Tradução, competência metafórica e fluência conceitual

Theo Harden

Resumo


Este artigo defende o uso da tradução no ensino de língua estrangeira como uma atividade que pode fornecer ao aluno estratégias de solução de problemas com o objetivo de alcançar níveis desejáveis de competência metafórica e de fluência conceitual. Esses dois conceitos têm sido discutidos por pesquisadores de aquisição de segunda língua há mais de uma década, e algumas sugestões foram feitas quanto ao trabalho que pode ser realizado em sala de aula no sentido de melhorar o desempenho dos alunos. A discussão desses conceitos se faz importante porque, segundo alguns autores, a produção do aprendiz na língua meta continuará deficiente se os níveis de competência metafórica e de fluência conceitual por ele apresentados não forem objeto de atenção. No entanto, parece haver pouquíssima oportunidade para que os alunos se desenvolvam nessas áreas no contexto da aula de língua que hoje é considerada ‘normal’, ou seja, aquela que utiliza o método comunicativo. Atividades de tradução podem ser a resposta.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5007/2175-7968.2008v2n22p229



Cadernos de Tradução, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. ISSN 2175-7968.