Breve ensaio sobre o tempo, o sujeito e os modos de olhar para a história: Foucault e Cortázar

Autores

  • Bruno Pastoriza Universidade Federal de Pelotas - UFPel
  • José Claudio Del Pino Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-795X.2017v35n3p803

Palavras-chave:

Literatura, Educação, Saber

Resumo

Pautado na literatura fantástica de Julio Cortázar e na proposta de história efetiva de Michel Foucault, este ensaio busca trazer um modo diferente de pensarmos as relações entre o sujeito e o tempo da história como elementos dos estudos em Educação. Iniciando com um conto cortazariano, evidencia-se a possibilidade de outro modo de ler o tempo no qual o conto se desdobra, bem como o próprio sujeito nele constituído. A partir dessas relações, articulam-se as propostas foucaultianas de afastamento dos duplos referentes ao sujeito e da concepção de tempo como motor da história. Ambos os autores são utilizados então para problematizar o campo das pesquisas em Educação e seus modos de compreender o tempo e o sujeito, que, pelo olhar desses dois autores, podem ser reconstruídos.

 

Biografia do Autor

Bruno Pastoriza, Universidade Federal de Pelotas - UFPel

Doutor em Educação em Ciências pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Professor do Centro de Ciências Químicas, Farmacêuticas e de Alimentos  da Universidade Federal de Pelotas (UFPel).

José Claudio Del Pino, Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS

Doutor em Engenharia de Biomassa pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Professor do Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciêncais: Química da Vida e Saúde da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS).

Downloads

Publicado

2017-12-31

Edição

Seção

Volume 35 número 3 2017