Um estudo da parábola: quadros, registros de representação semiótica e pontos de vista

Carlos Alberto Fernandes de Siqueira, Maria José Ferreira da Silva

Resumo


Neste artigo faremos um estudo bibliográfico com a finalidade de fazer uma reflexão a respeito do estudo da parábola a partir das noções de Quadros, Pontos de Vista e de Registros de Representação Semiótica. Não temos a intenção de esgotar o assunto, pois estamos interessados apenas no que se refere ao ensino básico. Assim, articulamos no quadro da Geometria os pontos de vista do corte entre plano e cone, e de lugar geométrico utilizando o registro material, o registro figural e o registro algébrico. A partir desse estudo mudamos o ponto de vista para o quadro da Geometria Analítica representando a parábola no plano cartesiano, que a caracteriza agora como um registro gráfico e o articulamos com o obtido como representação algébrica no quadro anterior para desenvolver outras representações algébricas, as equações. 


Palavras-chave


Parábola; quadros; registros; pontos de vista

Texto completo:

PDF/A

Referências


ALMOULOUD, Saddo Ag. (2007). Fundamentos da didática da matemática. Curitiba: UFPR.

ALMOULOUD, S. A., KONÉ, C, & SANGARÉ, M. S (2014). Study of the mathematical and didactic organizations of the conics in the curriculum of secondary schools in the republic of Mali. RIPEM, v. 4, (3). Recuperado de https://www.researchgate.net/publication/275648839_STUDY_OF_THE_MATHEMATICAL_AND_DIDACTIC_ORGANIZATIONS_OF_THE_CONICS_IN_THE_CURRICULUM_OF_SECONDARY_SCHOOLS_IN_THE_REPUBLIC_OF_MALI

ARTIGUE, M. (1994). Ferramenta informática. Ensino de Matemática formação de professores. In: Em Aberto, Brasília, ano 14, (62), p.9-22.

BORDALLO, M. (2011). As Cônicas na matemática escolar brasileira: história, presente e futuro (Dissertação de Mestrado em Ensino de Matemática) – Universidade Federal do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro.

BOYER, Carl B. (2010). História da Matemática. 3ª Ed. Tradução: Elza F. Gomide. São Paulo: Blucher.

BRASIL. (2006). Secretaria da Educação básica. Orientações curriculares para o ensino médio: Ciências da natureza, matemática e suas tecnologias. v.2. Brasília.

DELEFRATE, E. H., & SAITO, F. (2017). Alguns breves apontamentos sobre o tratado de organica conicarum sectionum in plano descriptione de Frans van Schooten. Revista de Produção Discente. Educação Matemática. Recuperado de: https://revistas.pucsp.br/pdemat/article/view/35423/24250

DOUADY, R. (1994). Ingénierie didactique et évolution du rapport au savoir. IREM. Recuperado de: http://www.cndp.fr/entrepot/fileadmin/docs/education_prioritaire/Maths_et_ZEP/reperes15rd.pdf

DOUADY, R., & GLORIAN, M. J. P. (1989). Un processus d´apprentissage du concept d´aire de surface plane. Educational Studies in Mathematics. Recuperado de: https://link.springer.com/article/10.1007/BF00315608

DUVAL, Raymond. (2010). Semiósis e Pensamento Humano. São Paulo: Livraria da Física.

EVES, Howard. (2004). Introdução à história da matemática. Tradução: Domingues, Higyno H. Campinas: Unicamp.

JESUS, G. B. (2008). Construções geométricas: uma alternativa para desenvolver conhecimentos acerca da demonstração em uma formação continuada (Dissertação de Mestrado em Educação Matemática). Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo.

MONTEIRO, R. M. (2014). Resgate do Teorema de Dandelin no Estudo de Cônicas com o Geogebra. (Dissertação de Mestrado em Matemática). Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória.

ROGALSKI, M. (2001, junho). Les chagements de cadre dans La pratique dês mathématiquas et le jeu de cadre de Règine Douady. In: Actes de La jounée em hommage à Règine Douady, Université Paris. Recuperado de: http://numerisation.univ-irem.fr/PS/IPS02004/IPS02004.pdf

SÃO PAULO. (2011). Secretaria da Educação. Currículo do Estado de São Paulo: Matemática e suas tecnologias. São Paulo.

SIQUEIRA, C. A. F. (2016). Um Estudo Didático das Cônicas: Quadros, Registros e Pontos de Vista. Dissertação (Dissertação de Mestrado em Educação Matemática). Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo.

ZAVALA, J. C. C., & RODRÍGUEZ, H. A. S. (2012). Uso de artefactos concretos en actividades de geometría analítica: una experiencia com la elipse. REDIMAT. Recuperado de: http://hipatiapress.com/hpjournals/index.php/redimat/article/view/211/pdf




DOI: https://doi.org/10.5007/1981-1322.2019.e56678

Indexadores, diretórios e base de dados:

                                                                     

 

REVEMAT: R. Eletr. Educ. Mat., UFSC/MTM/PPGECT, Florianópolis, SC, Brasil, eISSN 1981-1322.
 
 

 Licença Creative Commons
Está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.