ABC das traduções brasileiras do Ulysses de James Joyce

Fábio Aristimunho Vargas

Resumo


Ulysses (1922), de James Joyce, é considerada uma obra especialmente desafiadora para os tradutores, tendo em vista a variedade de estilos, técnicas narrativas e jogos de palavras empregada pelo autor. As três traduções brasileiras até o momento publicadas, de Antônio Houaiss, Bernardina da Silveira Pinheiro e Caetano Galindo, ilustram a diversidade de caminhos que o trabalho tradutório pode empreender, com diferentes ênfases em valores como literalidade, reprodução dos procedimentos formais e inteligibilidade pelo leitor, o que o cotejo de fragmentos dessas traduções aqui empreendido permitirá entrever.

Palavras-chave


Ulysses; James Joyce; Traduções brasileiras

Texto completo:

PDF/A

Referências


JOYCE, James. Ulises. Traducido por J. Salas Subirat. Buenos Aires: Santiago eda, [s.d.].

______. Ulisses. Tradução de Antônio Houaiss. São Paulo: Abril Cultural, 1980.

______. Ulisses. Tradução de Antônio Houaiss. São Paulo: Record; Altaya, 1997].

______. Ulisses. Tradução de Bernardina da Silveira Pinheiro. Rio de Janeiro: jetiva, 2005.

______. Ulysses. Tradução de Caetano Waldrigues Galindo. 1. ed. São Paulo: nguin Classics; Companhia das Letras, 2012.

______. Ulysses. In: The Literature Network. Disponível em: . Acesso em: ago. 2010.

______. Ulysses. Oxford; New York: Oxford University Press, 1998.

RIBEIRO, Milton. Anotações sobre sexo no Ulysses de Joyce (Primeira parte e três, quatro ou mais). Publicado em 2 out. 2012. In: ______. Improvisações obre literatura, música, cinema ou qualquer coisa, principalmente. Disponível m: . esso em: 3 jan. 2017.




DOI: https://doi.org/10.5007/2175-7968.2018v38n2p163



Cadernos de Tradução, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. ISSN 2175-7968.