Da duração situada: um estudo sobre historiografia, espaço e Educação Matemática

Marcelo Bezerra de Morais, Antônio Vicente Marafioti Garnica

Resumo


O principal objetivo deste artigo é defender uma concepção sobre historiografia que contemple não apenas a temporalidade, mas também a espacialidade, ou seja, a história como o estudo da duração situada, a atividade de produzir narrativas sobre os modos como num tempo-espaço os humanos vivem em comunidade. Particularmente, tematiza-se a História da Educação Matemática e a formação de professores que ensinam/ensinaram Matemática como campos de estudo aos quais a noção de espacialidade poderia trazer contribuições significativas.


Palavras-chave


Espacialidade; História da Educação Matemática; Formação de professores de Matemática; História Cultural; Interdisciplinaridade

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/1981-1322.2016v11nespp77

Indexadores, diretórios e base de dados:

                                                                     

 

REVEMAT: R. Eletr. Educ. Mat., UFSC/MTM/PPGECT, Florianópolis, SC, Brasil, eISSN 1981-1322.
 
 

 Licença Creative Commons
Está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.