Educação Financeira: uma análise das definições e concepções de alunos do ensino superior

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/1981-1322.2022.e86950

Palavras-chave:

Educação Financeira, Letramento Financeiro, Competência Crítica, Competência Comportamental

Resumo

A partir de 2018, após a publicação da Base Nacional Comum Curricular, houve um aumento expressivo de pesquisas acadêmicas sobre a Educação Financeira. No entanto há a necessidade de trabalhos que investiguem as definições de Educação Financeira e apontem suas diferentes vertentes (letramento, crítica e comportamental). Nessa linha, este texto tem como objetivo analisar as diferentes concepções sobre Educação Financeira de alunos do Ensino Superior. Os dados foram coletados em uma turma de 22 alunos que cursavam uma disciplina optativa de Educação Financeira oferecida em uma instituição  particular de Ensino Superior da cidade de São Paulo e organizados e analisados empregando-se a técnica do Discurso do Sujeito Coletivo. As análises indicam que os estudantes associam a Educação Financeira ao desenvolvimento de duas competências, o letramento e a comportamental. Porém, uma concepção é prevalente, ou seja, apareceu de maneira mais enfática, que é a relacionada a vertente comportamental da Educação Financeira, pois os dados mostram que os alunos esperam aprender um comportamento, seja ele relacionado com a organização ou posicionamento sobre finanças. Nosso estudo também mostrou que as diferentes competências se completam, e que desenvolvimento de uma competência pode levar mais facilmente ao desenvolvimento da outra.

Biografia do Autor

Andréa Pavan Perin, UNESP - Universidade Estadual Paulista

 Doutora em Educação Matemática pela Universidade Estadual Paulista UNESP/Rio Claro - Professora de Estatística no ensino superior e de matemática no nível médio. https://wwws.cnpq.br/cvlattesweb/PKG_MENU.menu?f_cod=6D1AA9DA800EEB071A51284C2B3FA242

Celso Ribeiro Campos, Pontifícia Universidade Católica São Paulo - PUC/SP

Doutor em Educação Matemática. Professor do Programa de Estudos Pós-Graduados em Educação Matemática da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP). São Paulo, Brasil

Referências

Balacheff, N. (1995). Conception, connaissance et concept. In: D. GRENIER (Ed.), Séminaire de l'équipe DidaTech. Grenoble: IMAG, p. 219-244.

Bauman, Z. (2008). Vida para o consumo: a transformação das pessoas em mercadoria. 1. ed. Rio de Janeiro: Zahar.

Bauman, Z. (2010). Vida a crédito: conversas com Citlali Rovirosa-Madrazo. 1. ed. Rio de Janeiro: Zahar.

Brasil. (2018). Base Nacional Comum Curricular. Brasília: Ministério da Educação. Recuperado de: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/

Campos, C. R. (2020). Aprofundando o estudo sobre a vertente comportamental da educação financeira. In C. R. CAMPOS, & C. de Q. S. COUTINHO. (orgs.), Educação Financeira no contexto da Educação Matemática. (pp.53-79).Taubaté/SP: Akademy.

Campos, C. R. (2016). Towards critical statistics education: theory and practice. Saarbrücken/Germany: Lambert Academic Publishing.

Campos, C. R., & Coutinho, C. Q. S. (2019). O juro real no contexto da educação financeira crítica. TANGRAM. Recuperado de: https://redib.org/Record/oai_articulo2761960-o-juro-real-contexto-da-educa%C3%A7%C3%A3o-financeira-cr%C3%ADtica

Campos, C. R., Coutinho, C. Q. S., & Figueiredo, A. C. (2019). A vertente comportamental na Educação Financeira. Recuperado de: https://e-revista.unioeste.br/index.php/rebecem/article/view/22614

Campos, C. R., & Figueiredo, A. C. (2020). Letramento Financeiro no contexto do juro real na educação financeira crítica. In C.R. CAMPOS, & C. de Q. S. COUTINHO. (Eds), Educação Financeira no contexto da Educação Matemática (pp.189-218). Taubaté: Editora Akademy.

Campos, C. R., & Perin, A. P. (2020, fevereiro). Educación financiera en la escuela primaria. In Anais do X Congreso Internacional Sobre Enseñanza De Las Matemáticas (pp. 240-248). Lima, Peru: Congreso Internacional sobre Enseñanza se las Matemáticas. Recuperado de: https://repositorio.pucp.edu.pe/index/handle/123456789/171568

Campos, C. R., & Perin, A. P. (2021). A educação financeira e a educação estatística em projetos de modelagem. In: M. A. Kistemann Jr., M. Rosa & D. C. Orey (orgs.), Educação financeira: olhares, incertezas e possibilidades (pp. 231-260). Taubaté/SP: Akademy.

Chiavenato, I. (2014) Comportamento Organizacional: A Dinâmica Do Sucesso Das Organizações. São Paulo: Manole.

Coutinho, C. Q. S., & Almouloud. S. A. (2020). Letramento financeiro e o perfil de professores que ensinam matemática na escola básica. In: C. R. Campos & C. Q. S. Coutinho (orgs.). Educação financeira no contexto da educação matemática: pesquisas e reflexões (pp. 77-106). Taubaté/SP: Akademy.

Coutinho, C. Q. S., & Campos, C. R. (2018). Perspectiva em Didática e Educação Estatística e Financeira: reflexões sobre convergências entre letramento matemático, matemática, letramento estatístico e letramento financeiro. In G. P. OLIVEIRA (Eds), Educação Matemática: epistemologia, didática e tecnologia (pp.143-180). São Paulo: Editora Livraria da Física.

Ferreira, M. M. M. G., Duarte, A. C. S., Sampaio, J., Magalhães, D. V., & Ferreira, L. R. F. N. Conhecimento, habilidades e atitudes (cha) e gestão por competências: um estudo de caso na faculdade da Amazônia. Brazilian Journal of Development. Recuperado de: https://brazilianjournals.com/ojs/index.php/BRJD/article/view/5576

Freitas, B. G., & Moreira, V. G. (2021) Empréstimos & financiamentos: uma proposta para o ensino de sistemas de amortização no ensino médio. EM TEIA, 12 (2), UFPE. Recuperado de: https://periodicos.ufpe.br/revistas/emteia/article/view/250338

Giordano, C. C. (2020). Concepções sobre estatística: um estudo com alunos do ensino médio. Tese (Doutorado em Educação Matemática). São Paulo: PUC-SP.

Hartmann, A. L. B. & Maltempi, M. V. (2021). A abordagem da educação financeira na educação básica sob o ponto de vista de docentes formadores de futuros professores de matemática. EM TEIA, 12 (2), UFPE. Recuperado de: https://periodicos.ufpe.br/revistas/emteia/article/view/250363/pdf_1

Kistemann Junior, M. A. (2020). Economização, capital humano e literacia financeira na ótica instrumental da OCDE e da ENEF. In: C. R. Campos & C. Q. S. Coutinho (orgs.). Educação financeira no contexto da educação matemática: pesquisas e reflexões (pp. 15-52).Taubaté/SP: Akademy.

Kuntz. E. R. (2019). A matemática financeira no ensino médio como fator de fomento da educação financeira: resolução de problemas e letramento financeiro em um contexto crítico. Dissertação (Mestrado em Educação Matemática). São Paulo: PUC-SP.

Lefreve, F., & Levrefe, A. M. C. (2005) Discurso do sujeito coletivo: representações sociais e intervenções comunicativas. Texto Contexto Enferm . Recuperado de: https://www.scielo.br/j/tce/a/wMKm98rhDgn7zsfvxnCqRvF/?format=pdf&lang=pt

Melo, D. M. B., & Lima, I. M. (2011). A simetria de reflexão: concepções mobilizadas por alunos brasileiros. In: XIII Conferência Interamericana de Educação Matemática, Anais […]. Recife: UFPE.

Novaes, D. V. (2011) Concepções de professores da educação básica sobre variabilidade estatística. Tese (Doutorado em Educação Matemática). São Paulo: PUC-SP.

Peréz Goméz, A. (2011). Competência ou pensamento prático? A construção dos significados de representação e ação. In A. PERÉZ GOMÉZ, J.B.M. RODRÍGUEZ, J.T. SANTOMÉ, F.A.RASCO, J.M.A MÉNDEZ. (Eds), Educar por competências: o que há de novo? (pp.64-114). Porto Alegre: Artmed.

Perin, A. P., & Campos, C. R. (2021). Educação Financeira: uma possibilidade de integração com a Educação Estatística. ReviSem. Recuperado de: https://seer.ufs.br/index.php/ReviSe/article/view/14544.

Sacristán, J. G. Dez teses sobre a aparente utilidade das competências em educação. In A. PERÉZ GOMÉZ, J. B. M. RODRÍGUEZ, J. T. SANTOMÉ, F. A. RASCO, J. M. A MÉNDEZ. (Eds.), Educar por competências: o que há de novo? (pp.13-63). Porto Alegre: Artmed.

Downloads

Publicado

2022-08-23

Edição

Seção

Artigos