Piazza Navona e Outros Cantos: Haroldo de Campos e a Transbrasilizzazione Inédita de Lucio Mariani

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7968.2021.e72524

Palavras-chave:

Tradução, Poesia, Inéditos, Correspondência

Resumo

Neste trabalho apresenta-se a correspondência inédita entre Haroldo de Campos e o poeta e tradutor italiano Lucio Mariani, além de seis densos e rebuscados poemas de Mariani traduzidos por Haroldo em traduções também inéditas e em várias versões, acompanhadas pelas observações de Mariani. Discute-se rapidamente a questão da tradução de textos poéticos, assim como a teoria haroldiana da tradução, além de traçar um paralelo entre o pequeno acervo de cartas entre Haroldo e Mariani e o grande e precioso acervo de correspondências trocadas ao longo dos anos por Guimarães Rosa e seus tradutores, a exemplificar como estas correspondências desempenhem um papel importante para o estudo da criação do autor, por um lado, e da criação do tradutor, pelo outro, dando evidentemente às traduções o estatuto de outros originais. Na transcriação destes seis poemas, constata-se a diversidade dos conceitos de tradução de Haroldo e de Mariani, que, talvez por se tratar de textos de autoria dele, demonstra-se muito mais fiel à letra dos poemas.

Biografia do Autor

Silvia La Regina, Universidade Federal do Sul da Bahia

Graduação em Letras - Università degli Studi La Sapienza (1990), mestrado em Letras e Linguística pela Universidade Federal da Bahia - UFBA (1995), doutorado em Letras e Linguística pela UFBA (2003) e Dottorato di Ricerca In Lingue e Letterature Iberiche - Università degli Studi di Palermo (1999). Foi professor adjunto de Língua e Literatura Italianas na UFBA, de 2002 a 2008 e de 2011 a 2016. Foi professor adjunto de Lingua portuguesa, Literaturas portuguesa e brasileira e tradução da Università Gabriele d'Annunzio de Pescara, na Itália, de 2009 a 2011. Foi a primeira decana pro tempore do Instituto de Humanidades, Artes e Ciências - IHAC, campus Sosígenes Costa de Porto Seguro, na Universidade Federal do Sul da Bahia, tendo participado do grupo inicial de gestores da Instituição. Foi diretora da Rede de Centros de Idiomas e coordenadora do Idioma sem Fronteiras na UFSB. É professor associado no IHAC do Campus Sosígenes Costa. Tem pesquisado e publicado nas áreas de tradução, acessibilidade, linguística aplicada, literatura italiana, literatura brasileira dos seculos XVII e XVIII e literatura comparada. É autora de romances infanto-juvenis, um dos quais, Perdidos no tempo (Autêntica, 2014), foi selecionado pelo PNLD literário 2018.

Referências

Armstrong, Piers. “Guimarães Rosa in Translation: scrittore, editore, traduttore, traditore”. Luso-Brazilian Review. Vol. 38, Nº. 1, Summer, (2001): 63-87.

Auster, Paul. 4321. Tradução de Rubens Figueiredo. São Paulo: Companhia das Letras, 2018.

Benjamin, Walter. “A tarefa do tradutor”. Escritos sobre mito e linguagem (1915-1921), Organização, apresentação e notas de Jeanne Marie Gagnebin. Tradução de Susana Kampff Lages e Ernani Chaves. São Paulo: Duas Cidades/Editora 34, 2011. pp.101-119.

Campos, Haroldo de. “Luz: a escrita paradisíaca”. 6 cantos do Paraíso, Alighieri, Dante. Tradução de Haroldo de Campos. São Paulo: Fontana/Instituto Italiano de Cultura, 1976. pp.9-19.

Campos, Haroldo de. “Transluciferação mefistofáustica”. Deus e o Diabo no Fausto de Goethe, Haroldo de Campos. São Paulo: Perspectiva, 1981. pp.179-209.

Campos, Haroldo de. Galaxias. São Paulo: Ex Libris, 1984.

Campos, Haroldo de. “Da transcriação à reimaginação”. Cult 13, (1998): 25.

Campos, Haroldo de. Bere’shith: a cena da origem:(e outros estudos de poética bíblica). São Paulo: Perspectiva, 1993.

Campos, Haroldo de. “Da tradução como criação e como crítica”. Transcriação. Marcelo Tápia & Thelma Médici Nóbrega (Orgs). São Paulo: Perspectiva, 2015. pp.1-18.

Campos, Haroldo de. “Para além do princípio de saudade: a teoria benjaminiana da tradução”. Transcriação, Marcelo Tápia & Thelma Médici Nóbrega (Orgs). São Paulo: Perspectiva, 2015. pp.47-59

Campos, Haroldo de. “Da transcriação: poética e semiótica da operação tradutora”. Transcriação, Marcelo Tápia & Thelma Médici Nóbrega (Orgs). São Paulo: Perspectiva, 2015. pp.77-104.

Cortellessa, Andrea. “Lucio Mariani: l’accia del gomitolo”. Poesia 222, (2007): 44-45. Disponível em http://luciomariani.it/su-di-me/laccia-del-gomitolo. Acesso em: 12/06/2012

Eliot, Thomas Stearns. The sacred wood: Essays on poetry and criticism. New York: Alfred A. Knopf, 1920.

Gómez-Oliver, Valentí. “Postfacio”. Búsqueda de la sombra, Lucio Mariani Mariani. Madrid: Huerga y Fierro Editores, 2008, pp.179-181.

Haroche-Bouzinac, Geneviève. Escritas epistolares. Tradução de Lígia Fonseca Ferreira. São Paulo: Edusp, 2016.

Lessmann, Stefan. “Fiar a fala: A correspondência inédita de Haroldo e Ernst Jardl”. Circuladô. Revista de Estética e Literatura do Centro de Refência Haroldo de Campos – Casa das Rosas. São Paulo, VII, nº.10, dez. (2019): 80-87.

Disponível em https://www.casadasrosas.org.br/centro-de-referencia-haroldode-campos/revista-circulado. Acesso em: 12/03/2020. Machado, Cassiano Elek. Diário arquivado. Piauí 3, dez 2006. Disponível em https://piaui.folha.uol.com.br/materia/diario-arquivado/. Acesso em 10/03/2020.

Marchiori, Giuseppe. “Gino Bonichi”. Dizionario Biografico degli Italiani Treccani. Vol. 12, 1971. Disponível em http://www.treccani.it/enciclopedia/gino-bonichi_(Dizionario-Biografico)/. Acesso em 12/02/2020.

Mariani, Lucio. Il torto della preda: Versi scelti (1974-1994). Milano: Crocetti, 1995.

Mariani. Parola estrema. Milano: Crocetti, 2007.

Mariani. Qualche notizia del tempo. Milano: Crocetti, 2001.

Molina-Robles, Jose Luis. Poetics in translation: “make it new” by Ezra Pound and “transcreation” by Haroldo de Campos. Literature. Université de Perpignan, 2017. Disponível em http://www.theses.fr/2017PERP0009

Pucci, Pietro. “Ridurre a cosa umana il silenzio”. Parola estrema, Mariani, Lucio. Milano: Crocetti, 2007, pp.113-130.

Rosa, Guimarães. Correspondencia com seu tradutor italiano Edoardo Bizzarri. 2a. ed. São Paulo: T.A.Queiroz/Instituto Cultural Ítalo-Brasileiro, 1981.

Rosa, João Guimaraes. Correspondência com seu tradutor alemão Curt Meyer-Clason (1958-1967). Ed. org. e notas Maria Apparecida Faria Marcondes Bussolotti. Tradução de Erlon José Paschoal. Rio de Janeiro/Belo Horizone: Nova Fronteira/Academia Brasileira de Letras - Ed.UFMG, 2003.

Selingmann-Silva, Márcio. “Haroldo de Campos: tradução como formação e ‘abandono’ da identidade”. O local da diferença. Ensaios sobre memória, arte, literatura e tradução, Marcio Selingmann-Silva (Org). São Paulo: Editora 34, 2005. pp. 189-204.

Todini, Umberto. Carmina priapea. Tradução de Lucio Mariani. Firenze: Ponte alle Grazie. 1992.

Veloso, Caetano. Circuladô de fulô. Holanda: Phonogram/Philips, 1991.

Veloso. Cinema Transcendental. Holanda: Philips, 1979.

Verlangieri, Iná Valéria Rodrigues. J. Guimarães Rosa: correspondência inédita com a tradutora norte- americana Harriet de Onis - parte 1. Dissertação de Mestrado orientada por Lenira Marques Covizzi e defendida na Unesp - Universidade Estadual de São Paulo, campus de Araraquara, novembro de 1993. Disponível em: https://app.box.com/s/kdh0q87ovnx5olhsha4keayv2ysougzv. Acesso em: 10/03/2020.

Viotti, Fernando Baião. Em busca do indeterminado: Guimarães Rosa e seus tradutores. Teresa. Revista de Literatura brasileira. USP, n 8/9. São Paulo: Ed.34, (2008): 322-337.

Wawrzycka, Jolanta. “Translation”. James Joyce in Context, John McCourt (Ed). Cambridge: Cambridge UP, 2009. pp. 125-136. Disponível em https://www.academia.edu/10908299/Translation_James_Joyce_the_Translator_ Acesso em 07/06/2020.

Downloads

Publicado

2021-01-15