A Visão Baseada em Recursos da Inteligência Competitiva

Paulo Henrique de Oliveira, Carlos Alberto Gonçalves, Edmar Aderson Mendes De Paula

Resumo


Neste artigo analisa-se a importância da Inteligência Competitiva (IC) como uma capacidade estratégica para as organizações contemporâneas, especialmente para àquelas instaladas em ambientes caracterizados por uma intensa e dinâmica competição. A discussão acontece no contexto da Visão Baseada em Recursos (Resource-Based View, no inglês), uma das mais importantes correntes teóricas do campo da estratégica que busca explicar o fenômeno da vantagem competitiva a partir do controle de recursos e capacidades diferenciados pelas organizações. Como suposição inicial, acredita-se que o valor estratégico da IC está concentrado, principalmente, no conhecimento tácito dos seus profissionais e nos relacionamentos construídos ao longo do tempo (path dependence) com seus pares e tomadores de decisões estratégicas de suas respectivas organizações, uma vez que os mesmos não podem ser imitados ou desenvolvidos rapidamente pelos concorrentes, conforme sugerem os estudos de autores como Wernerfelt (1984), Nonaka e Takeuchi (1995), Barney (1986a, 1991, 2001), Dierickx e Cool (1989), Mahoney e Pandian (1992), Amit e Schoemaker (1993) e Grant (1991, 1996).


Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/2175-8077.2013v15n35p141

Revista de Ciências da Administração, Universidade Federal de Santa Catarina, Departamento de Administração, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil.

Para entrar em contato com a equipe editorial da Revista RCA, encaminhe um e-mail para rca.cse@contato.ufsc.br

ISSNe 2175-8077    ISSN 1516-3865

Licença Creative Commons
This obra is licensed under a Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.