Gênero, epistemologia e performatividade: estratégias pedagógicas de subversão

Autores

  • Anselmo Peres Alós Instituto Superior de Ciência e Tecnologia de Moçambique

DOI:

https://doi.org/10.1590/S0104-026X2011000200007

Palavras-chave:

Corpo, Gênero, Sexualidade, Pedagogias Culturais

Resumo

Neste artigo, o conceito de gênero é apresentado e discutido em suas relações com a noção de performatividade, advinda da filosofia da linguagem, na esteira das reflexões de Judith Butler. Se o gênero for considerado como uma ferramenta analítica no campo dos estudos pedagógicos, é possível discutir o conceito dando atenção às maneiras pelas quais o gênero é construído pelas pedagogias culturais. Esta discussão pretende problematizar ideias naturalizadas com relação ao gênero e à sexualidade, sublinhando a importância dos processos performativos que constituem gênero, corpo e heterossexualidade como constructos culturais marcados pela historicidade.

Biografia do Autor

Anselmo Peres Alós, Instituto Superior de Ciência e Tecnologia de Moçambique

É professor de Língua Portuguesa na Universidade Federal da Integração Latino-Americana (UNILA). Publicou vários artigos sobre as relações entre literatura, cultura, gênero e sexualidade, entre os quais cabe mencionar “Narrativas da sexualidade: pressupostos para uma poética queer” (Revista Estudos Feministas, Florianópolis, v. 18, n. 3, p. 837-864, 2010); “As fronteiras internas da nação: pensando o colonialismo a partir da literatura angolana (Cadernos do IL, Porto Alegre, v. 34/35, p. 91-110, 2008); “Madame Satã e a encenação do feminino” (Gênero, Niterói, v. 8, p. 369-385,2008); e “A tecnologia discursiva do sexo: um olhar sobre a heteronormatividade latente na obra de Alex Comfort” (Humanidades, São João da Boa Vista, v. 5, p. 105-124, 2004).

Downloads

Publicado

2011-01-01

Edição

Seção

Artigos