. 154 f. Dissertação (mestrado) – Escola de Educação Física, Fisioterapia e Terapia Ocupacional, Programa de Pós-graduação em Estudos do Lazer, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte – MG, 2016.

ORLANDO, José Antônio. A cidade dos Lunáticos. In: NAZARIO, Luiz (org.). A cidade imaginária, São Paulo: Perspectiva, 2005, p. 13-26.

PELOS CINEMAS. Cidade de Barbacena, Barbacena, 16 jul. 1925, n. 2111, p. 1.

PELOS CINEMAS. Cidade de Barbacena, Barbacena, 19 jul. 1925, n. 2112, p. 2.

PELOS CINEMAS. Cidade de Barbacena, Barbacena, 1926, n. 2251, p. 2.

PELOS CINEMAS. Cidade de Barbacena, Barbacena, 20 jan. 1927, n. 2264, p. 1.

PIMENTA, Everton Fernando. Duas faces de uma mesma moeda: recepção e circulação do ideário fascista e integralista em Barbacena-MG através do casal Ines e Aroldo Piacesi, 1924-1945. 2015. 262 f. Dissertação (mestrado) – Programa de Pós-graduação em História, Universidade Federal de São João Del Rei – MG, 2015.

PIMENTA, Everton Fernando. Ines Piacesi, 1895, 1981: um ensaio biográfico. 2007. 110 f. Monografia (bacharelado em História) – Universidade Federal de Ouro Preto, Mariana –MG, 2007.

PINHEIRO, Larissa Brum Leite Gusmão. Garçonnizando-se: o fazer-se melindrosa. Temporalidades: Revista Discente do Programa de Pós-Graduação em História da UFMG, v. 7, n. 2 (mai./ago. 2015), Belo Horizonte: Departamento de História, FAFICH/UFMG, 2015, p. 191-217.

RIBEIRO, José Silvério. História Econômica do Município de Barbacena v.1 (1889-1930) – Tempos de Esperança/Silvério Ribeiro/ Barbacena: Gráfica e Editora Cidade de Barbacena, 2012, 704 p.

SAMPAIO, Carlos Leonardo Teixeira. A Igreja Católica e a transformação do espaço e do viver urbano de Pouso Alegre-MG (1936-45). 2009. 153 f. Dissertação (mestrado) – Programa de Pós-graduação em História Social, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo-SP, 2009.

SAVASSI, Altair José. Barbacena 200 anos. Belo Horizonte: Editora Lemi S.A., 1991, v.1, 287 p.

SCHPUN, Mônica Raisa. Beleza em jogo: cultura física e comportamento em São Paulo nos anos 20. São Paulo: Boitempo Editorial/Editora SENAC, 1999. 164 p.

SEVCENKO, Nicolau. Transformação da linguagem e advento da cultura modernista do Brasil. Estudos Históricos, Rio de Janeiro, v. 6, n. 11, 1993, p. 78-88.

SINGER, Ben. Modernidade, hiperestímulo e o início do sensacionalismo popular. In: CHARNEY, Leo; SCHWARTZ, Vanessa R. O cinema e a invenção da vida moderna. Tradução Regina Thompson. 2. ed. rev. São Paulo: Cosac Naify, 2004. p. 95-123.

SILVA, Igor Maciel. Rápida como os patins: a presença das mulheres na patinação em Barbacena-MG no início do século XX. Recorde: Revista de História do Esporte, Rio de Janeiro, v. 13, n. 1, jan./jun. 2020, p. 1-11.

SILVA, Igor Maciel da; ROSA, Maria Cristina. Da participação de mulheres no futebol em Barbacena/MG nas três primeiras décadas do século XX. Revista Licere, Belo Horizonte, 2020, p. 114-142.

SILVA, Igor Maciel; SOUTTO MAYOR, Sarah Teixeira. Mulheres no atletismo (Barbacena-MG, 1926): um estudo preliminar. Revista Caminhos da História, Montes Claros, Dossiê História do Esporte e das Práticas Corporais, v. 25, n. 1, jan./jun. 2020, p. 1-13.

SILVA, Igor Maciel da. Elas se divertem (Barbacena – MG, 1914 a 1931). 2018. 136 f. Dissertação (Mestrado) – Escola de Educação Física, Fisioterapia e Terapia Ocupacional, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte – MG, 2018.

SILVA, Sheyla Pinto da. Considerações sobre o relacionamento amoroso entre adolescentes. Cad. Cedes, Campinas, v. 22, n. 57, agosto/ 2002, p. 23-43.

SIRIMARCO, Martha. João Carriço – o amigo do povo. Juiz de Fora: Funalfa Edições, 2005.

SOUTTO MAYOR, Sarah Teixeira. O futebol na cidade de Belo Horizonte: amadorismo e profissionalismo nas décadas de 1930 e 1940. 2017. 359 f. Tese (Doutorado) – Escola de Educação Física, Fisioterapia e Terapia Ocupacional, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte – MG, 2017.

TERRA DE MOÇAS BONITAS! Cidade de Barbacena, Barbacena, 1929, n. 249, p. 1.

VAQUINHAS, Irene. Cabelos à Joãozinho e melindrosas: uma nova imagem das mulheres nos anos 1920. In: JESUS, Isabel Henriques de; RIBEIRO, Paula Gomes; MIRA, Rita; DE CASTRO, Zília Osório. Falar de Mulheres dez anos depois. Centenário do Conselho Nacional das Mulheres Portuguesas, Húmus Ltda., 2016, p. 353-360.

VIEIRA, Alexandre Sardá. Sessão das moças: sociabilidade por escrito. Revista Cordis: Revista Eletrônica de História Social da Cidade, n. 6, jan./jun., 2011, p. 5-27.

Downloads

Publicado

2020-12-15

Edição

Seção

Artigos Originais