A didática profissional: ambiente de formação e ambiente de trabalho

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/1981-1322.2020.e74038

Palavras-chave:

Didática profissional, Professor de matemática, Ambiente de formação, Ambiente de trabalho

Resumo

A Didática Profissional teve sua origem na França, surgindo no final dos anos de 1990, tendo como finalidade a compreensão e o desenvolvimento profissional de adultos, envolvendo o ambiente de formação e o ambiente de trabalho. No Brasil, a Didática Profissional surgiu nas pesquisas de Alves (2018a; 2018b; 2018c;2018d; 2019a; 2019b). Objetivou-se com esse estudo apresentar uma breve reflexão acerca do desenvolvimento profissional, envolvendo o ambiente de formação e o ambiente de trabalho, visando avaliar a importância da DP na/para a formação do professor de matemática que atua na educação básica. Para tanto, apresentou-se uma reflexão teórica sobre a temática a partir de pesquisas já realizadas sobre o tema, e mostrou-se algumas reflexões sobre as relações da DP na prática pedagógica de sala de aula de matemática escolar. Realizou-se buscas em bancos de dados de periódicos nacionais e internacionais sobre o tema para dar maior vazão a nossa investigação. Também apurou-se depoimentos de sujeitos in lócus de formação. Os artigos selecionados, bem como, os depoimentos, proporcionaram maior reflexão sobre as análises, e possibilitaram inferir que sem a dialética entre a relação do ambiente de formação e do ambiente de trabalho, o docente se afasta da realidade de sua didática. Considerando esse tema relevante, almejou-se propor ampliar essa discussão em nível científico mais aprofundado.

Biografia do Autor

Haiani Larissa de Souza Mendes, Instituto Federal de Ciência e Tecnologia do Ceará - IFCE/Fortaleza

Mestranda no Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências e Matemática pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará (IFCE/Fortaleza). Graduada em Pedagogia pela Universidade Federal do Ceará.

Francisco Régis Vieira Alves, Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do estado do Ceará/ IFCE.

Possui doutorado com ênfase no ensino de Matemática (UFC - 2011). Atualmente é professor titular do Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do estado do Ceará/ IFCE do curso de Licenciatura em Matemática e Bolsista de Produtividade em Pesquisa do CNPq. Atua também no Mestrado Profissional em Ensino de Ciências e Matemática (ENCIMA) - UFC. Coordenador do Programa de Pós Graduação em Ensino de Ciências e Matemática - PGECM/IFCE (acadêmico).

Maria José Costa dos Santos, Universidade Federal do Ceará - UFC.

Professora no Curso de Pedagogia(FACED/UFC). Pesquisadora e orientadora nos programas de pós-graduação em educação - (PPGE/UFC), e Mestrado profissional em ensino de Ciências e Matemática - (ENCIMA/UFC). Coordenadora da Linha de Pesquisa Educação, Currículo e Ensino(LECE/PPGE), e coordenadora do Programa de Formação de professores da Universidade Federal do Ceará.

Referências

Acioly-Régnier, N. M. & Monin, N. (2009). Da teoria dos campos conceituais à didática profissional para a formação de professores: contribuição da psicologia e da sociologia para a análise de práticas pedagógicas. Educação Unisinos, v. 13(1), 5-15.

Almouloud, S. A. & Coutinho, C. (2008). Engenharia Didática: características e seus usos em trabalhos. REVEMAT–Revista Eletrônica de Educação Matemática, v. 3(6), 62-77.

Alves, F. R. V. & Catarino, P. M. M. C. (2019). Situação Didática Profissional: um exemplo de aplicação da Didática Profissional para a pesquisa objetivando a atividade do professor de Matemática no Brasil. Indagatio Didactica, v. 11(1), 103-129.

Alves, F. R. V. & Jucá, S. C. S. (2019). Trabalho e competência do professor de matemática: um ponto de vista a partir da didática profissional. EDUCA - Revista Multidisciplinar em Educação, v. 6(14), 103-123.

Alves, F. R. V. (2018a). Didactique Professionnelle (DP) et la Théorie des Situations Didactiques (TSD): le cas de la notion d'obstacle et l´activité de professeur. Acta Didactica Naposcencia, v. 11(2), 105-120.

Alves, F. R. V. (2018b). The professional didactics (PD) and didactics of sciences (DS) in Brazil: some implications for the professionalization of the science teacher. Em Teia, v. 9(3), 01-26.

Alves, F. R. V. (2018c). Didactique des Mathématique et la Didactique Professionnelles (DP): une proposition de complementarité et formation des enseignants au Brésil. Imagens da Educação, v. 8(3), 01-17.

Alves, F. R. V. (2018d). Didactique Professionnelles (DP): une perspective d´application au travail du professeur de mathématiques. REVEMAT–Revista Eletrônica de Educação Matemática, v. 13(2), 184-209.

Alves, F. R. V. (2019a). Didactique professionnelle (DP) et la théorie des situations didactiques (TSD): une perspective de complémentarité au Brésil. Diálogo Educacional, v. 19(60), 328-361.

Alves, F. R. V. (2019b). A vertente francesa de estudos da didática profissional: Implicações para a atividade do professor de matemática. Vydia, v. 39(1), 255-275.

Ferreira, F. G. (2013). A Dialética Hegeliana: uma tentativa de compreensão. Revista Estudos Legislativos, v. 7(7), 167-184.

Gruber C., Allain O. & Wollinger P. (2019). Didática profissional: princípios e referências para a Educação Profissional. Florianópolis: Publicações do IFSC.

Lakatos, E. M. & Marconi, M. A. (1991). Metodologia Científica. São Paulo: Atlas S.A.

Leplat, J. (1997). Regards sur l’activité. Paris: PUF.

Margolinas, C. & Drijvers, P. (2015). Didactical engineering in France; an insider’s and an outsider’sview on its foundations, its practice and its impact. ZDM Mathematics Education, 1(47), 893 – 903.

Morin, E. (2003). Os sete saberes necessários à educação do futuro. São Paulo: Cortez Editora/UNESCO.

Pastré, P. (2002). L’analyse du travail en didactique professionnelle. Revue Française de Pédagogie, v. 138, 9-17.

Pastré, P., Mayen, P. & Vergnaud, G. (2006). La didactique professionnelle. Revue Française de Pédagogie, v.154, 145-198.

Piaget, J. (1947). La représentation du monde chez l’enfant. Paris: PUF.

Santos, M. J. D. (2015, maio). A formação do Pedagogo para o ensino de Matemática nos anos iniciais do ensino fundamental: Reflexões dedutivas e epistemológicas. In: Anais do XIV Conferência Interamericana de Educação Matemática-CIAEM. Chiapas, México: Conferência Interamericana de Educação Matemática. Recuperado de: http://xiv.ciaem-redumate.org/index.php/xiv_ciaem/xiv_ciaem/paper/viewFile/1379/530

Souza, M. T., Silva, M. D. & Carvalho, R. (2010). Revisão integrativa: o que é e como fazer. Einstein, v. 8(1), 102-106.

Vergnaud, G. (1996). A teoria dos campos conceituais. In Brun, J. (Org.). Didáctica das matemáticas. (pp. 155-191). Lisboa: Instituto Piaget.

Vinatier, I. & Pastré, P. (2007). Organisateurs de la pratique et/ou de l’activité enseignante, Recherche et formation, v. 56, 95-108.

Weill-Fassina, A. & Pastré, P. (2004). Les compétences professionnelles et leur développement. In Falzon, P. Ergonomics. (pp. 213 a 231). Paris: PUF.

Downloads

Publicado

2020-10-05

Edição

Seção

Artigos