Visão epistemológica de Timothy Lenoir: a produção cultural das disciplinas científicas

Neusa Teresinha Massoni, Marco Antonio Moreira

Resumo


O objetivo deste texto é interpretar e divulgar algumas ideias de Timothy Lenoir a partir de seus estudos de caso dos desenvolvimentos da Alemanha Imperial e do Vale do Silício, que mostram como o avanço científico pode resultar do diálogo entre diferentes atores: academia, indústria e Estado e da indissociabilidade entre teoria e técnica. Lenoir toma a ciência como uma atividade interessada, em que o aspecto técnico e instrumental é crucial ao seu desenvolvimento. Defende que a instituição de disciplinas científicas está, muitas vezes, associada a múltiplos interesses sociais, profissionais e industriais: as indústrias tornam-se usuárias das ideias científicas ao mesmo tempo em que contribuem com produtos, técnicas e na construção de institutos de pesquisa; a universidade, por sua vez, contribui com inovação que leva à criação de novas empresas de base tecnológica. Nesse sentido, dissociar teoria e técnica, pesquisa básica de pesquisa aplicada nem sempre é possível. Às vezes, ciência e indústria estão “muro a muro” contribuindo mutuamente e gerando desenvolvimento. 


Palavras-chave


Timothy Lenoir; Disciplinas científicas; Indústria; Produção cultural

Texto completo:

PDF/A


DOI: http://dx.doi.org/10.5007/1982-5153.2017v10n2p53

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Alexandria: R. Educ. Ci. Tec., Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. ISSN 1982-5153

Licença Creative Commons

Está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.