Ações do Laboratório de Letramento Acadêmico da USP: promovendo a escrita acadêmica na graduação e na pós-graduação

Autores

  • Marília Mendes Ferreira Universidade de São Paulo Departamento de Letras Modernas
  • Eliane Gouvêa Lousada Universidade de São Paulo Departamento de Letras Modernas

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-8026.2016v69n3p125

Palavras-chave:

Laboratório de Letramento Acadêmico, Letramento Acadêmico, Escrita Acadêmica, Internacionalização

Resumo

A internacionalização crescente das universidades brasileiras impõe para a comunidade acadêmica do país novas demandas linguísticas: não somente leitura, mas também a comunicação efetiva de forma oral e escrita no discurso acadêmico em pelo menos duas línguas : a materna e a estrangeira (sobretudo o inglês). Entretanto, condições materiais para o atendimento dessas demandas são praticamente inexistentes nas instituições de ensino superior brasileiras (Ferreira, 2015). O objetivo desse artigo é expor uma ação que visa atender a uma dessas demandas impostas pela internacionalização - a socialização com a escrita acadêmica em inglês, francês e português não somente para fins de leitura e assimilação de conteúdo, mas sobretudo para a publicação nessas línguas. Essa ação é empreendida pelo Laboratório de Letramento Acadêmico da USP[1].


[1] http://letramentoacademico.fflch.usp.br/

Biografia do Autor

Marília Mendes Ferreira, Universidade de São Paulo Departamento de Letras Modernas

Possui graduação em licenciatura port-inglês e literaturas pela Universidade Federal de Uberlândia (1995), mestrado em Linguística Aplicada pela Universidade Estadual de Campinas (2000) e doutorado em Linguística Aplicada - The Penn State University (2005). Atualmente é professora do Departamento de Letras Modernas da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) na Universidade de São Paulo. Seus interesses de pesquisa envolvem aspectos do ensino e da aprendizagem de línguas estrangeiras sob a ótica sócio-histórico cultural e da teoria da atividade de segunda e terceira gerações.

Eliane Gouvêa Lousada, Universidade de São Paulo Departamento de Letras Modernas

Possui mestrado (1998) e doutorado (2006) em Linguística Aplicada e Estudos da Linguagem pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Atualmente é professora do Departamento de Letras Modernas da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) na Universidade de São Paulo. Tem experiência nas áreas de desenvolvimento e formação de professores, elaboração de material didático baseado na noção de gênero textual e análise de textos e discursos, com publicações científicas nessas áreas.

Referências

BAKHTIN, M. Estética da criação verbal. São Paulo: Martins Fontes.1997.

BALOCCO, A. E. A perspectiva discursivo-semiótica de Gunther Kress: o gênero como recurso representacional. In: MEURER, J. L.; BONINI, A.; MOTTA-ROTH, D. Gêneros: teorias, métodos, debates. São Paulo: Parábola editorial.2005.

BAZERMAN, C. et al. Reference guide to writing across the curriculum, West Lafayette:

Parlor Press.2005.

BORDIEU,P. The forms of capital (1986). In I.Szeman; T. Kaposy (orgs). Cultural theory: an anthology. Chichester: Wiley, 2011.

BRANDT, D. Reading, writing, and wealth in the new economy. A lecture presented by the Center for Interdisciplinary Studies of Writing and the Literacy & Rhetorical Studies Minor. Speaker Series no. 21. Center for Interdisciplinary Studies of Writing, University of Minnesota, 2002.

BRONCKART, J.-P. Atividade de linguagem, textos e discursos: por um interacionismo sociodiscursivo. São Paulo, EDUC. 1999.

BUENO, L.; COSTA HÜBES, T.(orgs). Gêneros orais no ensino. Campinas: Mercado de Letras, 2015.

CANAGARAJAH, A. S. A Geopolitics of Academic Writing. Pittsburgh: University of Pittsburgh Press, 2002.

CARLINO, P. Alfabetización académica diez años después. Revista Mexicana de Investigación Educativa, v. 18, n. 57, pp. 355-381, 2013.

CONNOR, U.. Introduction. Journal of English for Academic Purposes, v. 3, n. 4, p.

-276, 2004.

CASANAVE, C. P. Local interactions: constructing contexts for composing in a graduate sociology program. (p.83-110). In. D. Belcher; G. Braine (eds). Academic writing in a second language: essays on research and pedagogy. Norwood, NJ: Ablex.1995.

CHARLES,M., PECORARI,D.& HUSNTON,S.(orgs). Academic writing: at the interface of corpus and discourse. London:Continuum.2009.

FERREIRA, M. M. O livro didático importado de inglês e o ensino da escrita. Trabalhos em Linguística Aplicada , v. 50, Pp. 75-95. 2011.

____. A promoção do letramento acadêmico em inglês por meio do ensino desenvolvimental: contribuições da teoria histórico-cultural. Tese de Livre- Docência, FFLCH, USP,Dez 2015. 179p.

FERREIRA, M.M.; RIOS, V. C.S. (orgs). Redação Acadêmica: múltiplos olhares para o ensino da escrita acadêmica em português e línguas estrangeiras. (em preparação).

FREEDMAN, A.; MEDWAY, P. (ed.). Genre in the new rhetoric. London: Taylor & Francis, 1994.

GAJO, L. Le plurilinguisme dans et pour la science : enjeux d’une politique linguistique à l’université. Synergies Europe n°8, p. 97-109.2013.

HYLAND, K. Specificity revisited: how far should we go? English for Specific Purposes v. 21, pp. 385-395, 2002.

HYLAND, K. Academic discourse: English in a global context. London: Continuum, 2009.

HEWINGS, M. Introduction. In: HEWINGS, M. (eds). Academic writing in context. Birmingham. The University of Birmingham Press, 2001. Pp. 9-16.

JUZWIK, M.M. et al. Writing into 21st century: an overview of research on writing, 1999 to 2004. Written Communication, 23 (.4), 451-476.2006.

LILLIS, T.; CURRY, M. J. Academic Writing in a global context. London: Routledge, 2010.

LEA, M. R.; STREET, B.V. Student writing in higher education: an academic literacies approach. In: Studies in Higher Education, v.23, pp. 157-172, 1998.

LOUSADA, E. G. Elaboração de material didático para o ensino de francês. In: Dionísio, A. P. ; Machado, A. R.; Bezerra, M. A. (orgs) Gêneros textuais e ensino. São Paulo: Parábola Editora.2010.

MACHADO, A. R. “Revisitando o conceito de resumos”, in: Dionísio, A. P.; Machado, A. R. E Bezerra, M. A. (orgs.). Gêneros textuais e ensino. São Paulo: Parábola editorial.2010.

______. Resumo. Coleção Leitura e Produção de textos técnicos e acadêmicos. São Paulo: Parábola Editorial. 2004ª.

______. Resenha. Coleção Leitura e Produção de textos técnicos e acadêmicos. São Paulo: Parábola Editorial.2004b.

______. Planejar gêneros acadêmicos. Coleção Leitura e Produção de textos técnicos e acadêmicos. São Paulo: Parábola Editorial. 2005.

MAN,J.P.,et al. Why do some countries publish more than others? An international comparison of research funding, English proficiency and publication output in highly ranked general medical journals. European Journal of Epidemiology v.19,p.811-817.2004.

MILLER, C. Genre as social action. Quaterly Journal of Speech, v. 70, pp. 151-167, 1984.

MOTTA-ROTH,D.The role of contexto in academic text production and writing pedasgogy. In Bazerman, C.; Bonini,A.; Figueiredo, D. (eds). (p.317-336) Genre in a changing world. West Lafayette: Parlor Press.2009.

MOTTA-ROTH, D.; HENDGES, G. R. Produção textual na universidade. São Paulo: Parábola .2010.

RUSSELL, D. Writing in the academic disciplines. A curricular history, 2a ed.,

Carbondale y Edwardsville: Southern Illinois University Press.2002.

SALAGER-MEYER, F. Scientific publishing in developing countries: challenges for the future. Journal of English for Academic Purposes v.7, n.2, 121-132.2008.

SCHNEUWLY, B.; DOLZ, J. Gêneros orais e escritos na escola. Campinas: Mercado de Letras.2014.

SILVA, E.; LOUSADA, E. G. O plano de estudos: um gênero textual acadêmico para pleitear intercâmbio. Horizontes, v. 32, n. 2, p. 73-87, jan./jun.2014.

STREET, B. Literacy in theory and in practice. Cambridge: Cambridge University Press, 1984.

SWALES, J. M. Genre analysis. Cambridge: Cambridge University Press, 1990.

SWALES, J. M. Research Genres. Cambridge: Cambridge University Press, 2004.

SWALES, J. M.; FEAK, C. B. Academic writing for graduate students. Ann Arbor: The University of Michigan Press, 2004.

UZUNER, S. Multilingual scholars´ participation in core/global academic communities: a literature review. Journal of English for Academic Purposes, 7, 250-263.2008.

VASCONCELOS,S.M.R.;. Sorenson, M.M.& Leta, J. Scientist-friendly policies for non-native English speaking authors; timely and welcome. Brazilian Journal of Medical and Biological Research, 40, 743-747.2007.

WARSCHAUER, M. The changing global economy and the future of English Teaching. Tesol Quaterly 34,3, 511-535. 2000.

Downloads

Publicado

2016-09-27

Edição

Seção

Artigos