O uso de estratégias autorregulatórias para aprender e para ensinar: formação de professores

Luciana Toaldo Gentilini Ávila, Amanda Pranke, Lourdes Maria Bragagnolo Frison

Resumo


Este artigo é resultado da articulação de dois estudos, um realizado no âmbito do projeto Pibid, o qual envolveu três estudantes de licenciatura em Matemática que atuaram em uma oficina com alunos de uma escola, e o outro realizado no contexto dos estágios curriculares supervisionados, no qual participaram doze estagiários do último ano do curso de licenciatura em Educação Física. Apoiada na autorregulação da aprendizagem, esta pesquisa procurou apresentar e discutir as estratégias de autorregulação da aprendizagem e as estratégias pedagógicas reveladas nos resultados dos dois estudos. Após análise dos resultados de ambos os estudos, percebemos que os futuros professores tiveram, nos diferentes contextos que atuarem na graduação, a oportunidade de utilizar estratégias para autorregular o aprender a ser professor e a desenvolverem estratégias pedagógicas no contexto de ensino. Concluímos que a utilização dessas diferentes estratégias contribuiu para a formação de professores autônomos, conscientes e estratégicos para atuar nas escolas.


Palavras-chave


Formação de professores; Estratégias de autorregulação da aprendizagem; Estratégias pedagógicas

Texto completo:

PDFA


DOI: https://doi.org/10.5007/2175-795X.2018v36n4p1265



Direitos autorais 2018 Luciana Toaldo Gentilini Ávila, Amanda Pranke, Lourdes Maria Bragagnolo Frison

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Perspectiva, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. ISSN print 0102-5473, ISSN 2175-795X.

Recomendamos o uso do browser Firefox_Mozilla como navegador do portal .

Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.