O campo conceitual da média aritmética: uma primeira aproximação conceitual

Irene Maurício Cazorla, Eurivalda Ribeiro dos Santos Santana, Miriam Cardoso Utsumi

Resumo


A média aritmética é uma das medidas resumo mais importante da Estatística e aparentemente é um conceito prosaico, porém para sua apropriação é preciso explicitar sua complexidade, tanto do ponto de vista de seu significado, quanto da rede de conceitos, propriedades, representações e multiplicidade de situações nas quais ela pode ser encontrada e situações nas quais requer cuidados para sua utilização. Neste trabalho apresentamos uma primeira aproximação do campo conceitual da média aritmética, ancorados na Teoria dos Campos Conceituais, a partir da sistematização dos resultados das pesquisas envolvendo este conceito. Esta aproximação se limita ao conceito de média aritmética no campo empírico e não envolve a média de variáveis aleatórias, pois o foco é servir de base para seu ensino na Educação Básica. Assim, explicitamos a rede de conceitos, operações e propriedades que formam os Invariantes (I); as Representações (R) (verbal, numérica, algébrica, gráfica e pictórica), bem como as Situações (S) que dão sentidos diferenciados ao conceito. Distinguimos três classes de média: a simples que implica na soma de todos os valores dividido pelo número de dados; a agregada, quando não se conhece os valores originais, mas apenas o todo e, nesse caso, recorremos a razão entre duas grandezas e a média ponderada. Na média ponderada distinguimos três subclasses, a média ponderada genuína, onde os pesos são resultado de valoração; a média ponderada pela frequência com dois tipos, valores pontuais e marca de classe; e, a média ponderada para encontrar a média geral a partir de médias parciais.


Palavras-chave


Campo conceitual; Média aritmética; Educação Básica

Texto completo:

PDF/A

Referências


Amaral, F. M. (2010). Validação de sequência didática para (re)construção de conhecimentos estatísticos por professores do ensino fundamental. Dissertação de Mestrado, Pontifícia Universidade Católica, São Paulo, SP, Brasil.

Andrini, A. & Vasconcellos, M. J. (2015). Praticando Matemática 6. 4. ed. São Paulo: Editora do Brasil.

Araújo, J. R. A. (2018). Atividade para o estudo das Medidas de Tendência Central: uma proposta com o apoio do Geogebra. Dissertação de Mestrado, Pontifícia Universidade Católica, São Paulo, SP, Brasil.

Batanero, C. (2000). Significado y comprensión de las medidas de posición central. Uno: Revista de Didáctica de las Matemáticas, 25, 41-58.

Brasil. (1997). Parâmetros Curriculares Nacionais: Matemática. Brasília: Ministério da Educação e do Desporto/ Secretaria de Ensino Fundamental.

Brasil. (2017). Base Nacional Comum Curricular. Brasília: Ministério da Educação/ Secretaria da Educação Básica.

Carvalho, J. I. F. (2011). Média aritmética nos livros didáticos dos anos finais do Ensino Fundamental. Dissertação Mestrado. Universidade Federal de Pernambuco, Pernambuco, PE, Brasil.

Cobo, B. (2003). Significados de las medidas de posición central para los estudiantes de secundaria. Tesis Doctoral. Universidad de Granada, España.

Cobo, B. & Batanero, C. (2004a). Razonamiento numérico en problemas de promedios. Suma 45, 79-86.

Cobo, B. & Batanero, C. (2004b). Significado de la media en los libros de texto de secundaria. Enseñanza de las ciencias,22(1), 5-18.

Lemos, M. P. F. (2011). O desenvolvimento profissional de professores do 1º ao 5º ano do Ensino Fundamental em um processo de formação para o ensino e a aprendizagem das Medidas de Tendência Central. Tese de Doutorado, Pontifícia Universidade Católica, São Paulo, SP, Brasil.

Lopes, C. E.; Coutinho, C. Q. S. & Almouloud, S. A. (Orgs.). (2010). Estudos e Reflexões em Educação Estatística. Campinas: Mercado das Letras.

Melo, M. C. M. (2010). Fazendo média: compreensões de alunos e professores dos anos iniciais do Ensino Fundamental. Dissertação de Mestrado. Universidade Federal de Pernambuco, Pernambuco, PE, Brasil

Mokros, J. & Russell, S. J. (1995). Children's concepts of average and representativeness. Journal for Research in Mathematics Education, 26, 20-39.

Novaes, D. V. (2004). A mobilização de conceitos estatísticos: estudo exploratório com alunos de um curso de Tecnologia em Turismo. Dissertação de mestrado. Pontifícia Universidade Católica, São Paulo, SP, Brasil.

Novaes, D. V. (2011). Concepções de professores da Educação Básica sobre variabilidade estatística. Tese de doutorado. Pontifícia Universidade Católica, São Paulo, SP, Brasil.

Strauss, S. & Bichler, E. (1988). The development of children’s concepts of the arithmetic average. Journal for Research in Mathematics Education, 19(1), 64-80.

Vergnaud, G. (1983). Multiplicative structures. In: Lesh R., Landau M.(eds.). Acquisition of mathematics concepts and operations processes. (p. 127-174). New York: Academic.

Vergnaud, G. (1990). La théorie des champs conceptuels. Recherches en Didactique des Mathématiques, Grenoble,10( 23), 133-170.

Vergnaud, G. (1994). Multiplicative conceptual field: what and why? In: Guershon, H. e Confrey, J. (Eds.). The development of multiplicative reasoning in the learning of mathematics. (p. 41-59). New York.: State University of New York Press.

Vergnaud, G. (1996). A Teoria dos Campos Conceituais. In: J. Brun. Didáctica das matemáticas. (p. 155-19). Tradução por Maria José Figueiredo. Lisboa: Instituto Piaget.

Viali, L. (2010, July). The teaching of statistics and probability in mathematics undergraduate courses. In: C. Reading (Ed.). Data and context in statistics education: Towards an evidence-based society. Proceedings of the International Conference on Teaching Statistics -ICOTS, Ljubljana, Slovenia, Voorburg, 8.

Zequim, A. de M. (2012). O uso do Avale-EB para a aprendizagem de Estatística no Ensino Médio. Dissertação de Mestrado. Universidade Bandeirante de São Paulo, São Paulo, SP, Brasil.




DOI: https://doi.org/10.5007/1981-1322.2019.e62827

Indexadores, diretórios e base de dados:

                                                                     

 

REVEMAT: R. Eletr. Educ. Mat., UFSC/MTM/PPGECT, Florianópolis, SC, Brasil, eISSN 1981-1322.
 
 

 Licença Creative Commons
Está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.