Teses e Dissertações sobre o Ensino e a Aprendizagem da Combinatória: Perspectivas Investigativas

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/1981-1322.2021.e79022

Palavras-chave:

Combinatória, Ensino e Aprendizagem, Perspectivas Investigativas

Resumo

Este artigo tem por objetivo apresentar os resultados de um levantamento bibliográfico de teses e dissertações defendidas no Brasil de 2015 a 2019 no âmbito do ensino e da aprendizagem da combinatória visando a identificar as perspectivas investigativas dessas produções. Buscou-se, desse modo, ampliar a compreensão do espaço investigativo sobre o ensino e aprendizagem da combinatória na escola básica e apontar caminhos para futuras pesquisas sobre esse tema. Por ser esse um bibliográfico, de caráter inventariante e descritivo, ele se insere no rol das pesquisas denominadas estado da arte. Assim, foram analisadas cinquenta e cinco produções:  duas teses de doutorado; dez dissertações de mestrado acadêmico; quarenta e três dissertações de mestrado profissional, das quais, trinta e três eram provenientes do Mestrado Profissional em Matemática em Rede Nacional – PROFMAT. As análises dessas produções levaram à identificação de cinco perspectivas investigativas: propostas de ensino e/ou sequências didáticas para a análise combinatória; documentos curriculares e livros didáticos em que a análise combinatória está presente; a formação de professores e a análise combinatória; recursos para o ensino da análise combinatória; estratégias de resolução de problemas combinatórios. Destaca-se que se optou por considerar as dissertações defendidas no âmbito PROFMAT em separado, em razão de suas particularidades.

Biografia do Autor

Carlos Eduardo de Campos, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo - PUC-SP

Sonia Barbosa Camargo Igliori, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo - PUC-SP

Referências

Almouloud, S. & Silva, M. J. F. (2019) Construção do referencial teórico de uma pesquisa educacional. In: G. P. Oliveira. Pesquisa em Educação Matemática - um olhar sobre a metodologia (pp. 49-79). Curitiba: CRV.

Borba, R. E. S. R. (2016). ANTES QUE SEJA TARDE : aprendendo Combinatória desde o início da escolarização. Em Teia | Revista de Educação Matemática e Tecnológica Iberoamericana - ISSN: 2177-9309, 7(1), 1–17.

Borba, R. E.S. R., Rocha, C. de A., & Azevedo, J. (2015). Estudos em Raciocínio Combinatório: investigações e práticas de ensino na Educação Básica TT . Bolema: Boletim de Educação Matemática, 29(53), 1348–1368. http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-636X2015000301348&lang=pt%0Ahttp://www.scielo.br/pdf/bolema/v29n53/1980-4415-bolema-29-53-1348.pdf

Duro, M. L., & Becker, F. (2015). Análise Combinatória: do método aleatório à combinatória sistemática. Educação & Realidade, 40(3), 859–882. https://doi.org/10.1590/2175-623641714

English, L. D. (1988). Young children’s competence in solving novel combinatorial problems. Unpublished Ph.D. dissertation, University of Queensland, Australia.

Espindola, E. B. de M. (2019). Análise combinatória: recursos de um professor em diferentes níveis de sua atividade. Educação Matemática Pesquisa : Revista Do Programa de Estudos Pós-Graduados Em Educação Matemática, 21(5), 289–299. https://doi.org/10.23925/1983-3156.2019v21i5p289-299

Ferreira, N. S. de A. (2002). As pesquisas denominadas “estado da arte.” Educação & Sociedade, 23(79), 257–272. https://doi.org/10.1590/s0101-73302002000300013

Fischbein, E. (1975). The intuitive sources of probabilistic thinking in children. Dordrecht, Holland: D. Reidel Pub. Co.

Gea, M. M., Batanero, C., & Venegas, A. (2019). Práxis Práxis. Revista Praxis Eduacional, 15(n. 33), 208–232.

Marim, V., & Souza, A. B. (2015). Os Livros Didáticos De Matemática : Concepção Do Professor Do Ensino Médio Nas Escolas Públicas Textbooks Math : Designing the High School Teacher. Revisda de Educação, Ciências e Matemática, v.5(n.2), 111–124.

Pessoa, C. A. S., & Borba, R. E. S. R. (2010). O Desenvolvimento Do Raciocínio Combinatório Na Escolarização Básica. Em Teia | Revista de Educação Matemática e Tecnológica Iberoamericana - ISSN: 2177-9309, 1(1), 1–22.

Piaget, J. & Inhelder, B. (1951). A origem da ideia do acaso na criança. Rio de Janeiro: Record.

Placha, K. C., & Moro, M. L. F. (2009). Problemas de produto cartesiano, raciocínio combinatório e intervenção do professor. Psicologia: Teoria e Pesquisa, 25(1), 007–017. https://doi.org/10.1590/S0102-37722009000100002

Rocha, C. D. A., Lima, A. P. B. de, & Borba, R. E. de S. R. (2015). Conhecimentos de Professores para Ensinar Combinatória : Contribuições de Pesquisas. VI Seminário Internacional de Pesquisa Em Educação Matemática, November, 1–13.

Roldán, H., Batanero, C., & Beltrán, P. (2018). El diagrama de árbol: un recurso intuitivo en Probabilidad y Combinatoria. Épsilon: Revista de Educación Matemática, 100 (January 2018), 49–63. https://thales.cica.es/epsilon/sites/thales.cica.es.epsilon/files/epsilon100_8.pdf

Sabo, R. D. (2010). Saberes Docentes: A análise combinatória no Ensino Médio. (Dissertação de Mestrado em Educação Matemática). Pontifícia Universidade Católica de São Paulo-PUC-SP. São Paulo.

Silva, M. C., & Pessoa, C. A. dos S. (2015). a Combinatória: Estado Da Arte Em Anais De Eventos Científicos Nacionais E Internacionais Ocorridos No Brasil De 2009 a 2013. Educação Matemática Pesquisa, 17(4), 670–693.

Trouche, L., Gueudet, G., & Pepin, B. (2020). A abordagem documental do didático Luc Trouche , Ghislaine Gueudet & Birgit Pepin Adaptção ao português : Cibelle Assis e Katiane Rocha Revisor : Sonia Igliori. Encyclopedia of Mathematics Education. https://hal.archives-ouvertes.fr/DAD- MULTILINGUAL

Downloads

Publicado

2021-03-09

Edição

Seção

Artigos