A oralidade, a escrita e as condições de produção de textos na escola: a constituição da escrita escolar em objeto de investigações acadêmicas

Autores

  • Émerson de Pietri Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-795X.2012v30n2p573

Palavras-chave:

Linguagem e Educação, Escrita, Análise do Discurso

Resumo

No presente trabalho, tematiza-se o processo de constituição da escrita escolar emobjeto de pesquisa de investigações acadêmicas. O material de análise foi produzidoem programas de pós-graduação de universidades brasileiras. Observaram-se as basessemânticas dos discursos sobre ensino de Língua Portuguesa que se constituíram nadécada de 80 do século XX. Os trabalhos de pesquisa desenvolvidos nesse momentose caracterizariam por considerar a organização textual do escrito, produzido emcontexto de ensino, em função de oposições resultantes de diferenças linguísticas e/ousociais. Tais diferenças se representariam pela contraposição entre fatos de oralidade efatos de escrita. As características dos textos produzidos na escola decorreriam, de umlado, de os alunos não terem conhecimentos sobre a modalidade escrita e, de outro, deas condições de produção do texto na escola não serem autênticas. No tratamento emcontraste de elementos associados a condições internas e a condições externas à escola,os fatores de textualidade se posicionam como índices discursivos para o pesquisadorem seu trabalho de constituição da escrita escolar em objeto de análise.

Biografia do Autor

Émerson de Pietri, Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo

Professor de Metodologia do Ensino de Língua Portuguesa

Departamento de Metodologia do Ensino e Educação Comparada

Downloads

Publicado

2012-11-30

Edição

Seção

Artigos de Demanda Contínua