Sobre a pesquisa-ação nas dissertações e teses em ensino de biologia (1972-2011)

Paulo Marcelo Marini Teixeira, Jorge Megid Neto

Resumo


O artigo analisa um estrato da produção acadêmica expressa em dissertações e teses em Ensino de Biologia, defendidas no período 1972-2011, em programas de pós-graduação brasileiros. A partir da identificação de 1000 documentos, todos direta ou indiretamente relacionados à referida subárea da pesquisa em Educação em Ciências, foram selecionados apenas aqueles que empregaram em seus títulos, resumos e/ou palavras-chave o termo Pesquisa-Ação como designação para a modalidade de investigação realizada. Com esse procedimento detectamos 24 documentos que foram analisados por meio da técnica de análise de conteúdo. Como parte da análise, as informações relativas ao delineamento metodológico desses trabalhos foram cotejadas com um conjunto de critérios utilizados para definirmos pesquisa-ação, segundo a literatura dedicada especificamente a essa modalidade investigativa. Os resultados apontam o baixo número de pesquisas dessa natureza na produção acadêmica investigada, confirmando as observações encontradas na literatura especializada que indicam a confusão generalizada a envolver o emprego do slogan “pesquisa-ação”.

Palavras-chave


Produção acadêmica; Pesquisa-ação; Ensino de biologia

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/1982-5153.2018v11n1p283

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Alexandria: R. Educ. Ci. Tec., Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. ISSN 1982-5153

Licença Creative Commons

Está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.