Práticas discursivas de trabalhadores terceirizados e construções sociais da identidade de exclusão

Autores

  • Valéria da Glória Pereira Brito Centro de Pós-Graduação e Pesquisas em Administração da Universidade Federal de Minas Gerais
  • Adriana Ventola Marra Centro de Pós-Graduação e Pesquisas em Administração da Universidade Federal de Minas Gerais
  • Alexandre de Pádua Carrieri Faculdade de Ciências Econômicas da Universidade Federal de Minas Gerais

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-8077.2012v14n32p77

Palavras-chave:

Identidade, Identidade Coletiva, Discurso, Terceirização, Construção Social

Resumo

Este artigo tem por objetivo investigar a construção da identidade dos trabalhadores terceirizados que prestam serviços em ambientes produtivos diversificados. Parte-se do pressuposto de que a identidade do sujeito individual ou coletivo é socialmente construída em dado contexto sócio-histórico, estando sujeita a contínuas transformações oriundas da relação dialética entre objetividade e subjetividade. Adotase uma postura teórico-metodológica interpretativa buscando compreenderpor meio de treze entrevistas semiestruturadas, à luz da Análise do Discurso, como os trabalhadores de uma empresa prestadora de serviços de controle de qualidade de Belo Horizonte constroem sua identidade. Percebe-se no discurso um forte desejo dos trabalhadores de fazer parte do quadro de trabalhadores efetivos da empresa contratante e a presença de várias representações negativas sobre o trabalho terceirizado, já que eles se sentem discriminados e excluídos pelos trabalhadores efetivos. A relação dos trabalhadores terceirizados com os trabalhadores efetivos pode ser vista como um campo de forças em que cada sujeito busca exercer o poder e demarcar politicamente o seu espaço.

Biografia do Autor

Valéria da Glória Pereira Brito, Centro de Pós-Graduação e Pesquisas em Administração da Universidade Federal de Minas Gerais

DOUTORANDA EM ADMINISTRAÇÃO PELO CEPEAD/FACE/UFMG E PROFESSORA DE ADMINISTRAÇÃO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS

Adriana Ventola Marra, Centro de Pós-Graduação e Pesquisas em Administração da Universidade Federal de Minas Gerais

DOUTORANDA EM ADMINISTRAÇÃO PELO CEPEAD/FACE/UFMG E PROFESSORA DE ADMINISTRAÇÃO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA/CAMPUS DE FLORESTAL

Alexandre de Pádua Carrieri, Faculdade de Ciências Econômicas da Universidade Federal de Minas Gerais

Doutor em Administração pelo Centro de Pós-Graduação e Pesquisas em Administração da Universidade Federal de Minas Gerais.

Professor Adjunto da Faculdade de Ciências Econômicas, da Universidade Federal de Minas Gerais.

Coordenador do Núcleo de Estudos Organizacionais e Simbolismo (Neos).

Downloads

Publicado

2012-04-26

Edição

Seção

Artigos