A Entonação Expressiva na Interpretação para Língua de Sinais Tátil em Conferências

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7968.2022.e75883

Resumo

A guia-interpretação para pessoas surdocegas corresponde a uma especialização do trabalho do intérprete de Libras, pois além da atividade tradutória em si, este trabalho exige do profissional diferentes outras competências. Entre suas tarefas está a de descrever tudo que cerca a pessoa surdocega e de atuar na sua orientação e mobilidade, além de transmitir as enunciações e de mediar a comunicação. O objetivo deste estudo é apresentar considerações fundamentais sobre a guia-interpretação para a língua de sinais tátil em contexto de conferências, mais especificamente no que se refere às adaptações e ao léxico específico para indicação da entonação expressiva durante a interpretação, considerando a modalidade língua de sinais tátil e suas condições de produção e recepção nesse contexto. Sugerimos no estudo que na atividade de interpretação para a Libras tátil, um item lexical simples pode vir a assumir diferentes funções gramaticais e consequentemente a produzir outros diferentes sentidos, item aparentemente sobressalente ou redundante, se apresenta como termo que se desloca das significações comuns no seu emprego como elemento de entonação expressiva. A atuação em conferências demanda do profissional guia-intérprete, além de competências de descrição e tradução, competência linguística específica.

Biografia do Autor

Vânia de Aquino Albres Santiago, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo

Mestre em Educação Especial pela Universidade Federal de São Carlos - UFSCar. Doutoranda em Linguística Aplicada e Estudos da Linguagem, na PUC-SP, orientanda da Profa. Dra. Livre-Docente Elisabeth Brait, assinatura Beth Brait. Membro do Grupo de Pesquisa Surdez e Abordagem Bilíngue UFSCar - registrado no CNPQ. Membro do grupo de pesquisa Linguagem, Identidade e Memória PUC-SP. Tradutora e Intérprete de Libras - Língua Brasileira de Sinais, Guia-Intérprete para Surdocegos. Membro do Grupo de Pesquisa em Interpretação e Tradução de Línguas de Sinais - InterTrads registrado no CNPq. Membro do Grupo de Pesquisa Didática e Ensino de Tradutores e Intérpretes de Línguas de Sinais - DETILS, registrado no CNPQ. Docente no curso de Pós-graduação em Tradução e Interpretação de Libras-Português no Instituto Superior de Educação de São Paulo ISESP-Singularidades - São Paulo - SP.

Referências

Almeida, Wolney Gomes. O guia-intérprete e a inclusão da pessoa com surdocegueira. Tese. Programa de Pesquisa e Pós-graduação em Educação, Faculdade de Educação, Universidade Federal da Bahia. 2015.

Anater, Gisele e Gabriela Passos. “Mecanismos de coesão textual visual em uma narrativa sinalizada: Língua de Sinais Brasileira em foco”. In: Quadros, Ronice Muller de, and Mariane Stumpf (org.). Estudos Surdos IV, Petrópolis, Editora Arara Azul, 2009, pp. 49-76.

Bertola, Vanise Cristina Bussolo and Maria da Piedade Resende Costa. A mobilidade para pessoas com surdocegueira. Surdocegueira: estudos e reflexões, São Carlos, Pedro & João, 2015.

Cader-Nascimento, Fatima Ali Abdalah Abdel. Mediação pedagógica no processo de desenvolvimento da comunicação receptiva e expressiva de crianças surdas com comprometimento visual. São Carlos, UFSCar, 2002 (Relatório de Pesquisa de Doutorado).

Cader-Nascimento Fatima Ali Abdalah Abdel, and Maria da Piedade Resende da Costa. Mediação pedagógica no processo de desenvolvimento da comunicação em crianças Surdocegas. Temas em Psicologia da SBP, 2003, v. 11, n. 2, p. 85-96, http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_issuetoc&pid=1413-389X20030002&lng=pt&nrm=i. Accessed 5 jun. 2020.

Cader-Nascimento, Fatima Ali Abdalah Abdel, and Maria da Piedade Resende da Costa. Descobrindo a surdocegueira: educação e comunicação. São Carlos, Edufscar, 2010.

Canuto, Beatriz Santana; Carlos Alberto Santana Júnior; Hélio Fonseca de Araújo; and Katia Regina Conrad Lourenço. Práticas de interpretação tátil e comunicação háptica para pessoas com surdocegueira. Petrópolis: Editora Arara Azul, 2019.

Collins, Steven, and Karen Petrônio. “What happens in tactile ASL”. Pinky Extension and Eye Gaze: Language use in Deaf Communities, ed. C. Lucas (Washington, DC: Gallaudet University Press), 1998, pp. 18–37.

Erikson, Linda. A importância de intérpretes para pessoas surdocegas. In: Masini, Elcie F.S. (org.). Do sentido... pelos sentidos...para o sentido, São Paulo, Vetor Editora, 2002, pp. 119-120.

Faria-do-Nascimento, Sandra Patrícia. A organização dos morfemas libres e presos em LSB: reflexões preliminares. In: Quadros, Ronice Muller de, Mariane Rossi Stumpf e Tarcísio de Arantes Leite. Estudos da Língua Brasileira de Sinais I, Florianópolis, Insular, 2013.

Faulstich, Enilde. “Socioterminologia, mais que um método de pesquisa, uma disciplina”. Ciência da Informação, Brasília, v. 24, n. 3, 1995, pp. 281-288.

Faulstich, Enilde. “Especificidades semânticas e lexicais: a criação de Sinaistermo na Língua Brasileira de Sinais”. In: Bidarra, Jorge, and Tânia Aparecida Martins, and Márcia Sipavicius Seide (org.). Entre a libras e o português: desafios face ao bilinguismo, Cascavel, Edunioeste; Londrina, EDUEL, 2016.

Freeman, Peggy. “El bebé sordo ciego. Um programa de atención temprana”. Madrid, Editora ONCE, 1991.

Gabarró-López, Silvia, and Johanna Mesch. “Conveying Environmental Information to Deafblind People: A Study of Tactile Sign Language Interpreting”. Front. Educ., 2020, 5:157.

McInnes, John M. “Deaf blindness: a unique desabilility. In: McInnes, John M. (Org.). A guide to planning an support for individualks who are deaf blind, Canada, University of Toronto Press Incorporated, 1999.

Mesch, Johanna. Tactile Sign Language: Turn taking and question in signed conversations of deaf-blind people. Hamburg, Signum, 2001.

Nascimento, Marcus Vinicius Batista. “Interpretação da língua brasileira de sinais a partir do gênero jornalístico televisivo: elementos verbo-visuais na produção de sentidos”. Dissertação (Mestrado em Linguística Aplicada e Estudos da Linguagem) – Programa de Estudos Pós-Graduados em Linguística Aplicada e Estudos da Linguagem – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, 2011, https://sapientia.pucsp.br/handle/handle/13551. Accessed 5 jun. 2020.

Petrônio, Karen. “Deaf-blind interpreting: building on what you already know” In: Quadros, Ronice Muller de. Cadernos de tradução – Tradução e interpretação de Língua de sinais, PGET – UFSC, 2010.

Quadros, Ronice Muller de, and Lodenir Karnopp. Língua de sinais brasileira: estudos linguísticos. Porto Alegre, ArtMed, 2004.

Quadros. Ronice Muller de, and Aline Lemos Pizzio and Patrícia Luiza Ferreira Rezende. “Língua brasileira de sinais II”. Florianópolis, UFSC - Centro de Comunicação e Expressão (CCE) - Licenciatura em Letras/Libras na Modalidade a Distância, 2008, http://www.libras.ufsc.br/colecaoLetrasLibras/eixoFormacaoEspecifica/linguaBrasileiraDeSinaisII/assets/482/Lingua_de_Sinais_II_para_publicacao.pdf. Accessed 5 jun. 2020.

Quinto-Pozos, David. “Deictic points in the visual/ gestural and tactile/gestural modalities”. In: Meier, Cormier & Quinto-Pozos (eds.). Modality and Structure in signes and spoken languages, Cambridge Universit Press, Cambridge, England, 2002, pp. 442–467.

Radin, Michelle. An overview of Tactile American Sign Language. Special Education Service Agency, 2014, https://www.signup4.net/Upload/USTR10A/ASSE34E/RADIN%20Tactile%20Sign%20Language.pdf. Accessed 5 jun. 2020.

Rodrigues, Carlos Henrique. “Competência em Tradução e Línguas de Sinais: a modalidade gestual-visual e suas implicações para uma possível competência tradutória intermodal”. Trabalhos Em Linguística Aplicada, v. 51, 2018, pp. 287-318, https://www.scielo.br/pdf/tla/v57n1/0103-1813-tla-57-01-0287.pdf. Accessed 5 jun. 2020.

Santiago, Vânia de Aquino Albres. “Tradução e Interpretação de e para Libras: Um guia para quem quer contratar serviços de tradução e interpretação de Libras - língua brasileira de sinais”. São Paulo, FEBRAPILS; ABRATES – SINTRA – Instituto Singularidades, 2016, https://drive.google.com/file/d/0B7ZxCOYQ0QJmV3dTMWhfOUtFYkk/view. Accessed 5 jun. 2020.

Silva, Lidia, and Cristiane Seimetz Rodrigues. Marcas aspectuais na interpretação simultânea do Português para a Línguas de Sinais Brasileira (LIBRAS). Eletras, v. 20, n. 20, jul. 2010.

Van Dijk, Jan. Working with Deaf-Blind Children and Adolescents: Jan Van Dijk approach to communication. National Center of Deaf-Blindness, 1987. http://nationaldb.org/library/page/1969 Accessed 5 jun. 2020.

Volóchinov, Valentin. Marxismo e Filosofia da Linguagem: Problemas Fundamentais do método sociológico na ciência da linguagem. Tradução, notas e glossário de Sheila Grillo e Ekaterina Vólkova Américo, São Paulo, Editora 34, 2017.

Wheeler, Linda and Griffing, Harold. C. A movement based approach to language developement in children who are deaf-blind. Americans Annals of deaf, v. 142, n. 56, December 1997, pp. 387-390.

Willoughby, Louisa; Manns, Howard; Iwasaki, Shimako and Bartlett, Meredith. ““From seeing to feeling: how do deafblind people adapt visual sign languages?”. Dynamic language changes: Looking within and across languages, ed. K. Allan (Cham: Springer Nature), 2020. Accessed 15 jan. 2021.

Writer, J. A movement-based approach to the education of students who are sensory impaired/multihandicapped. In: Goetz, L., and D. Guess, and K. Strenel-Campbell. Innovative program design for individuals with dual sensory impairments, tradução de Antonio Ballesteros Jaraiz, Baltimore, Paul H. Brookes, 1987, pp. 191-223.

Xavier, André Nogueira. Descrição fonético-fonológica dos sinais da língua brasileira de Sinais (Libras). Dissertação, São Paulo, USP, 2006, https://teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8139/tde-18122007-135347/pt-br.php Accessed 5 jun. 2020.

Xavier, André Nogueira. Uma ou duas? Eis a questão! Um estudo do parâmetro número de mãos na produção de sinais da Língua Brasileira de Sinais (libras). 2014. 158 f. Tese (Doutorado em Linguística) – Instituto de Estudos da Linguagem, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, http://repositorio. unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/271137. Accessed 5 jun. 2020.

Downloads

Publicado

2022-06-22

Edição

Seção

Artigos