Mapeamento do uso do geoGebra no ensino de estatística

Fernando Gonzales Tavares, Celi Espasandin Lopes

Resumo


Neste artigo apresenta-se um levantamento de dados obtido no banco de teses e dissertações da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), disponíveis através de documentos de origem da Plataforma Sucupira de 2013 a março de 2019. Este mapeamento refere-se à produção de dissertações e teses com foco no ensino da Estatística com o uso do software GeoGebra no Ensino Fundamental, Médio e Superior. Utilizando a palavra “Geogebra”, foram encontrados 1030 registros e, após refinar a busca, usando operadores booleanos com o descritor “GeoGebra AND (Estatística OR Probabilidade)”, o número diminuiu para 657 registros, dos quais somente 16 trabalhos, relacionavam, em seu resumo, a pesquisa com o ensino de Estatística ou Probabilidade. Como resultado, constatou-se existirem poucas pesquisas de mestrado e somente uma de doutorado voltada para o uso do software GeoGebra no ensino de Estatística, embora a aplicação do software no estudo de funções e geometria tenha sido foco na maioria dos 1030 trabalhos analisados.


Palavras-chave


Estatística; Ensino; Aprendizagem; Software; GeoGebra

Texto completo:

PDF/A

Referências


Ara, A. B. (2006). O ensino de Estatística e a busca do equilíbrio entre os aspectos determinísticos e aleatórios da realidade. (Tese de doutorado) – Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, São Paulo.

ASA (2016) GAISE. College Report Revision Committee. Guidelines for Assessment and Instruction in Statistics Education College Report. Disponível em: http://www.amstat.org/education/gaise

Brignol, S. M. S. (2004). Novas tecnologias de informação e comunicação nas relações de aprendizagem da Estatística no Ensino Médio. (Monografia Especialização em Educação Estatística). Faculdades Jorge Amado, Salvador.

Carvalho, C. & César, M. (2000). As aparências iludem: reflexões em torno de ensino da estatística no ensino básico. Lisboa: Sociedade Portuguesa de Estatística, Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa.

Coutinho, C. Q. S., Almouloud, S. & Da Silva, M. J. F. (2012). O desenvolvimento do letramento estatístico a partir do uso do Geogebra: um estudo com professores de matemática. Revemat: Revista Eletrônica de Educação Matemática. doi: https://doi.org/10.5007/1981-1322.2012v7n2p246

Ferreira, N. S. de A. (2002) As pesquisas denominadas “estado da arte”. Educação & Sociedade. v.23 (79), pp. 257-272.

GEOGEBRA. (2016). What is GeoGebra? In: Putting the world’s leading dynamic mathematics software and materials in the hands of students and teachers everywhere. Disponível em https://www.geogebra.org/about

Gracio, M. C. C.; Oliviera, E. F. T. (2005) O ensino de Estatística na UNESP/Campus de Marília. Educação Matemática em Revista, v. 17, pp. 9-15.

Lei nº 9.394, de 1996. (1996). Lei de Diretrizes e Bases para a Educação Nacional. Brasília: MEC. Disponível em: http://www.presidencia.gov.br/ccivil_03/Leis/L9394.htm

Lopes, C. E. (2013). Educação Estatística no Curso de Licenciatura em Matemática. Bolema, v. 27(47), pp. 901-915.

Mantovani, D. M. N. & Viana, A. B. N. (2004). Ensino de Estatística para cursos de graduação em Administração de Empresas: novas perspectivas. In: Anais VII Seminário de Administração FEA-USP.

http://sistema.semead.com.br/7semead/

Romanowski, J. P.& Ens, R. T. (2006). As pesquisas denominadas do tipo “estado da arte” em Educação. Diálogo Educ., v. 6 (19), pp.37-50.

Silva, J. F. & Schimiguel, J. (2016). Problem-based learning, Educação Estatística e Educação a Distância: um estudo teórico sobre possíveis convergências no ensino superior. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, v. 7(3), pp.38-2016.

Silva JR, G. B. (2014). O ensino de Estatística na Formação inicial do engenheiro de produção. (Tese de Doutorado em Ensino de Ciências e Matemática) – Universidade Cruzeiro do Sul, São Paulo.

Tavares, F. G. & Lopes, C. E. (2017, julho). Estudo da Viabilidade de Uso do Software GeoGebra no Ensino de Estatística. In Anais Congresso Iberoamericano de Educación Matemática (pp.14-22). Madrid, Espanhã. Disponível em: http://www.cibem.org/images/site/LibroActasCIBEM/ComunicacionesLibroActas_CB401-500.pdf.




DOI: https://doi.org/10.5007/1981-1322.2019.e62800

Indexadores, diretórios e base de dados:

                                                                     

 

REVEMAT: R. Eletr. Educ. Mat., UFSC/MTM/PPGECT, Florianópolis, SC, Brasil, eISSN 1981-1322.
 
 

 Licença Creative Commons
Está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.