Noção de função quadrática na transição entre a educação básica e o ensino superior

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/1981-1322.2020.e70233

Palavras-chave:

Função quadrática, Teoria antropológica do didático, Livros didáticos

Resumo

Este artigo tem como objetivo analisar a noção de função quadrática comparando as relações institucionais, pessoais esperadas e existentes, representadas pela abordagem desenvolvida em três livros didáticos: um das séries finais do Ensino Fundamental, um do Ensino Médio e o da disciplina de Matemática Instrumental para alguns cursos de Engenharia. Além disso, são analisadas as expectativas institucionais analisadas por meio da macroavaliação Sistema de Avaliação de Rendimento Escolar dos Estudantes do Estado de São Paulo (SARESP). Trata-se de uma pesquisa qualitativa que utiliza o método documental, que se apoia na Teoria Antropológica do Didático, de Chevallard. As abordagens teóricas em termos de quadros e mudança de Douady, níveis de conceituação e de conhecimento definidos por Robert e pontos de vista segundo Rogalski complementam o referencial teórico. Desse modo, foi definida, a priori, uma grade com as categorias de análise dos tipos de tarefas sobre função quadrática que podemos encontrar na transição entre a Educação Básica e o Ensino Superior. Este estudo possibilitou identificar quais conhecimentos sobre a noção de função quadrática podem ser considerados como conhecimentos prévios mobilizáveis ou disponíveis para os estudantes que iniciam o curso de Engenharia, o que pode ajudar na proposição de novas formas de trabalho com esses estudantes.

Biografia do Autor

Mariana da Silva Nogueira Ribeiro, UNIAN

Doutorando em Educação Matemática pela UNIAN, Mestra em Educação em Ciências e em Matemática pela UTFPR, Licenciada em Matemática pela UEPG.

Marlene Alves Dias, Unian

Possui graduação em Matemática bacharelado e licenciatura pela Pontificia Universidade Catolica de São Paulo (1978), graduação em Física bacharelado e licenciatura pela Pontificia Universidade Catolica de São Paulo (1976), mestrado em DEA Didactique des Disciplines - opçaõa matemática pela Universidade Denis Diderot (1994), mestrado em Educação Matemática pela Pontificia Universidade Catolica de São Paulo (1992) e doutorado em Matemática - Didática da Matemática pela Universidade Denis Diderot (1998).

Helenara Regina Sampaio Figueiredo, Unopar

É doutora em Educação para a Ciência e a Matemática pela Universidade Estadual de Maringá (UEM - PR). Mestre em Ensino de Ciências e Educação Matemática pela Universidade Estadual de Londrina (UEL - PR). Possui Licenciatura em Ciências e em Matemática pela Universidade Estadual do Norte do Paraná (UENP - PR) e Especialização em Educação Matemática. 

Referências

Azzolini, A. S. (2012). A noção de função quadrática na transição entre os ensinos fundamental, médio e superior (Dissertação de Mestrado em Educação Matemática), Universidade Bandeirante de São Paulo, São Paulo.

Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas. (2012). Sinopses da Educação Superior, 2010-2000. Brasília: lNEP.

Chaves, A. P. (2016). Análise em termos de contextos, de organizações matemáticas e didáticas propostas em livros didáticos de ensino médio (Dissertação de Mestrado em Educação Matemática), Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo.

Chevallard, Y. (1992). Conceptsfondamentaux de ladidactique: perspectives apportées par une approcheanthropologique. Recherches em didactiquedesMathématiques. v.12(1), 73-112.

Chevallard, Y. (1994). Ostensifset non-ostensifsdansl’activitémathématique. Recuperado de http://yves.chevallard.free.fr/.

Chevallard, Y. (1997). Analysedes pratiques enseignantesetdidactiquedesMathématiques: L’approcheAnthropologique. Recuperado de http://yves.chevallard.free.fr/spip/spip/article.php3?id_article=27

Chiacchio, R. S. (2016). Matemática Instrumental. Londrina: Editora e Distribuidora Eduacional S.A.

Dante, L. R. (2018). Matemática: Contexto & Aplicações. São Paulo: Ática.

Dante, L. R. (2019). ProjetoTeláris: Matemática. São Paulo: Ática.

Dias M. A.(1998).Problèmes d’articulation entre points de vue “cartésien” et “paramétrique” dansl’enseignement de l’algèbrelinéaire (Thèse de Doctorat), Université Paris 7, Paris.

Douady, R. (1984). Jeux de cadreetdialectiqueoutilobjetdansl’enseignementdesmathématiques, (Thèse de Doctorat), Université Paris 7, Paris.

Lüdke, M. & andré, M. E. A. (2013). Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. São Paulo: EPU.

Manzan, A. P. A. (2014). A apropriação dos conceitos de função afim e quadrática por estudantes de cursos de engenharia, (Dissertação de Mestrado em Educação), Universidade de Uberaba, Minas Gerais.

Robert, A. (1997). Niveaux de conceptualization etenseignementsecondaire. In J.L. Dorier, G. Harel, J. Hillel, M.

Rogalski, J. Robinet, A. Robert, A. Sierpinska& al. (Eds), L’enseignement de l’algèbrelinéaireen question. (pp. 149-157), Grenoble: La PenséeSauvageÉditions.

Robert, A. (1998). Outilsd’analysedescontenusmathématiques à enseigneraulycéeet à l’université. RecherchesenDidactiquedesMathématiques.v. 18(2), 139-190.

Rogalski, M. (2001). Leschangements de cadredansla pratique desmathématiques et lejeu de cadres de RégineDouady. In: Actes de lajournée em hommage à RégineDouady.(pp.13 -30), Paris: IREM Paris 7.

Rogalski, M. (2013). Quelques points surl’histoireetl’epistemologiedesfonctions, pouvanteclairercertainesquestionsdidactiquessurleurenseignement.Jornal Internacional de Estudos em Educação Matemática, v. 6(1),147-169.

Santos, J. B. (2017). O conceito de Função Quadrática nos Livros Didáticos do Ensino Médio. Uma análise praxeológica das atividades propostas. Dissertação (Mestrado em Educação em Ciências e em Matemática), Universidade Federal de Pernambuco, Pernambuco.

São paulo. SARESP: Sistema de Avaliação de Rendimento Escolar do Estado de São Paulo, 2010, 2011, 2012, 2013, 2104, 2015, 2016, 2017, 2018.Secretaria da Educação do Estado de São Paulo – SEE/SP. Recuperado de https://www.educacao.sp.gov.br/consulta-saresp.html.

Downloads

Publicado

2020-07-21

Edição

Seção

Artigos