Ensino de estatística: estudantes de licenciatura em Pedagogia discutem em ambiente virtual a experiência de aplicar sequências didáticas

Auriluci Carvalho Figueiredo

Resumo


Este estudo analisa como as sequências de ensino que envolvem conceitos de estatística básica podem contribuir na formação docente de estudantes de licenciatura em pedagogia. Para tanto, estudantes de um curso de licenciatura em pedagogia na modalidade a distância (alguns dos quais já atuavam como professores da educação básica ou já tinham contato com alunos durante estágio) aplicaram sequências de ensino que contemplavam conteúdos básicos da estatística a alunos das séries iniciais do Ensino Fundamental em escolas de educação básica. Os resultados foram analisados sob a ótica de Shulman, que categoriza os conhecimentos do professor ligados ao conteúdo matemático – dos quais destacamos os conhecimentos específicos e pedagógicos necessários à docência nas séries iniciais do Ensino Fundamental – e também sob o conceito de letramento estatístico de Gal, quanto a conteúdos estatísticos. Analisaram-se os relatos dos estudantes sobre suas experiências, disponibilizados em fórum virtual. A análise permitiu vislumbrar possibilidades de reflexão sobre a prática compartilhada entre alunos de licenciatura em pedagogia.


Palavras-chave


Ensino de estatística; Ensino fundamental; Educação a distância

Texto completo:

PDF/A

Referências


Associação Brasileira de Educação a Distância. (2017). Censo EAD Brasil 2016: Relatório analítico da aprendizagem a distância no Brasil. Curitiba: Intersaberes. Retirado em 10 de janeiro, 2019, de: http://abed.org.br/censoead2016/Censo_EAD_2016_portugues.pdf

Batanero, C. (2013). Sentido estadístico: componentes y desarrollo. In Actas de las Primeras Jornadas Virtuales en Didáctica de la Estadística, Probabilidad y Combinatoria (pp. 55-61). Granada (Espanha): SEIEM. Retirado em 30 de janeiro, 2019, de: https://www.ugr.es/~batanero/pages/ARTICULOS/Sentidoestad%C3%ADstico.pdf

Brasil. (1997). Ministério da Educação e do Desporto. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais: primeiro e segundo ciclos do ensino fundamental: matemática. Brasília: MEC-SEF. Retirado em 20 de janeiro, 2019, de: http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/livro03.pdf

Brasil. (2017). Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular. Brasília: MEC. Retirado em 10 de janeiro, 2019, de: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/wp-content/uploads/2018/12/BNCC_19dez2018_site.pdf

Campos, C. N. V. B., & Novais, E. S. (2010). Jogos e brincadeiras para ensinar e aprender probabilidade e estatística nas séries iniciais do ensino fundamental. In Anais do 10.o Encontro Nacional de Educação Matemática (ENEM). Salvador: SBEM. Retirado em 20 de janeiro, 2019, de: http://www.lematec.net.br/CDS/ENEM10/artigos/MC/T2_MC1938.pdf

Cazorla, I. M. (2015). O ensino de estatística no Brasil. Retirado em 20 de janeiro, 2019, de: http://www.sbem.com.br/gt_12/arquivos/cazorla.htm

Figueiredo, A. C., & Costa, M. (2018). Perspectives in teaching statistics in a pedagogy course in DE. In M. A. Sorto, A. White, & L. Guyot (Eds.), Looking back, looking forward: Proceedings of the Tenth International Conference on Teaching Statistics (ICOTS10). Voorburg (The Netherlands): International Statistical Institute. Retirado em 20 de janeiro, 2019, de: https://iase-web.org/icots/10/proceedings/pdfs/ICOTS10_C142.pdf

Flora, D. P. D., Jacobi, L. F., & Kessler, A. L. de F. (2011). Aperfeiçoamento do ensino de estatística nos anos iniciais do ensino fundamental através de metodologias alternativas. Revista Conexão (Ponta Grossa), 7, 168-173. Disponível em: http://www.revistas2.uepg.br/index.php/conexao/article/view/3714/2668

Gal, I. (2002). Adults’ statistical literacy: meanings, components, responsibilities. International Statistical Review, 70(1), 1-25. Disponível em: https://iase-web.org/documents/intstatreview/02.Gal.pdf

Oliveira, L. M., & Bello, M. K. (2011). Ideias estatísticas na formação de professores das séries iniciais. In Anais da 13.a Conferência Internacional de Educação Matemática. Recife: CIAEM. Retirado em 22 de janeiro, 2019, de: https://ciaem-redumate.org/ocs/index.php/xiii_ciaem/xiii_ciaem/paper/viewFile/1959/309

Oliveira Júnior, A. P., & Vieira, M. L. (2016). A educação estatística nos anos iniciais do ensino fundamental: estado da arte. Revista Triângulo (Uberaba), 8, 33-52. Disponível em: http://seer.uftm.edu.br/revistaeletronica/index.php/revistatriangulo/article/view/1410/3

Ribeiro, S. D. (2010). As pesquisas sobre o ensino da estatística e da probabilidade no período de 2000 a 2008: uma pesquisa a partir do banco de dados da CAPES (Dissertação de mestrado profissional em ensino da matemática). Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo. Retirado em 22 de janeiro, 2019, de: https://tede.pucsp.br/bitstream/handle/10837/1/Silverio%20Domingos%20Ribeiro.pdf

Shulman, L. S. (1986). Those who understand: knowledge growth in teaching. Educational Researcher, 15(4), 4-14. Disponível em: http://www.fisica.uniud.it/URDF/masterDidSciUD/materiali/pdf/Shulman_1986.pdf

Souza, A. C. C. (2008). A educação estatística na infância. In Anais do XII Encontro Brasileiro de Estudantes de Pós-graduação em Educação Matemática. Retirado em 22 de janeiro, 2019, de http://www2.rc.unesp.br/eventos/matematica/ebrapem2008/upload/114-1-A-Microsoft%20Word%20-%20gt9_souza_tc.pdf

Vaz, M. F. R. (2009). Os padrões internacionais para a construção de material educativo on-line. In F. M. Litto, & M. M. M. Formiga (orgs.), Educação a distância: o estado da arte (pp. 386-394). São Paulo: Pearson Education do Brasil.




DOI: https://doi.org/10.5007/1981-1322.2019.e62770

Indexadores, diretórios e base de dados:

                                                                     

 

REVEMAT: R. Eletr. Educ. Mat., UFSC/MTM/PPGECT, Florianópolis, SC, Brasil, eISSN 1981-1322.
 
 

 Licença Creative Commons
Está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.