Sobrevivência e renovação: Esopo, Fedro e La Fontaine

Autores

  • Juan Manuel Terenzi Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil
  • Telma Scherer Centro de Artes, Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC). Florianópolis, Santa Catarina, Brasil

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7968.2018v38n2p97

Palavras-chave:

Esopo, Fedro, La Fontaine

Resumo

Este artigo aborda o percurso de três fábulas atribuídas a Esopo, e que foram traduzidas ao latim por Fedro e ao francês por La Fontaine. Inicialmente, efetuamos um breve percurso histórico a fim de acompanhar o nascimento desse gênero já na Antiguidade. Em seguida, nos dedicamos à análise das fábulas “A raposa e as uvas”, “O cão e o pedaço de carne” e “A raposa e a máscara” nas três línguas, com o intuito de verificar possíveis continuidades e mudanças que renovam a persistência do gênero nas diversas temporalidades.

Biografia do Autor

Juan Manuel Terenzi, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil

Juan Manuel Terenzi é graduado em Engenharia Química (2007) e Letras Espanhol (2011). Mestre em Literatura (2014). Possui experiência como tutor EaD no curso de Letras Espanhol. Atualmente cursa o último semestre de Filosofia, com trabalho de conclusão sobre os jogos de linguagem em Wittgenstein, e é aluno de doutorado (CNPq) no programa de Pós graduação em Literatura, sob orientação da professora Dra. Liliana Reales. É membro ativo e pesquisador do Núcleo Onetti.

Telma Scherer, Centro de Artes, Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC). Florianópolis, Santa Catarina, Brasil

Professora substituta no Centro de Artes da UDESC/SC, na área de Introdução à Linguagem Pictórica. Pos-doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Artes Visuais da UDESC, com supervisão de Raquel Stolf, com pesquisa intitulada "Entre o vento e o peso da página". Doutora em Teoria Literária (UFSC), com doutorado-sanduíche na Universidade do Porto (orientação de Rosa Maria Martelo/Instituto de Literatura Comparada Margarida Losa, 2015 financiado pela CAPES/PDSE). Membro da equipe do LabFLOR - Laboratório Floripa em Composição Transdisciplinar: Arte, Cultura e Política, coordenado por Tereza Virginia de Almeida, orientadora do doutorado. A tese intitulada "A performance ressoa no poema: corpografias de Ricardo Aleixo" foi defendida em fevereiro de 2016. Mestra em Literatura Comparada pela UFRGS (2003), com orientação de Kathrin Rosenfield, com a dissertação "Exercícios do tempo: Dias Felizes e Esperando Godot, de Samuel Beckett; O Marinheiro, de Fernando Pessoa". Licenciada (2004) e bacharela (2000) em Filosofia pela UFRGS, com iniciação científica em Aristóteles, orientada por Marco Zingano. Trabalho de Conclusão de Curso: "Sófocles na Ética a Nicômaco: problemas da Antígona e do Philoctetes". Bacharela em Artes Visuais (UDESC/CEART), 2016. Trabalho de Conclusão de Curso: "Acúmulo e desintegração: palavra no vento e corpo no mundo". Poeta, performer e ministrante de oficinas criativas, com experiências no campo da arte e cultura, em eventos do SESC-SC, SESC-RS, Bienal do Mercosul, programação cultural da livraria Saraiva e Prefeitura de Porto Alegre, entre outros. Publicou três livros de poesia: Desconjunto (Porto Alegre: Instituto Estadual do Livro, 2002), Rumor da casa (Rio de Janeiro: 7 Letras, 2008) e Depois da água (Florianópolis: Nave, 2014).

Referências

ALMEIDA, Napoleão Mendes de. Gramática Latina: curso único e completo. São Paulo: Saraiva, 2011.

ARISTOPHANES. Aristophanes Comoediae, ed. F.W. Hall and W.M. Geldart, vol. 2. F.W. Hall and W.M. Geldart. Oxford: Clarendon Press, 1907.

ARISTOTLE. Ars Rhetorica. Translated by W. D. Ross. Oxford. Clarendon Press. 1959.

BAILLY, A. Dictionnaire Grec-Français. Paris: Librairie Hachette, 1950.

BENJAMIN, Walter. “Sobre o conceito de História”. In.: Magia e técnica, arte e política: ensaios sobre literatura e história da cultura. (Obras escolhidas volume I). Tradução de Sérgio Paulo Rouanet. São Paulo: Brasiliense, 1994, pp. 222-232.

CECCARELLI, Lucio. Prosodia y métrica del Latín Clásico. Con una introducción a la métrica griega. Traducción de Rocío Carande. Sevilla: Universidad de Sevilla, 1999.

ÉSOPE (Texte établi et traduit par Émile Chambry, 1927). Fables. Paris: Les Belles Lettres, 1967.

FILÓSOFOS PRESOCRÁTICOS. Fragmentos II. Traducción de Ramón Cornavaca. Buenos Aires: Losada, 2009.

FIRMINO, Nicolau. Tradução literal das fábulas de Fedro. São Paulo: Livraria Lusitana, 1941.

GAFFIOT, Félix. Dictionnaire Illustré Latin-Français. Paris: Librairie Hachette, 1934.

HERODOTUS. The Histories - with an English translation by A. D. Godley. Cambridge: Harvard University Press. 1920.

LA FONTAINE, Jean de. Fables. Paris: Flammarion, 1995.

NEVES, Márcia Seabra. “Fábulas na ágora: De Aristóteles ao século das Luzes”. Matraga. Rio de Janeiro, v. 20, nº33 jul./dez. 2013, 137-158. ONG, Walter J. Oralidade e cultura escrita: tecnologias da palavra. Trad. Enid Abreu Dobránsky. Campinas: Papirus, 1998.

PERNIOLA, Mario. “Animali quasi saggi, animali quasi pazzi”. Scienza & Filosofia. Napoli: Università degli studi di Napoli Federico II, nº7, pp.11-26, junho de 2012.

PHAEDRI (Augusti Liberti). Fabulae Aesopiae. Con note italiane del Prof. Francesco Cantarella. Roma: Casa Editrice Dante Alighieri, 1928.

PHAEDRUS. Fabulae Aesopiae. Ed. L. Mueller. Leipzig: B. G. Teubner, 1876.

PLATÃO. Fédon. Porto Alegre: Globo, 1955.

Downloads

Publicado

2018-05-11