Constituição dos saberes da formação profissional no curso de licenciatura em Matemática para o ensino de estatística

Willian Damin, Guataçara dos Santos Junior, Rudolph dos Santos Gomes Pereira

Resumo


O objetivo deste presente artigo é apresentar as contribuições da oferta de um Projeto de Ensino de Estatística para a Educação Básica na formação inicial de professores de Matemática para a constituição dos saberes da formação profissional. O Projeto de Ensino de Estatística foi ofertado na modalidade presencial com carga horária total de 36 aulas de 50 (cinquenta) minutos cada, utilizadas para leitura de textos na área da Educação Estatística, realizar tarefas estatísticas, construir/analisar materias didáticos para o ensino de Estatística e Probabilidade, as competências estatísticas e o seu desenvolvimento na Educação Básica, realização de projetos de investigação estatística, confecção do memorial e narrativas de aprendizagem. Para a análise dos dados pautou-se na análise textual discursiva, que, permitiu categorizar os dados e interpretá-los de acordo com as falas dos licenciandos. Analisa-se a subcategoria Saberes provenientes da formação profissional e as suas unidades: saberes pedagógicos do conteúdo; saberes das ciências da educação/conhecimento de teorias e princípios educacionais e saberes do contexto educacional. As análises indicaram que os licenciandos demonstram conhecer formas de como abordar a Estatística e Probabilidade na Educação Básica e fazem referência ao contexto escolar. Definem e indicam aproximações das teorias pertencentes à Educação Estatística com o ensino e a aprendizagem.


Palavras-chave


Formação inicial em Matemática; Educação estatística; Projeto de ensino de estatística

Texto completo:

PDF/A

Referências


Albuquerque, L. C., & Gontijo, C. H. (2013). A complexidade da formação do professor de matemática e suas implicações para a prática docente. Espaço Pedagógico, v. 20, n. 1, p. 76-87, jan./jun. Recuperado de http://www.upf.br/seer/index.php/rep/article/view/3508/2293

Almeida, P. C. A., & Biajone, J. (2007). Saberes docentes e formação inicial de professores: implicações e desafios para as propostas de formação. Educação e Pesquisa, v. 33, n. 2, p. 281-295, mai/ago. Recuperado de http://www.scielo.br/pdf/ep/v33n2/a07v33n2.pdf

American Statistical Association. (2005). Guidelines for Assessment and Instruction in Statistics Education (GAISE) Report: A Pre-K-12 Curriculum Framework. Alexandria, 2005. Recuperado de http://www.amstat.org/education/gaise/GAISEPreK12_Intro.pdf

Azcárate G. P., Cardeñoso, J. M., & Pórlan, R. (1998). Concepciones de futuros professores de primaria sobre la noción de aleatoriedade. Enseñanza de las Ciências, Barcelona, v. 16, n. 1, p. 85-9.

Borges, C. M. F., & Tardif, M. (2001). Apresentação. In: Educação & Sociedade – Dossiê: Os saberes dos docentes e sua formação. Campinas (SP), v. 22, n. 74, p. 11-26.

Brasil. Ministério da Educação (2001). Conselho Nacional de Educação. Parecer nº 9, de 08 de maio de 2001. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação de Professores da Educação Básica, em nível superior, curso de licenciatura, de graduação plena. Brasília, DF, p. 1-70, 2001. Recuperado de http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/009.pdf

Brasil. (2015). Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Resolução nº 2, de 01 de julho de 2015. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação Inicial e Continuada em Nível Superior de Profissionais do Magistério para a Educação Básica. Brasília, DF, p. 1-78.

Burgess, T. A. (2007). Investigating the nature of teacher knowledge needed and used in teaching statistics. Thesis (Doctorate in Education) - Massey University, Palmerston North, Nova Zelândia. Recuperado de https://iase-web.org/documents/dissertations/07.Burgess.Dissertation.pdf

Campos, C. R. (2007). A Educação estatística: uma investigação acerca dos aspectos relevantes à didática da estatística em cursos de graduação. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Estadual Paulista, Rio Claro (SP), 2007.

Campos, C. R, et al. (2011). Educação Estatística no Contexto da Educação Crítica. Bolema, Rio Claro (SP), v. 24, n. 39, p. 473-494, ago.

Campos, C. R., Wodewotzki, M. L. L., Jacobini, O. (2011). Educação estatística: teoria e prática em ambientes de modelagem matemática. Belo Horizonte: Autêntica.

Cavalcante, J. L., Andrade, V. L. V. X., & Régnier, J. (2016). O conceito de probabilidade na formação docente: uma reflexão apoaida pela análise estatística implicativa. VIDYA, Santa Maria (RS), v. 36, n. 2, p. 441-455, jul./dez.

Cazorla, I. M. (2002). A relação entre a habilidade viso-pictórica e o domínio de conceitos estatísticos na leitura de gráficos. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas. Campinas.

Costa, A. (2007). A Educação Estatística na formação do professor de Matemática. Dissertação (Mestrado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade São Francisco. Itatiba.

Costa, A., Nacarato, A. M. (2011). A Estocástica na Formação do Professor de Matemática: percepções de professores e de formadores. Bolema, Rio Claro (SP), v. 24, n. 39, p. 367–386.

Cyrino, M. C. C. T. (2007). Preparação e emancipação profissional na formação inicial do professor de Matemática. In: A. M. Nacarato, & M. A. V. Paiva. (Eds). A formação do professor que ensina Matemática: pesquisas e perspectivas. (pp. 77-88).

Lopes, C. A. (2003). O conhecimento profissional dos professores e suas relações com estatística e probabilidade na educação infantil. Tese (Doutorado em Educação). Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas. Campinas (SP).

Lopes, C. A. (2008). O Ensino da Estatística e da Probabilidade na Educação Básica e a Formação dos Professores. Cad. Cedes, Campinas, vol. 28, n. 74, p. 57-73, jan./abr. Recuperado de http://www.cedes.unicamp.br

Lopes, C. A. (2013). Educação Estatística no Curso de Licenciatura em Matemática. Bolema, Rio Claro (SP), v. 27, n. 47, p. 901-915, dez.

Pamplona, A. S., Carvalho, D. L. (2009). O Ensino de Estatística na Licenciatura em Matemática: a inserção do licenciando na comunidade de prática dos professores de Matemática. Bolema, Rio Claro (SP), Ano 22, nº 32, 2009, p. 47-60.

SHULMAN, L. (1986). Those who understand: knowledge growth in teaching. Educational Researcher, Washington (EUA), v. 15, n. 2, p. 4-14.

Tardif, M. (2014). Saberes docentes e formação profissional. 17. ed. Petrópolis, RJ: Vozes.




DOI: https://doi.org/10.5007/1981-1322.2019.e62793

Indexadores, diretórios e base de dados:

                                                                     

 

REVEMAT: R. Eletr. Educ. Mat., UFSC/MTM/PPGECT, Florianópolis, SC, Brasil, eISSN 1981-1322.
 
 

 Licença Creative Commons
Está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.