Editorial

Autores

  • Marta Lígia Pomim Valentim Universidade Estadual Paulista, Brasil.

DOI:

https://doi.org/10.5007/1518-2924.2013v18n38pi

Palavras-chave:

Editorial

Resumo

A inteligência organizacional ou inteligência competitiva é aplicada em diferentes contextos, e propicia diferencial que promove produtividade e qualidade, ambas fundamentais para o mundo contemporâneo. Gerar inteligência em contextos organizacionais não é uma tarefa fácil, caso não haja a valorização da informação e do conhecimento, uma vez que ambos são elementos-chave para sua efetividade. Nesse contexto, é preciso trabalhar fortemente a cultura informacional dos sujeitos organizacionais, de modo que se sensibilizem quanto a importância da informação e do conhecimento para gerar inteligência, ou seja, a cultura informacional é o alicerce da inteligência organizacional ou competitiva, uma vez que sem esse trabalho inicial junto aos sujeitos organizacionais, a implantação da inteligência organizacional ou competitiva não obterá os resultados pretendidos. Além disso, é necessário desenvolver várias atividades de gestão da informação e do conhecimento, sem as quais não é possível propiciar as condições adequadas para a aplicação da inteligência organizacional ou competitiva. Nessa perspectiva, a gestão da informação e do conhecimento são os pilares da inteligência competitiva e, como tal, também são essenciais para sua efetividade. Este número especial da revista Encontros Bibli congrega alguns artigos que exploram desde os conceitos até modelos e metodologias aplicados à inteligência organizacional ou competitiva. O primeiro artigo ‘Inteligência organizacional: conceitos, modelos e metodologias’ apresenta as principais semelhanças e diferenças entre os conceitos ‘inteligência organizacional’ e ‘inteligência competitiva’, bem como apresenta alguns modelos utilizados no contexto empresarial destacando suas limitações. O texto ‘Gestão do conhecimento e inteligência competitiva: delineamento de estratégias de competitividade e inovação para pequenas empresas’ evidencia a importância da gestão do conhecimento e da inteligência competitiva para que as empresas possam formular estratégias de ação, visando alcançar posição sustentável no mercado competitivo em que atuam. Destaca que a gestão do conhecimento e a inteligência competitiva quando trabalhadas de forma integrada promovem o alinhamento entre as estratégias de ação e a obtenção de diferenciais competitivos, propiciando inovação e sustentabilidade econômica às empresas. O artigo ‘Inteligência organizacional e competitiva e a Web 2.0’ aborda um novo conceito: “inteligência organizacional e competitiva 2.0”, ressaltando a necessidade de as empresas utilizarem os recursos da Web 2.0 para obter diferenciais competitivos de inovação e de sustentabilidade, uma vez que estimulam a criação de conhecimento ao alinhamento estratégico organizacional em ambiente de mudança contínua. O texto ‘Roteiros de desenvolvimento de unidades de inteligência competitiva sob a ótica dos modelos de referência’ analisa alguns roteiros de desenvolvimento de unidades de trabalho que atuam com inteligência competitiva que, por sua vez, foram extraídos de modelos de referência amplamente conhecidos, revelando potencialidades e limitações no que tange a aplicação e evidenciando os benefícios e riscos associados. O artigo ‘Fluxos de informação que subsidiam o processo de inteligência competitiva’ destaca que o processo de inteligência competitiva no contexto organizacional necessita inicialmente mapear os fluxos formais e informais, tanto do ambiente interno quanto externo, para identificar as necessidades informacionais dos sujeitos organizacionais, evidenciando que os fluxos de informação subsidiam o processo decisório organizacional que, por sua vez, define as estratégias de ação. O texto ‘Inteligência competitiva e as práticas de gestão do conhecimento no contexto da Administração e da Ciência da Informação: revelações da produção científica’ explora a produção científica sobre esta temática, a partir dos Anais do ENANCIB e do ENANPAD, cobrindo o período de 2010 a 2012, destacando métodos e técnicas analisados, citação de autores, quantidade de textos publicados e as similaridades entre as abordagens da Ciência da Informação e da Administração. O último artigo ‘Arquitetando caminhos: a informação como suporte a tomada de decisão pelo Sistema CFB/CRBs (2007-2012)’ enfoca a gestão do Sistema CFB/CRBs no período de 2007 a 2012, baseada no uso de informação como subsídio para a tomada de decisão, destacando a necessidade de, ao mesmo tempo, conservar e inovar ações de gestão. Evidencia a complexidade do Sistema, uma vez que há variado conjunto de interlocutores que, por sua vez, exige uma gestão baseada em informação e conhecimento para definir as estratégias prioritárias. Esses artigos possibilitam aos leitores conhecerem um pouco mais sobre o tema, evidenciando alguns aspectos inerentes ao processo de inteligência organizacional ou competitiva. Além disso, dimensionam a complexidade do mercado econômico, cujas características influem diretamente na maneira com que as organizações vêm atuando. A partir de diferentes olhares o tema é debatido, os autores lançam questões e apresentam reflexões sobre inteligência organizacional ou competitiva, contribuindo para a construção de conhecimento na área de Ciência da Informação. Convidamos o leitor da revista Encontros Bibli para um encontro com os textos aqui publicados.

Downloads

Publicado

2013-11-18

Edição

Seção

Editorial