Tratamento da informação no nono ano do Ensino Fundamental: uma experiência a partir da tabela nutricional do biscoito cream cracker

Regiany Diorio da Conceição, Lauro Chagas e Sá, Ícaro Chiabai, Victor Augusto Giraldo

Resumo


Diversas pesquisas no campo da Educação Matemática têm apontado que o ensino da Estatística e da Probabilidade contribui no desenvolvimento da capacidade crítica e da autonomia de indivíduos para que exerçam plenamente sua cidadania. Nesse contexto, apresentamos uma experiência de ensino, resultado parcial um projeto de pesquisa cujo objetivo é compreender as potencialidades da Educação Estatística para a compreensão de informações nutricionais, considerando o eixo da saúde como tema transversal para o Ensino Fundamental. O presente artigo, em especial, procura suscitar reflexões acerca de uma experiência com estudantes de nono ano de uma escola pública do Espírito Santo. Durante as seis aulas acompanhadas, no período de 01 a 14 de novembro de 2018, registramos observações do comportamento dos alunos, a interação entre os estudantes e os questionamentos suscitados. Além disso, as atividades desenvolvidas durante a sequência foram recolhidas para análise das resoluções de cada aluno. Ao final desta experiência, observamos que a atividade favoreceu a aprendizagem dos alunos em relação à Estatística, principalmente em função do tema em destaque. Por fim, concluímos que a realização dessa atividade possibilitou o amadurecimento dos estudantes, levando-os a pensar de forma crítica acerca da sua alimentação, principalmente no que toca o consumo de alimentos industrializados.

Palavras-chave


Educação Estatística; Tratamento da informação; Medidas de tendência central; Ensino Fundamental

Texto completo:

PDF/A

Referências


Abeso – Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica (2015). Quase 60% dos brasileiros estão acima do peso, revela IBGE. Recuperado de http://www.abeso.org.br/noticia/quase-60-dos-brasileiros-estao-acima-do-peso-revela-pesquisa-do-ibge

Bianchini, D. F.; Bisognin, C. & Soares, D. da S. (2015). Uma proposta didática para o ensino de estatística: o uso do Excel para representação gráfica. RENOTE - Revista Novas Tecnologias na Educação, 13 (02). Recuperado de https://seer.ufrgs.br/renote/article/view/61431

Brasil. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. (1998). Parâmetros Curriculares Nacionais (PCN). Terceiro e Quarto Ciclo do Ensino Fundamental. Apresentação dos Temas Transversais. Secretária de Educação Fundamental. Brasília: MEC/SEF. Recuperado de http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/saude.pdf

Brasil. Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). (2003). Resolução Anvisa nº 360. Estabelece o regulamento técnico sobre rotulagem nutricional de alimentos embalados. Recuperado de http://portal.anvisa.gov.br/documents/33880/2568070/res0360_23_12_2003.pdf/5d4fc713-9c66-4512-b3c1-afee57e7d9bc

Brasil. Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). (2005). Rotulagem Nutricional Obrigatória: Manual de orientação às indústrias de alimentos. Recuperado de http://portal.anvisa.gov.br/documents/33916/389979/Rotulagem+Nutricional+Obrigat%C3%B3ria+Manual+de+Orienta%C3%A7%C3%A3o+%C3%A0s+Ind%C3%BAstrias+de+Alimentos/ae72b30a-07af-42e2-8b76-10ff96b64ca4

Castro, J. B. de & Castro Filho, J. A. C. de (2015). Desenvolvimento do pensamento estatístico com suporte computacional. Educação Matemática em Pesquisa, 17 (5), 870-896. Recuperado de https://revistas.pucsp.br/index.php/emp/article/view/24999

Cazorla, I.; Magina, S.; Gitirana, V. & Guimarães, G. (2017). Estatística para os Anos Iniciais do Ensino Fundamental. Brasília: Sociedade Brasileira de Educação Matemática – SBEM. Recuperado de http://www.sbem.com.br/files/ebook_sbem.pdf

Guimarães, G. (2013). Estatística nos anos iniciais de escolarização. In K. S. Smole & C. A. Muniz (Eds). A Matemática na sala de aula: reflexões e propostas para os anos iniciais do ensino fundamental, (pp.88-107). Edition: Penso.

Lopes, C. E. (2008). O Ensino da Estatística e da Probabilidade na Educação Básica e a Formação dos Professores. Caderno Cedes, Campinas, 28 (74), janeiro/abril, 57-73. Recuperado de http://www.scielo.br/pdf/ccedes/v28n74/v28n74a05.pdf

Nascimento, J. B. de S. (2013). O estudo da geometria espacial por meio da construção de sólidos com materiais alternativos. Lajeado. UNIVATES.

Silva, D. C. de A.; Frazão, I. da S.; Osório, M. M. & Vasconcelos, M. G. L. de. (2015). Percepção de adolescentes sobre a prática de alimentação saudável. Ciência & Saúde Coletiva, 20(11), 3299-3308. Recuperado de http://www.scielo.br/pdf/csc/v20n11/1413-8123-csc-20-11-3299.pdf

Silva, J. G.; Teixeira, M. L. O. & Ferreira, M. A. (2014). Alimentação na adolescência e as relações com a saúde do Adolescente. Texto & contexto Enfermagem, Florianópolis, 23 (4), 1905-1103. Recuperado de http://www.scielo.br/pdf/tce/v23n4/pt_0104-0707-tce-23-04-01095.pdf

Souza, L. O.; Lopes, C. E.; Souza, A. C. (2015). Os delineamentos metodológicos nas investigações brasileiras em Educação Estatística. Revista Perspectivas da Educação Matemática, 8 (número temático), 506-525. Recuperado de http://seer.ufms.br/index.php/pedmat/article/view/1461




DOI: https://doi.org/10.5007/1981-1322.2019.e62872

Indexadores, diretórios e base de dados:

                                                                     

 

REVEMAT: R. Eletr. Educ. Mat., UFSC/MTM/PPGECT, Florianópolis, SC, Brasil, eISSN 1981-1322.
 
 

 Licença Creative Commons
Está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.