A infância que se reconstrói como legado e como lugar de significação de trajetórias de vida

Autores

  • Rosa Madeira UA - Aveiro - Portugal

DOI:

https://doi.org/10.5007/%25x

Resumo

A infância tem sido entendida como lugar de desenvolvimento e de socialização das crianças. Neste artigo abordaremos a infância como ponto de ancoragem e fonte de significado para histórias de vida que se constroem como aceitação ou recusa de identidades definidas socialmente pelas circunstâncias de pobreza e de subordinação social. Tomando como referencial teórico a sociologia da infância, nos propomos problematizar o impacto da Desigualdade estrutural que é silenciado pela descontextualização dos debates sobre os direitos da criança, através da revisitação das narrativas auto-biográficas de mulheres nascidas entre 1906 e 1988, numa família residente na região centro litoral de Portugal.

Downloads

Publicado

2005-01-01