O trabalho docente sob a ótica dos professores de uma instituição da Rede federal de educação profissional científica e tecnológica

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-795X.2020.e65069

Palavras-chave:

OBEDUC, Trabalho docente, Educação profissional, Prática pedagógica

Resumo

O escopo deste artigo é dar publicidade aos dados referentes à pesquisa do Observatório de Educação (OBEDUC) coletados em uma instituição vinculada à Rede Federal de Educação Profissional Científica e Tecnológica (RFEPCT) de Minas Gerais. Metodologicamente, iniciou-se com a elaboração de um estado do conhecimento sobre a formação/profissionalização e o trabalho docente que se estendeu por todo o período em que se desenvolveu o OBEDUC, ou seja, de 2010 a 2014. Após a aplicação do questionário, separaram-se os dados referentes ao trabalho docente, que foram cotejados com os aportes teóricos referentes ao tema. Dessa forma, este artigo se subdivide em três partes que, assim, se apresentam: a primeira consubstancia-se na concepção de trabalho, em que se privilegia a concepção crítico-dialética. Na segunda parte, são apresentados dados resultantes do OBEDUC atinentes a um campus do Instituto Federal de Minas Gerais (IFMG) e, por fim, são tecidas algumas considerações finais em relação ao que foi pesquisado.

 

Biografia do Autor

Maria Auxiliadora Monteiro Oliveira, Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, PUCMinas

Doutora em Educação, Universidade Estadual de Campinas, UNICAMP. Professora do Programa de Pós-graduação em Educação da PUC Minas

Inajara de Salles Viana Neves, Universidade Federal de Ouro Preto, UFOP

Departamento de Educação e Tecnologia, Universidade Federal de Ouro Preto, UFOP

Jussara Bueno de Queiroz Paschoalino, Universidade Federal do Rio de Janeiro, UFRJ

Doutorado em Educação pela Universidade Federal de Minas Gerais. Professora da Universidade Federal do Rio de Janeiro, UFRJ

 

Solange Rodrigues, Instituto Federal Minas Gerais, IFMG, Ouro Preto/MG

Doutora em Educação pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, PUCMinas. Professora do Instituto Federal Minas Gerais, IFMG,  Ouro Preto/MG

Referências

ANTUNES, Ricardo. Adeus ao Trabalho: Ensaios sobre as metamorfoses e a centralidade do mundo do trabalho. 11ª Edição. Editora Cortez, 2006.

BURNIER, S.; GARIGLIO, J. Boletim técnico do SENAI. Rio de Janeiro, v 40, n. 2, mai/ago., 2014, p. 74-99.

ESTEBAN, M.T. Avaliação da aprendizagem. In: OLIVEIRA, D. A.; DUARTE, A.M.C.; VIEIRA, L.M.F. DICIONÁRIO: trabalho, profissão e condição docente. Belo Horizonte: UFMG/Faculdade de Educação, 2010. CDROM.

FRANCO, M. A. S. Saberes pedagógicos. In: FRANCO, M. A. S. Prática docente universitária e a construção coletiva de conhecimentos: possibilidades de transformações no processo ensino-aprendizagem. Cadernos Pedagogia Universitária. - Universidade de São Paulo – USP. São Paulo, 2009.

GIOVANI, L. Indagação e reflexão como marcas da profissão docente. In: GUARNIERE, Maria R. Aprendendo a ensinar: o caminho nada suave da docência. São Paulo: Autores Associados, 2000.

GRAMSCI, A. Os intelectuais e a organização e a organização da cultura. Rio de Janeiro: Civilização brasileira, 1981.

HADJI, C. Avaliação desmistificada. Porto Alegre: Artmed Editora, 2001.

KOSIK, Karel. Dialética do concreto. 4 ed. Rio de Janeiro: Paz e terra, 1999.

KUENZER, A.Z.; CALDAS, A. Trabalho docente: comprometimento e desistência. In: FIDALGO, F.; OLIVEIRA, M.A.M.; FIDALGO, N.L.R. (Org.). A intensificação do Trabalho docente: tecnologias e produtividade. Campinas: Papirus, 2009.

KUPFER, Maria Cristina. Freud e a educação: o mestre do impossível. São Paulo: Scipione, 1995.

LIBÂNEO, José Carlos. Didática. São Paulo: Cortez, 2000.

LIBÂNEO, José Carlos. Educação escolar: políticas, estrutura e organização. São Paulo: Cortez, 2012.

LUCKESI, Cipriano Carlos. Avaliação educacional escolar: para além do autoritarismo. Revista do ANDE, São Paulo, V.10, n.8, 1998 p. 36-42.

LUKÁCS, György. Para uma ontologia do ser social. São Paulo: Boi tempo, 2010.

OLIVEIRA, Maria A. Monteiro. Políticas públicas para o ensino profissional: o processo de desmantelamento dos CEFETs. Campinas: Papirus, 2003.

PATTO, Maria Helena Souza. Produção do fracasso escolar: história de submissão.ed. 7 ed. São Paulo: Intermelos, 1998.

PAULA, A. C. R. R.; NAVES, M. L. P. O estresse e o bem-estar docente. Boletim Técnico Senac: a R. Educ. Prof., Rio de Janeiro, v. 36, n.1, jan./abr. 2010. Disponível em: http://www.senac.br/bts/361/artigo6.pdf. Acesso: em 03 setembro de 2015.

RIZZATTI, Gerson. Categorias de Análise de Clima Organizacional em Universidades Federais Brasileiras. Tese (Doutorado em Engenharia de Produção) - Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis, p. 307. 2002.

SANTOMÉ, J. T. Globalização e interdisciplinaridade: o currículo integrado. Porto Alegre: Arte Médicas, 1998.

SANTOS, B. S. A. Crítica da razão indolente: contra o desperdício da experiência. São Paulo: Cortez, 2007.

SEVERINO, A. J. Preparação técnica e formação ético-política dos professores. In: BARBOSA, Raquel, B. Formação de professores: desafios e perspectivas. São Paulo: UNESP, 2003.

TARDIF, M.; LESSARD, C. O trabalho docente: elementos para uma teoria da docência como profissão de interações humanas. Petrópolis, RJ: Vozes, 2005.

VAN ZANTEN, Agnes. (coord.). Dicionário de Educação. Petrópolis, RJ: Vozes, 2011.

Downloads

Publicado

2020-10-28