Filosofia da tradução - tradução de filosofia: o princípio da intraduzibilidade

Autores

  • Márcio Seligmann- Silva Universidade Estadual de Campinas

Biografia do Autor

Márcio Seligmann- Silva, Universidade Estadual de Campinas

Possui graduação em História pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (1986) , mestrado em Letras (Língua e Literatura Alemã) pela Universidade de São Paulo (1991) , doutorado em Teoria Literária e Literatura Comparada pela Freie Universität Berlin (1996), pós-doutorados pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (1998, CNPq e 1999, FAPESP), pós-doutorado pelo Zentrum Für Literaturforschung Berlim (2002) e pós-doutorado pelo Department of German, Yale University (2005). É Professor livre-docente de Teoria Literária da Universidade Estadual de Campinas. Coordena o Projeto Temático FAPESP "Escritas da Violência". Tem experiência na área de Letras, com ênfase em Teoria Literária e Literatura Comparada. Atua principalmente nos seguintes temas: romantismo alemão, teoria da tradução, testemunho, literatura e outras artes, teoria estética do século XVIII ao XX e a obra de Walter Benjamin. Bolsista de Produtividade em Pesquisa do CNPq - Nível 1D.

Mais informações: Currículo Lattes - CNPq.

Downloads

Publicado

1998-01-01

Como Citar

Silva, M. S.-. (1998). Filosofia da tradução - tradução de filosofia: o princípio da intraduzibilidade. Cadernos De Tradução, 1(3), 11–47. Recuperado de https://periodicos.ufsc.br/index.php/traducao/article/view/5376

Edição

Seção

Artigos