A filosofia sistêmica de Fritjof Capra: Um olhar ecológico para a Física e para o Ensino de Física

Autores

  • Daniel Pigozzo Universidade Federal do Rio Grande do Sul
  • Nathan Willig Lima Universidade Federal do Rio Grande do Sul
  • Matheus Monteiro Nascimento Universidade Federal do Rio Grande do Sul

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7941.2019v36n3p704

Palavras-chave:

Natureza da Ciência, Epistemologia, Filosofia Sistêmica, Fritjof Capra, Misticismo Quântico, Física Quântica, Mecânica Quântica, Física Moderna, Física Moderna e Contemporânea

Resumo

Neste artigo, apresentamos a Filosofia Sistêmica de Fritjof Capra. A partir de sua obra é possível distinguir a existência de dois paradigmas (entendidos como molduras filosóficas) no desenvolvimento da ciência moderna: o paradigma mecanicista, inspirado pela Física Clássica, e o novo paradigma, articulado a partir da Física Moderna. Segundo Capra, os problemas complexos do mundo contemporâneo podem ser mais bem enfrentados pelo novo paradigma. Para abordar o tema, apresentamos uma discussão sobre a visão de Capra acerca da natureza da ciência, da Filosofia da Física Clássica e da Filosofia da Física Moderna e suas repercussões em diferentes contextos culturais. Por fim, propomos uma extrapolação do pensamento de Capra indicando possíveis implicações de seu trabalho para a Educação em Ciências, para o Ensino de Física e suas respectivas áreas de pesquisa.

Biografia do Autor

Daniel Pigozzo, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Formado em licenciatura em Física pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). É estudante de mestrado no Programa de Pós-graduação em Ensino de Física e trabalha como bolsista de acessibilidade no Incluir - Núcleo de Inclusão e Acessibilidade UFRGS.

Nathan Willig Lima, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Doutor em Ensino de Física pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). É professor adjunto do Departamento de Física da UFRGS, atuando na graduação e no Programa de Pós-graduação em Ensino de Física da UFRGS.

Matheus Monteiro Nascimento, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Doutor em Ensino de Física pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). É professor adjunto do Departamento de Física da UFRGS, atuando na graduação e no Programa de Pós-graduação em Ensino de Física da UFRGS.

Referências

ABD-EL-KHALICK, F.; LEDERMAN, N. G. Improving science teachers’ conceptions of nature of science: A critical review of the literature. International Journal of Science Education, v. 22, n. 7, p. 665-701, 2000.

ABREU, R. A integração curricular na área das ciências da natureza, matemática e suas tecnologias nos parâmetros curriculares nacionais para o ensino médio. 2002. Dissertação (Mestrado em Educação) - UFRJ, Rio de Janeiro.

AIKENHEAD, G. Review of Research on Humanistic Perspectives in Science Curricula. In: EUROPEAN SCIENCE EDUCATION RESEARCH ASSOCIATION (ESERA) 2003 CONFERENCE, Atas… Noordwijkerhout: 2003. Disponível em: https://www.usask.ca/education/profiles/aikenhead/webpage/ESERA_2.pdf.

AMÉRICO, P. A Ciência e os Sistemas: Questões de História e Filosofia Natural. 4. ed. João Pessoa: Editora Universitária, 2001.

ARAUJO, R. S.; VIANNA, D. M. A história da legislação dos cursos de Licenciatura em Física no Brasil: do colonial presencial ao digital a distância. Revista Brasileira de Ensino de Física, v. 32, n. 4, p. 4403-1-4403-11, 2010. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1806-11172010000400010&lng =pt&tlng=pt.

ARENDT, H. A Condição Humana. Tradução: Roberto Raposo. 13. ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2007. 474 p.

AULER, D. Cuidado! Um Cavalo Viciado Tende a Voltar para o Mesmo Lugar. Curitiba: Appris Editora, 2018. 151 p.

BACHELARD, G. A Filosofia do Não: Filosofia do novo espírito científico. Tradução: Joaquim José Moura Ramos. Editorial Presença, 2009. 136 p.

BACON, F. Novum organum ou verdadeiras indicações acerca da interpretação da natureza: Nova Atlântida. Tradução: J. A. R. Andrade. Abril Cultural, 1984. 272 p.

BAGDONAS, A.; SILVA, C. C. Enhancing Teachers’ Awareness About Relations Between Science and Religion. Science & Education, v. 24, n. 9, p. 1173-1199, 2015.

BARBOUR, I. G. Religion in an age of science: The Gifford Lectures 1989-1991. San Francisco: Harper Collins, 1990. 297 p. v. 1.

BATESON, G. Steps to an ecology of mind: Collected essays in anthropology, psychiatry, evolution, and epistemology. Chicago: University of Chicago Press, 2000. 533 p.

BEHRENS, M. A. A Prática Pedagógica e o Desafio do Paradigma Emergente. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, v. 80, p. 383-303, 1999.

BEHRENS, M. A. O Paradigma Emergente e a Prática Pedagógica. Petrópolis: Vozes, 2005.

BUNGE, M. Materia y mente: Una investigación filosófica. Ciudad de México: SIGLO XXI MEXICO, 2016. 528 p.

CAPRA, F. O Tao da Física: Uma exploração dos paralelos entre a física moderna e o misticismo oriental. Tradução: Maria José Quelhas Dias & José Carlos Almeida. Editorial Presença, 1989.

CAPRA, F. As Conexões Ocultas: Ciência para uma vida sustentável. Tradução: Marcelo Brandão Cipolla. 1. ed. São Paulo: Cultrix, 2002. 296 p.

CAPRA, F. Shiva’s Cosmic Dance at CERN. Fritjof Capra, 2004. Disponível em: https://www.fritjofcapra.net/shivas-cosmic-dance-at-cern/. Acesso em: 9 set. 2019.

CAPRA, F. O Tao da Física: Uma análise dos paralelos entre a física moderna e o misticismo oriental. Tradução: José Fernandes Dias. 28. ed. São Paulo: Cultrix, 2011. 376 p.

CAPRA, F. O Ponto de Mutação: A ciência, a sociedade e a cultura emergente. Tradução: Álvaro Cabral. 25. ed. São Paulo: Cultrix, 2012. 432 p. a.

CAPRA, F. A Teia da Vida: Uma nova compreensão científica dos sistemas vivos. Tradução: Newton Roberval Eichemberg. 1. ed. São Paulo: Cultrix, 2012. b.

CAPRA, F. About Fritjof Capra, 2014. Disponível em: https://www.fritjofcapra.net/about/. Acesso em: 9 set. 2019.

CAVALCANTI, C.; NASCIMENTO, M.; OSTERMANN, F. A falácia da culpabilização do professor pelo fracasso escolar. Revista Thema, v. 15, n. 3, p. 1064-1088, 2018. Disponível em: http://revistathema.ifsul.edu.br/index.php/thema/article/view/1059.

CHEW, G. F. “Bootstrap”: A scientific idea? Science, v. 161, n. 3843, p. 762-765, 1968.

CONTRERAS, J. A autonomia de professores. Tradução: Sandra Trabucco Valenzuela. São Paulo: Cortez, 2002. 296 p.

DASTON, L.; GALISON, P. Objectivity. New York: Zone Books, 2007.

DELIZOICOV, D. et al. Sociogenese do conhecimento e Pesquis em Ensino: Contribuições a partir do Referencial do Fleckiano. Caderno Brasileiro de Ensino de Física, v. 19, n. especial, p. 52-69, 2002.

DESCARTES, R. Discurso do Método. Tradução: Maria Ermantina Galvão. 3. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2001.

EINSTEIN, A. Über einen die Erzeugung und Verwandlung des Lichtes betreffenden heuristischen Gesichtspunkt. Annalen der Physik, v. 322, n. 6, p. 132-148, 1905. a. Disponível em: http://doi.wiley.com/10.1002/andp.19053220607.

EINSTEIN, A. Zur Elektrodynamik bewegter Körper. Annalen der Physik, v. 322, n. 10, p. 891-921, 1905. b. Disponível em: http://doi.wiley.com/10.1002/andp.19053221004.

EINSTEIN, A. Física e realidade. Revista Brasileira de Ensino de Física, v. 28, n. 1, p. 9-22, 2006. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1806-11172006000100003&lng=pt&tlng=pt.

FAZENDA, I. C. A. Interdisciplinaridade e transdisciplinaridade na formação de professores. Ideação, v. 10, n. 1, p. 93-104, 2008.

FEYERABEND, P. Against the Method. 4. ed. London: Verso, 2010. 336 p.

FEYERABEND, P. Adeus à razão. Tradução: Vera Joscelyne. 1. ed. São Paulo: Editora UNESP, 2010. 400 p.

FEYERABEND, P. A Ciência em uma sociedade livre. Tradução: Vera Joscelyne. 1. ed. São Paulo: Editora UNESP, 2011. 288 p.

FOSTER, J. B. The Anthropocene Crisis. Monthly Review, v. 68, n. 4, p. 9, 2016. In: HAMILTON, C.; GEMENNE, F.; BONNEUIL, C. (Eds.). The Anthropocene and the global environmental crisis: Rethinking modernity in a new epoch. London: Routledge, 2015.

FOUCAULT, M. Microfísica do Poder. Tradução: Roberto Machado. 28. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2018.

FREIRE JR, O.; PESSOA JR, O.; BROMBERG, J. L. Teoria quântica - estudos históricos e implicações culturais. Campina Grande: EDUEPB, São Paulo: Livraria da Física, 2011. 456 p.

FREIRE, P. Educação “bancária” e educação libertadora. Introdução à psicologia escolar, v. 3, p. 61-78, 1997.

FREIRE, P. Pedagogia da Autonomia: saberes necessários à prática educativa. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2013.

GALILEI, G. Dialogues Concerning Two New Sciences by Galileo Galilei. Tradução: Henry Crew & Alfonso de Salvio. New York: Macmillan, 1914. 336 p.

GOSWAMI, A. Consciousness in quantum physics and the mind-body problem. Journal of Mind and Behavior, US, v. 11, n. 1, p. 75-96, 1990.

GOSWAMI, A. O Médico Quântico: Orientações de um Físico para a Saúde e a Cura. Tradução: Euclides Luiz Calloni & Cleusa Margô Wosgrau. 1. ed. São Paulo: Cultrix, 2006. 288 p.

HARRISON, D. Teaching the Tao of Physics. American Journal of Physics, v. 47, n. 9, p. 779-783, 1979.

HEISENBERG, W. Die “beobachtbaren Größen” in der Theorie der Elementarteilchen. Zeitschrift für Physik, v. 120, n. 7-10, p. 513-538, 1943. Disponível em: http://link.springer.com/10.1007/BF01329800.

HEISENBERG, W. Physics and Beyond: Encounters and Conversations. Tradução: Arnold J. Pomerans. 1. ed. New York: Harper & Row, 1972. 267 p.

JAMMER, M. Einstein e a Religião: Física e Teologia. Tradução: Vera Ribeiro. Rio de Janeiro: Contraponto, 2000. 224 p.

JOHANSSON, A. et al. “Shut up and calculate”: the available discursive positions in quantum physics courses. Cultural Studies of Science Education, v. 13, n. 1, p. 205-226, 2018.

KINCHELOE, J. L.; TOBIN, K. The much exaggerated death of positivism. Cultural Studies of Science Education, v. 4, n. 3, p. 513-528, 2009.

KRAGH, H. Matter and Spirit in the Universe: Scientific and Religious Preludes to Modern Cosmology. London: Imperial College Press, 2004. 312 p.

KUHN, T. The Structure of Scientific Revolutions. 3. ed. Chicago: University of Chicago Press, 1996.

LATOUR, B. Pandora’s Hope: Essays on the reality of Science Studies. Cambridge: Harvard University Press, 1999. 226 p.

LATOUR, B. Jamais Fomos Modernos. Tradução: Carlos Irineu da Costa. 3. ed. São Paulo: Editora 34, 2013. 152 p.

LEMKE, J. The secret identity of science education: masculine and politically conservative? Cultural Studies of Science Education, v. 6, n. 2, p. 287-292, 2011. Disponível em: http://link.springer.com/10.1007/s11422-011-9326-6.

LIDGARD, S.; NYHART, L. K. Biological individuality: Integrating scientific, philosophical, and historical perspectives. Chicago: University of Chicago Press, 2017. 400 p.

LIMA, N. W. et al. A História do Fóton em Livros de Física. Enseñanza de las Ciencias, v. v. extra, p. 1953-1957, 2017.

LIMA, N. W. et al. Um Estudo Metalinguístico sobre as Interpretações do Fóton nos Livros Didáticos de Física Aprovados no PNLDEM 2015: Elementos para uma Sociologia Simétrica da Educação em Ciências. Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências, v. 1, n. 2, p. 331-364, 2018. Disponível em: https://seer.ufmg.br/index.php/rbpec/article/view/9681.

LIMA, N. W. et al. The Polysemic Nature of Photons: Hybridization and Backwards Causation in Contemporary Undergraduate Quantum Physics Textbooks. In: INTERNATIONAL HISTORY, PHILOSOPHY AND SCIENCE TEACHING CONFERENCE, 15, 2019, Thessaloniki. Atas... Thessaloniki: 2019.

LIMA, N. W.; NASCIMENTO, M. M. Terapias Integrativas: Uma Disputa Epistemológica e Política. In: ENCONTRO DE PESQUISA EM ENSINO DE FÍSICA, XVII, 2018, Campos do Jordão. Atas... Campos do Jordão: SBF, 2018.

LIMA, N. W.; OSTERMANN, F.; CAVALCANTI, C. J. de H. A não-modernidade de Bruno Latour e suas implicações para a Educação em Ciências. Caderno Brasileiro de Ensino de Física, v. 35, n. 2, p. 367-388, 2018.

LIMA, N. W.; OSTERMANN, F.; CAVALCANTI, C. J. H. Física Quântica no ensino médio: uma análise bakhtiniana de enunciados em livros didáticos de Física aprovados no PNLDEM2015. Caderno Brasileiro de Ensino de Física, v. 34, n. 2, p. 435, 2017. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/fisica/article/view/2175-7941.2017v34 n2p435.

LOPES, A. R. C. Bachelard: o filósofo da desilusão. Caderno Catarinense de Ensino de Física, v. 13, n. 3, p. 248-273, 1996. Disponível em: http://www.joinville.udesc.br/portal/ professores/susana/materiais/Bachelard.pdf.

MATTHEWS, M. R. A role for history and philosophy in science teaching. Educational Philosophy and Theory, v. 20, n. 2, p. 67-81, 1988.

MELO, T. B.; ALBUQUERQUE, M. B. De; CHRISPINO, A. ENSINO CTS NO BRASIL E CTS NA IBERO-AMÉRICA : IDENTIFICAÇÃO DE ÁREAS DE INTERESSE POR MEIO DE REDES SOCIAIS. Ensenanza de las Sciencias, v. especial, p. 4727-4732, 2017.

MERMIN, N. D. What’s Wrong with this Pillow? Physics Today, v. 42, n. 4, p. 9-11, 1974.

MIES, M.; SHIVA, V. Ecofeminism. London: Zed Books, 2014. 360 p.

MORAES, M. C. O Paradigma Educacional Emergente. Campinas: Papirus, 2007. 240 p.

MOURA, C. B. O Ensino de Ciências e a Justiça Social: questões para o debate. Caderno Brasileiro de Ensino de Física, v. 36, n. 1, p. 1-7, 2019. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/fisica/article/view/2175-7941.2019v36n1p1.

MOURA, M. D.; SANTOS, R. P. Detectando misticismo quântico em livros publicados no Brasil com Ciência de Dados. Caderno Brasileiro de Ensino de Física, v. 34, n. 3, p. 725-744, 2017. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/fisica/article/view/21757941.2017v34n3p725.

MUSSATO, G. A. Ontologia e epistemologia na educação científica. 2018. 156 f. Tese (Doutorado em Educação em Ciências e Matemática) - PUCRS, 2018.

NASCIMENTO, M. M. et al. Cultura política, desempenho escolar e a Educação em Ciências: um estudo empírico à luz de Pierre Bourdieu. Ciência & Educação (Bauru), v. 25, n. 2, p. 431-447, 2019. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1516-73132019000200431&tlng=pt.

OSTERMANN, F. A epistemologia de Kuhn. Caderno Catarinense de Ensino de Física, v. 13, n. 3, p. 184-96, 1996. Disponível em: http://www.lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/85016/000257126.pdf?sequence=1.

OSTERMANN, F.; MOREIRA, M. A. Uma revisão bibliográfica sobre a área de pesquisa “Física Moderna e Contemporânea no Ensino Médio”. Investigações em ensino de ciências, v. 5, n. 3, p. 23-48, 2000.

PESA, M. A.; OSTERMANN, F. La ciencia como actividad de resolución de problemas: la epistemologia de Larry Laudan y algunos aportes para las investigaciones educativas en ciencias. Caderno Brasileiro de Ensino de Física, v. 19, p. 84-99, 2002. Disponível em: http://www.lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/85030/000336312.pdf?sequence=1.

PESSOA JR., O. Conceitos de Física Quântica. São Paulo: Livraria da Física, 2003. 188 p. v. 1.

PONTES, F.; MELO, T. B. de; CHRISPINO, Á. Temas na pesquisa em ensino CTS brasileiro: um panorama. Indagatio Didactica, v. 8, n. 1, p. 1498-1510, 2016.

POPPER, K. Conjectures and Refutations: The growth of scientific knowledge. London: Routledge, 1963. 412 p.

REGNER, A. C. K. P. Feyerabend e o pluralismo metodológico. Caderno Catarinense de Ensino de Física, v. 13, n. 3, p. 231-247, 1996. Disponível em: http://nutes2.nutes.ufrj.br/coordenacao/textosapoio/tap-epis-13.pdf.

ROCHA, G. R. Uma História Cultural do Reencantamento do Mundo pela Teoria Quântica. 2015. 311 f. Tese (Doutorado em História, Filosofia e Ensino de Ciências) - UFBA, 2015.

ROCHA, G. R. Uma História Cultural da Teoria da Matriz-S : Geoffrey Chew e a Filosofia de Bootstrap. Revista Brasileira de História da Ciência, v. 10, n. 1, p. 49-69, 2017.

RUTHERFORD, F. Fostering the History of Science in American Science Education. In: BEVILACQUA, F.; GIANNETTO, E.; MATTHEWS, M. R. (Eds.). Science Education and Culture: The Contribution of History and Philosophy of Science. Dordrecht: Springer Netherlands, 2001. p. 41-52.

SAITO, M. T. A gênese e o desenvolvimento da relação entre Física Quântica e misticismo e suas contribuições para o Ensino de Ciências. 2018. 354 f. Tese (Doutorado em Ciências) - USP, 2018.

SANTOS, B. S. Um discurso sobre as ciências. 5. ed. São Paulo: Cortez, 2008. 92 p.

SANTOS, B. S.; MENESES, M. P. Epistemologias do Sul. São Paulo: Cortez, 2009.

SHAPIN, S.; SCHAFFER, S. Leviathan and the Air-Pump. Princeton: Princeton University Press, 1985.

SILVEIRA, F. L. A filosofia de Karl Popper e suas implicações no ensino da ciência. Caderno Catarinense de Ensino de Física, v. 6, n. 2, p. 148-162, 1989.

SILVEIRA, F. L. A filosofia da ciência de Karl Popper: o racionalismo crítico. Caderno Catarinense de Ensino de Física, v. 5, n. 2, p. 33-42, 2002. Disponível em: http://www.lume.ufrgs.br/handle/10183/85014.

SILVEIRA, F. L. A Metodologia dos Programas de Pesquisa: A Epistemologia de Lakatos. Caderno Brasileiro de Ensino de Física, v. 13, n. 3, p. 219-230, 1996.

TEIXEIRA, E. S.; GRECA, I. M.; FREIRE, O. The History and Philosophy of Science in Physics Teaching: A Research Synthesis of Didactic Interventions. Science & Education, v. 21, n. 6, p. 771-796, 2012.

TOLEDO, C. E. R. et al. Os temas de pesquisa que orbitam o enfoque CTS: uma Análise de Rede sobre as Teses publicadas no Brasil. Desenvolvimento Curricular e Didática, v. 8, n. 1, p. 1367-1383, 2016.

Downloads

Publicado

2019-12-05

Edição

Seção

História e Filosofia da Ciência