Cultura africana numa perspectiva interdisciplinar: Educação Física na cultura corporal de movimento

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-8042.2020e76910

Palavras-chave:

Interdisciplinaridade, Projeto, Dança, Educação física, Ensino médio

Resumo

Através da interação com diferentes áreas de conhecimento, o aluno é capaz de aprender melhor por entender que o mundo é interdisciplinar. Assim, para desenvolver o tema sobre cultura africana, realizou-se uma atividade entre Educação Física, História, Sociologia e Arte com alunos do Ensino Médio. Para contextualizar o tema, foi realizada uma pesquisa bibliográfica e a atividade foi mensurada de forma qualitativa. A atividade consistiu na criação de um espetáculo de dança em que o tema era o afrofuturismo. Enquanto os alunos criavam as coreografias e experimentavam os movimentos, as outras disciplinas ajudaram na confecção das roupas, criação do cenário com estudos e debates para que pudesse se conhecer mais a cultura em questão. A atividade foi bem recebida pelos alunos que demonstraram grande interesse durante o processo e após a conclusão do evento, demonstraram grande consciência em relação ao tema abordado.

Biografia do Autor

Rubens de Sousa Bravalheri, Colégio Sesi Internacional de Curitiba (PR)

Professor de Educação Física e Physical Education no Colégio Sesi Internacional de Curitiba (PR)

Referências

BARROS, Aidil Jesus da Silveira; LEHFELD, Neide Aparecida de Souza. Fundamentos de Metodologia Científica. 3° ed. São Paulo: Pearson. 2007.

BEHRENS, Marilda Aparecida; JOSÉ, Eliane Mara Age. Aprendizagem por projetos e os contratos didáticos. Revista Diálogo Educacional, v. 2, n. 3, p. 1-19, 2001.

BRASIL. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Brasília, DF. 1996. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9394.htm. Acesso em: 20 ago. 2020.

BRASIL. Lei nº 13.005, de 25 de junho de 2014. Aprova o Plano Nacional de Educação - PNE e dá outras providências. Brasília, DF. 2014. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2014/lei/l13005.htm#:~:text=Aprova%20o%20Plano%20Nacional%20de,Art. Acesso em: 01 set. 2020.

BRASIL. Planejando a Próxima Década: Conhecendo as 20 Metas do Plano Nacional de Educação. Ministério da Educação / Secretaria de Articulação com os Sistemas de Ensino (MEC/ SASE), jun 2014.

BRASIL. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Plano Nacional de Educação PNE 2014-2024: Linha de Base. Brasília, DF: Inep, 2015.

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular (BNCC). Educação é a Base. Brasília, MEC/CONSED/UNDIME, 2017.

DA CRUZ, Ana Cristina Juvenal. O lugar da história e cultura africana e afro-brasileira nos debates contemporâneos do currículo brasileiro. Revista Eletrônica Científica Ensino Interdisciplinar, v. 3, n. 8, p. 134-150, 2017.

GOMES, Nilma Lino. Cultura negra e educação. Revista Brasileira de Educação, v. 23, p. 75-85, 2003.

GONÇALVES, Bruna Cardoso; NASCIMENTO, Paulo Magalhães Monard; ALBERTO, Alvaro Adolfo Duarte. Currículo, Educação Física e Marabaixo: fundamentando caminhos para inserção da cultura afro-brasileira na escola do Amapá. Pensar a Prática, v. 22, 2019.

MUNANGA, Kabengele. Por que ensinar a história da África e do negro no Brasil de hoje? Revista do Instituto de Estudos brasileiros, n. 62, p. 20-31, 2015.

OJO-ADE, Femi. Cultura africana: do velho e do novo; os anos 90. Afro-Ásia, n. 16, 1995.

PEREIRA, Arliene Stephanie Menezes et al. Aplicação das leis 10.639/03 e 11.645/08 nas aulas de educação física: diagnóstico da rede municipal de Fortaleza/CE. Revista Brasileira de Ciências do Esporte, v. 41, n. 4, p. 412-418, 2019. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/rbce/v41n4/0101-3289-rbce-41-04-0412.pdf. Acesso em: 01 set. 2020.

PEREIRA, Gilmar Ribeiro; CORDEIRO, Maria José de Jesus Alves. A diversidade das relações étnico-raciais e o currículo escolar: algumas reflexões. Revista Interfaces da Educação, Vol.5(14), 2014.

PEREIRA, Nilton Mullet; RODRIGUES, Mara Cristina de Matos. BNCC e o passado prático: temporalidades e produção de identidades no ensino de história. Archivos analíticos de políticas educativas. Florida: EPAA, 2018. Vol. 26, n. 107 (3 set. 2018), 22 f., 2018.

PEROVANO, Dalton Gean. Manual de metodologia da pesquisa científica. Curitiba: Intersaberes. 2016.

POMBO, Olga. Interdisciplinaridade e integração dos saberes. Liinc em revista, v. 1, n. 1, 2005.

PRANDI, Reginaldo. De africano a afro-brasileiro: etnia, identidade, religião. Revista Usp, n. 46, p. 52-65, 2000.

RODRIGUES, Raymundo Nina. Os africanos no Brasil. Rio de Janeiro: Centro Edelstein de Pesquisas Sociais, 2010. Disponível em https://static.scielo.org/scielobooks/mmtct/pdf/rodrigues-9788579820106.pdf. Acesso em 24 ago 2020.

SANSONE, Livio. Negritude sem etnicidade: o local e o global nas relações raciais e na produção cultural negra do Brasil. Edufba, 2004.

SANTOS, Karolainy Benedet dos; BONA, Bruna Carolini de; TORRIGLIA, Patrícia Laura. A cultura afro-brasileira e a dança na Educação Física escolar. Motrivivência: revista de educação física, esporte e lazer, Vol.32(62), pp.01-20, 2020.

SILVA, Kellen Carolina Vieira; QUADRADO, Jaqueline Carvalho. O afrofuturismo como forma de representação cultural. 2° Encontro Missioneiro de Estudos Interdisciplinares em Cultura. 2016. Disponível em: http://omicult.org/emicult/anais/wp-content/uploads/2016/11/O-AFROFUTURISMO-COMO-FORMA-DE-REPRESENTA%C3%87%C3%83O-CULTURAL-2.pdf. Acesso em 24 ago 2020.

SILVA, Marcos Antônio da; FONSECA, Selva Guimarães. Ensino de História hoje: errâncias, conquistas e perdas. Revista Brasileira de História, v. 30, n. 60, p. 13-33, 2010.

THIESEN, Juares da Silva. A interdisciplinaridade como um movimento articulador no processo ensino-aprendizagem. Revista brasileira de educação, v. 13, n. 39, p. 545-554, 2008.

Downloads

Publicado

2020-12-15

Edição

Seção

Porta Aberta