Considerações sobre a alcunha atribuída a Paul Feyerabend de “pior inimigo da ciência” e suas implicações para o ensino de ciências

Felipe Damasio, Luiz O.Q. Peduzzi

Resumo


http://dx.doi.org/10.5007/1982-5153.2017v10n1p329

Não são poucos os críticos da epistemologia de Paul Feyerabend. Muitas dessas críticas foram recebidas com surpresa pelo próprio autor, por serem frutos de más interpretações de sua epistemologia feitas por profissionais, o que ele chamou de incompetência profissionalizada. Dentre os críticos de Feyerabend, alguns recorrem a um exemplar da prestigiada revista Nature de 1987 para dar lastro a suas críticas. Em tal exemplar, Feyerabend foi chamado de “pior inimigo da ciência”. Neste trabalho se procurará analisar quais foram os argumentos usados para atribuir tal alcunha a Feyerabend, algumas repercussões e se os argumentos usados pelos autores do artigo da revista Nature correspondem à epistemologia de Feyerabend ou se configuram no que ele chamou de incompetência profissionalizada. Algumas implicações desta discussão para o ensino de ciências também são vislumbradas.


Palavras-chave


Nature; Positivismo lógico; Feyerabend; Pior inimigo da ciência

Texto completo:

PDF/A


DOI: http://dx.doi.org/10.5007/1982-5153.2017v10n1p329

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Alexandria: R. Educ. Ci. Tec., Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. ISSN 1982-5153

Licença Creative Commons

Está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.