“Em nome da mãe”: performatividades e feminizações em um CRAS

Autores

  • Priscila Pavan Detoni Centro Universitário UNIVATES Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS
  • Paula Sandrine Machado Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS
  • Henrique Caetano Nardi Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS https://orcid.org/0000-0001-6058-1642

DOI:

https://doi.org/10.1590/%25x

Palavras-chave:

CRAS, PNAS, Relações de Gênero, Maternidade, Biopolítica

Resumo

Neste artigo, são apresentadas descrições etnográficas de um Centro de Referência de Assistência Social (CRAS), equipamento do Sistema Único de Assistência Social (SUAS), com o intuito de compreender a performatividade de gênero e sexualidade na Política Nacional de Assistência Social (PNAS). A proposta de diminuição das desigualdades de gênero é um dos propósitos desta política que reconhece as mulheres como agentes da proteção social, principalmente no contexto familiar. A forma como essas políticas vêm se organizando acaba por performatizar as feminizações por meio de uma “biopolítica da maternidade” que se operacionaliza, de forma concreta, nas práticas, repercutindo diretamente nos processos de subjetivação e na configuração da gestão das relações familiares e sociais.

Biografia do Autor

Priscila Pavan Detoni, Centro Universitário UNIVATES Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS

Psicóloga, Mestre e Doutora em Psicologia Social e Institucional pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS); Membro do Núcleo de Pesquisa em Relações de Gênero e Sexualidade ( Nupsex/UFRGS) e do Centro de Referência em Direitos Humanos: Relações de Gênero, Diversidade Sexual e de Raça (CRDH/UFRGS); Docente no Centro Universitário do Vale do Taquari de Ensino Superior (UNIVATES). Possuí estudos e trabalha com ênfase nas temáticas da psicologia social, políticas sociais públicas, direitos humanos, saúde do/a trabalhador/a, estudos feministas, relações de gênero e sexualidade. 

Paula Sandrine Machado, Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS

Professora Associado da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Pesquisadora do Núcleo de Pesquisa em Sexualidade e Relações de Gênero (NUPSEX) e do Centro de Referência em Direitos Humanos: Relações de Gênero, Diversidade Sexual e Raça (CRDH) do Instituto de Psicologia da UFRGS. Mestre e Doutora em Antropologia Social - UFRGS.

Henrique Caetano Nardi, Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS

Professor Associado da Universidade Federal do Rio Grande do Sul e Diretor do Instituto de Psicologia. Coordenador do Núcleo de Pesquisa em Sexualidade e Relações de Gênero (NUPSEX) e do Centro de Referência em Direitos Humanos: Relações de Gênero, Diversidade Sexual e Raça (CRDH) do Instituto de Psicologia da UFRGS. Pesquisador associado do Institut de Recherche Interdisciplinaire sur les Enjeux Sociaux (IRIS-EHESS) e membro do grupo FIRA - Frontières Identitaires et Représentations de lAlterité. 

Downloads

Publicado

2018-04-24

Edição

Seção

Artigos