Novos diálogos dos estudos feministas da deficiência

Autores

DOI:

https://doi.org/10.1590/1806-9584-2019v27n148155

Palavras-chave:

Feminist disability studies, Gênero, Deficiência, Interseccionalidade

Resumo

O objetivo deste estudo foi o de caracterizar a produção recente dos estudos feministas da deficiência (Feminist disability studies), com o foco na intersecção entre gênero e deficiência. Para tanto, foi realizada uma revisão da literatura internacional na qual foram incluídos artigos publicados nos últimos cinco anos em revistas disponíveis no portal de periódicos da CAPES. Os artigos analisados ressaltam que os modelos de compreensão da deficiência têm efeitos sociais e políticos nas formas de se pensar em questões como a corporeidade, a sexualidade, o cuidado e a interdependência. Além disso, as produções estudadas apontam que a inclusão da deficiência como categoria de análise a ser considerada nos estudos e práticas sociais tem um potencial analítico e político.

Biografia do Autor

Ruthie Bonan Gomes, Universidade Federal de Santa Catarina

Mestrando do Programa de Pós-Graduação em Psicologia UFSC na área de Processos de Subjetivação, Gênero e Divesidades. Possui experiência nos estudos sobre deficiência e educação. Vinculada ao LAPEE - Laboratório de Psicologia Escolar Educacional. Bacharelado em Psicologia pela Univerasidade de Caxias do Sul.

Paula Helena Lopes, Universidade Federal de Santa Catarina

Mestre em Psicologia na área de concentração Processos de subjetivação, gênero e diversidade da UFSC, cuja pesquisa aborda a temática maternidade e deficiência. Possuí graduação em Psicologia e pós-graduação em psicologia organizacional e do trabalho. Psicóloga clínica e pesquisadora do núcleo Margens.

Marivete Gesser, Universidade Federal de Santa Catarina

Psicóloga, professora do Departamento de Psicologia da UFSC, onde atua na graduação e pó-graduação. Pesquisadora do Margens e do LAPEE. Experiência na área de Psicologia, com ênfase na Psicologia Educacional, com interessa nos temas: gênero, deficiência, educação inclusiva, políticas públicas e direitos humanos.

Maria Juracy Filguieras Toneli, Universidade Federal de Santa Catarina

Psicóloga, profesora titular do departamento de psicologia da UFSC, onde orienta na graduação e pós-graduação. Co-coordenadora do núcleo Margens. Experiência na área de Psicologia, ênfase em Psicologia Social e Institucional, com interesse nos seguintes temas: gênero, feminsmos, masuculinidades, saúde sexual e reprodutiva, divesidade e direitos sexuais, violências de gênero, travestilidades e transexualidades.

Publicado

2019-05-09

Edição

Seção

Artigos