E se Jó não se arrependeu? A tradução de Jó 42,6

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7968.2021.e71254

Palavras-chave:

Jó, Livro de Jó, Jó 42,6, Jack Miles, Tradição

Resumo

O artigo avalia se a tradução que Jack Miles postula para Jó 42,6 deve ser considerada melhor do que a tradução tradicional. Nos termos das traduções tradicionais de Jó 42,6, Jó se arrepende e se retrata de suas palavras, ao passo que, nos termos da tradução de Jack Miles, Jó não se arrepende nem se retrata, e, diante da manifestação de um deus que ele descobre como insensível, o personagem exprime profunda pena pelo “barro mortal”. Com base no texto hebraico de Jó 42,6, o artigo avalia que, em termos gramaticais, tanto a tradução tradicional quanto a de Miles são adequadas, e concluir que a de Miles é preferível em relação à tradicional porque ela funciona melhor em termos de coerência com a estratégia narrativa do Livro de Jó.

Biografia do Autor

Osvaldo Luiz Ribeiro, Faculdade Unida de Vitória

Pós-Doutor em Ciências da Religião (UFJF). Doutor em Teologia (PUC-Rio). Professor e coordenador do Mestrado Profissional em Ciências das Religiões da Faculdade Unida de Vitória,

Referências

Abangiba, Amore Gregory. Experience of suffering as a way to a deeper knowledge of God. An Analysis of Job 42:1-6. A Thesis of Master of Art in Theology. Nairobi: Tangaza University College and University of Duquesne, 2014.

A Bíblia Sagrada. Testamento e Novo Testamento. Versão revisada da tradução de João Ferreira de Almeida. De acordo com os melhores textos em hebraico e grego. Rio de Janeiro: Imprensa Bíblia Brasileira, 1992.

Alonso-Schökel, Luís. Bíblia do Peregrino. Tradução do texto bíblico de Ivo Storniolo e José Bortolini. São Paulo: Loyola, 2002.

Alonso-Schökel, Luís. Dicionário bíblico hebraico-português. Tradução de Ivo Storniolo e José Bortolini. São Paulo: Paulus, 1997.

Brueggemann, W. Teologia do Antigo Testamento. Testemunho, disputa, defesa. São Paulo: Paulus; Santo André: Academia Cristã, 2014.

Cabrera, Isabel. “Kafka a través de Job, Job a través de Kafka”. Topicos del Seminario. 22 (2009): 157-174. 29/01/2020 http://www.scielo.org.mx/pdf/tods/n22/n22a7.pdf.

Clines, David J. A (Ed.). The dictionary of classical Hebrew. Volume V. Sheffield: Sheffield Academic Press, 2001.

Comellas, Pere. “Autoria contra tradução ou tradução contra autoria: Milan Kundera, Jorge Luís Borges e o fim do indivíduo”. Cadernos de Tradução. Portal de Periódicos da UFSC. 2.24 (2009): 9-30. 28/01/2020. DOI: https://doi.org/10.5007/2175-7968.2009v2n24p9. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/traducao/article/view/2175-7968.2009v2n24p9/12215

D’Angelo, Biagio. “Traduttore-traditore: #sóquenão. A intersemiose como desafio educativo das artes”. Cadernos de Tradução. Portal de Periódicos da UFSC. 36.3 (2016): 158-173. 28/01/2020. DOI: https://doi.org/10.5007/2175-7968.2016v36n3p158. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/traducao/article/view/2175-7968.2016v36n3p158/32407

Dell, Katharine J. The Book of Job as sceptical literature. Berlin e New York: Walter de Gruyter, 1991.

Gallazzi, Sandro. “El grito de Job y de su mujer”. Revista de Interpretación Bíblica Latinoamericana. 52.3 (2005): 31-52.

Ginsberg, H. L. “Job the patient and Job the impatient”. Anderson, G. W. et al (org). Suplements to Vetus Testamentum. 17 (1969): 88-11. 29/01/2020 https://tinyurl.com/r5h94sk.

Groothuis, Douglas. A summary critique: God: a biography, by Jack Miles. Sem data. 29/01/2020 http://www.equip.org/PDF/DG119.pdf.

Kalman, Jason. With friends like these. Turning points in the Jewish exegesis of the biblical Book of Job. Montreal: McGill University, 2005.

Kerr, Glen J. “Dynamic equivalence and its daughters. Placing Bible translation theories in their historical context”. Journal of Translation. 7.1 (2011): 1-19. 29/01/2020 https://tinyurl.com/umfb3p4.

Koehler, Ludwig; Baumgartner, Walter. The Hebrew and Aramaic lexicon of the Old Testament. Study edition. Volume 1. Traduzido sob a supervisão de M. E. J. Richardson. London: Brill, 2001.

Llano, Ignacio Cabello. El Libro de Job e su recepción em el Cristianismo medieval. Perspectivas y reflexiones sobre el sufrimiento humano y el mal. Trabajo de Fin de Máster del Máster em Ciencias de las Religiones. Madrid: Universidad Complutense de Madrid, 2019.

Loader, J. A. “Job-answer or enigma?”. Old Testament Essays. 2.1 (1984): 1-38. 29/01/2020 https://tinyurl.com/wuulsna.

Lowrey, David H. Job behind the curtain. 29/01/2020 https://tinyurl.com/ukfybhg.

Maria, Claudinei. “O pão da dor e o vinho da miséria”. O banquete da existência, de Jó a Brás Cubas. Dissertação (Mestrado). Campinas: Universidade Estadual de Campinas, 2007.

Martínez, Celestino Ayala. Análisis retórico del libro de Job. Tesis de Magister en Lingüística. Bogotá: Universidad Nacional de Colombia, 2014.

Miles, J. Deus. Uma biografia. São Paulo: Companhia das Letras, 2009.

Miles, J. God. A biography. New York: Vintage Books, 1996.

Oseke-Depré, Inês. “Tradução e Hermenêutica”. Tradução de Adriana Almeida Colares. Cadernos de Tradução. v 39.3 (2019): 472-485. 28/01/2020. DOI: https://doi.org/10.5007/2175-7968.2019v39n3p472. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/traducao/article/view/2175-7968.2019v39n3p472/40865

Parente, Pascal P. “The Book of Job. Reflections on the mystic value of human suffering”. The Catholic Biblical Quarterly. 8.2 (1946): 213-219. 29/01/2020 https://tinyurl.com/wzmvhca.

Ribeiro, Osvaldo Luiz. “‘Estremeço de pena pelo barro mortal’: Jack Miles e uma Introdução ao Livro de Jó”. Teoliterária. 8.16 (2018): 293-321. 31/01/2020 https://tinyurl.com/wb75nu2.

Stadelmann, Luiz Inácio. Jó. Em: A Bíblia de Jerusalém. São Paulo: Paulus, 1989.

Stefanink, Bernd; Bălăcescu, Ioana. “The hermeneutical approach in translate studies”. Cadernos de Tradução. 37.3 (2017): 21-52. 28/01/2020 https://tinyurl.com/w67fqxo.

Stern, David H. Bíblia judaica completa. O Tanak [AT] e a B’rit Hadashah [NT]. Tradução do inglês para o português de Rogério Portella e Celso Eronides Fernandes. São Paulo: Vida, 2011.

TEB – Tradução Ecumênica da Bíblia. Sem indicação da tradução. São Paulo: Loyola, 1994.

Terrien, Samuel. Jó. São Paulo: Paulus, 1994.

Downloads

Publicado

2021-05-25