Ensino Politécnico da Tradução em Macau

Maria de Lurdes Nogueira Escaleira, Rosa Bizarro

Resumo


O presente artigo “ENSINO SUPERIOR POLITÉCNICO DA TRADUÇÃO EM MACAU” tem como objetivo refletir sobre o ensino/aprendizagem da Tradução Chinês/Português, em Macau, e o papel que o ensino superior politécnico tem desempenhado na formação de tradutores. 

Macau vive, desde há mais de quatro séculos, sob o signo do contacto intercultural e interlinguístico em que o Português e o Chinês, hoje línguas oficiais, têm convivido e obrigado a um esforço de tradução, assumindo-se, atualmente, como uma plataforma importante do diálogo entre a República Popular da China e os Países de Língua Portuguesa.
Apesar de várias tentativas, só em 1991 é criado o ensino superior público de Macau e o curso de Tradução, tendo a formação de tradutores, com mais de um século de história, estado, até essa data, a cargo de um departamento governamental.
Em conformidade, iremos abordar as várias propostas curriculares que têm vindo a ser implementadas no Instituto Politécnico de Macau com o objetivo de formar tradutores que sirvam de “intermediários” entre as línguas e as culturas distintas, Portuguesa e Chinesa, que estão presentes no quotidiano de Macau e cujo campo de influência se tem vindo a alargar, atendendo ao aumento significativo da procura de tradutores/intérpretes devidamente preparados.


Palavras-chave


tradução; tradutor; ensino superior; currículo; língua; cultura

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/2175-7968.2013v1n31p155



Cadernos de Tradução, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. ISSN 2175-7968.