Tradução da Bíblia Hebraica em dez versões brasileiras

Osvaldo Luiz Ribeiro

Resumo


O objetivo do artigo é, com foco em quatro passagens, analisar dez diferentes versões brasileiras da Bíblia Hebraica. As quatro passagens analisadas nas dez versões são 1 Re 22,21 e Sl 53,3.5.7. O exercício constituiu-se das seguintes etapas: seleção de dez representativas versões vernaculares da Bíblia Hebraica, escolha das passagens a serem comparadas, tradução das passagens da Bíblia Hebraica, análise das passagens nas versões, da Bíblia Hebraica e da tradução autoral. O resultado revelou que, com apenas uma ou outra variada exceção, as versões cometem sistematicamente e em conjunto os mesmos tipos de desvios na tradução do texto hebraico. Uma vez que as passagens escolhidas não apresentam dificuldades significativas ao tradutor/intérprete, levantam-se hipóteses indiciárias para a explicação do resultado, como, por exemplo, pressões de ordem teológica operando no processo de tradução.

 


Palavras-chave


Tradução; Bíblia hebraica; Exegese; 1 Re 22,21; Sl 53,3.5.7

Texto completo:

PDF

Referências


Bíblias

NOVA BÍBLIA PASTORAL. São Paulo: Paulus, 2014.

BÍBLIA SAGRADA. Tradução da CNBB, com introduções e notas. São Paulo: Ave Maria, Loyola, Salesiana, Paulus, Paulinas; Aparecida: Santuário e Petrópolis: Vozes, 2001.

A BÍBLIA DE JERUSALÉM. São Paulo: Paulus, 1985.

A BÍBLIA SAGRADA. Traduzida em português por João Ferreira de Almeida. Revista e atualizada no Brasil. 2 ed. Barueri: SBB, 1993.

A BÍBLIA SAGRADA. Versão revisada da tradução de João Ferreira de Almeida, de acordo com os melhores textos em hebraico e grego. São Paulo: Candeia; Rio de Janeiro, IBB, 2000.

BÍBLIA SAGRADA. Nova Versão Internacional. São Paulo: Sociedade Bíblia Internacional, 2000.

BÍBLIA DO PEREGRINO. São Paulo: Paulus, 2002.

BÍBLIA. Mensagem de Deus. São Paulo: Loyola, 1989.

BÍBLIA. Tradução ecumênica. 2 ed. São Paulo: Loyola, 1995.

Bibliografia

ALONSO-SCHÖKEL, L. Dicionário bíblico hebraico-português. Trad. De Ivo Storniolo e José Bortolini. São Paulus: Paulus, 1997.

ALONSO-SCHÖKEL, L. e CARNITI, C. Salmos I. Salmos 1-72. Trad. De João Rezende Costa. São Paulo: Paulus, 1996.

AUBERT, F. H. Modalidades de tradução: teoria e resultados. TradTerm, v. 5, n. 1, 1998, p. 99-128.

AUERBACH, E. A cicatriz de Ulisses, In: AUERBACH, E. Mimesis. A representação da realidade da literatura ocidental. 6 ed. Vários tradutores. São Paulo: Perspectiva, 2013.

BARR, J. “Determination” and the Definite Article in Biblical Hebrew. Journal of Semitic Studies, v. 34, n. 2, 1989, p. 307-335.

COHEN, H. R. Biblical hapax legomena in the light of Akkadian and Ugarit. Ann Arbor: Scholars Press, 1978.

GALLOIS, D. Traduções e aproximações indígenas à mensagem cristã. Cadernos de Tradução, v. 2, n. 30, 2012, p. 63-82.

GUEDES, C. P. da S., RODRIGUES, R. R. e MOZZILLO, I. F. Modalidades de tradução: uma investigação do conto traduzido “Dez de Dezembro”. Cadernos de Tradução, v. 37, n. 2, 2017, p. 80-100.

HAMORI, E. J. The Spirit of Falsehood. The Catholic Biblical Quaterly, n. 72, 2010, p. 15-30.

HARRIS, g. h. Does God deceive? “Deluding influence” of Second Thessalonians 2:11. The Master’s Seminary Journal, n. 16, v. 1, 2005, p. 73-93.

KRAUS, H. Los Salmos. Volumen I. Salmos 1-59. Trad. de Constantino Ruiz-Garrido. Salamanca: Sígueme, 2009.

LAFFEY, a. l. 1 e 2 Reis. In: BERGANT, D. e KARRIS, R. J. (org). Comentário Bíblico. I. Introdução. Pentateuco. Profetas Anteriores. 3 ed. Trad. Ivo Storniolo. São Paulo: Loyola, 1999, p. 273-292.

KHAN, G. (ed). Encyclopedia of Hebrew Language and Linguistics. V. 3. P-Z. Leiden: Brill, 2013.

KOEHLER, L. e BAUMGARTNER, W. The Hebrew and Aramaic lexicon of the Old Testament. V. III: פ – שׂ. Transl. by M. E. J. Richardson. Leiden: Brill, 1996.

LINVILLE, J. R. Israel in the Book of Kings. The Past as a Project of Social Identity. Sheffield: Sheffield Academic Press, 1998.

LONG, J. C. 1 & 2 Kings. Joplin: College Press, 2002.

MAYHUE, R. L. False prophets and the deceiving spirit. The Master’s Seminary Journal, n. 4, v. 2, 1993, p. 135-163.

METZGER, B. M. Persistent problems confronting Bible translators. Bibliotheca Sacra, n. 150, 1993, p. 273-284.

NEVES, M. H. de M. e LOPES, M. M. M. Texto bíblico e “tradução”: a “voz divina” no plano humano da coenunciação. Cadernos de Tradução, v. 36, n. 2, 2016, p. 205-236.

REIMER, H. Sobre economia do Antigo Israel e no espelho de textos da Bíblia Hebraica. In: RICHTER REIMER, Ivoni (Ed.). Economia no mundo bíblico. Enfoques sociais, históricos e teológicos. São Leopoldo: Sinodal; Cebi, 2006, p. 7-32.

RIBEIRO, O. L. Bünê ´ädäm. Os “filhos de Adão” na Bíblia Hebraica. Reflexus, v. 5, n. 6, 2011, p. 145-161.

ROMANELLI, S., MAFRA, A. e DE SOUZA, R. D. Pedro II tradutor. Análise do processo criativo. Cadernos de Tradução, v. 2, n. 30, 2002, p. 101-118.

SHEAD, S. L. Radical Frame Semantics and Biblical Hebrew. Exploring Lexical Semantics. Leiden: Brill, 2012.

SOCIEDADE BÍBLICA DO BRASIL. Princípios de tradução. Disponível em http://www.sbb.org.br/a-biblia-sagrada/principios-de-traducao.

STEFANINK, B. e BĂLĂCESCU, I. The hermeneutical approach in translation studies. Cadernos de Tradução, v. 37, n. 3, 2017, p. 21-52.

TOV, E. Textual Criticism of the Hebrew Bible. 3 ed. Minneapolis: Fortress Press, 2012.

TREBOLLE BARRERA, J. A Bíblia judaica e a Bíblia cristã. Trad. de Ramiro Mincato. 2 ed. Petrópolis: Vozes, 1999.

VAN DER MERWE, C. H. J., NAUDÉ, J. A. e KROEZE, J. H. A biblical Hebrew reference grammar. Sheffield: Sheffield Academic Press, 1999.

WEISER, A. Os Salmos. Trad. Ivo Storniolo. São Paulo: Paulus, 1994.




DOI: https://doi.org/10.5007/2175-7968.2018v38n3p68



Cadernos de Tradução, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. ISSN 2175-7968.