A ciência, o olhar e o se-movimentar: uma fenomenologia do futebol - ou de como o CAP encontra talentos

Fernando Gonçalves Bitencourt

Resumo


Este artigo, apoiado em uma etnografia realizada no Centro de Treinamento do Caju, do Clube Atlético paranaense, objetiva refletir sobre o modo através do qual o CAP seleciona seus futuros atletas. Descrevendo as diferentes maneiras de recrutar jogadores, discuto sobre os limites da ciência para a detecção dos "talentos". Concluo que é na relação fenomenológica entre o olhar e o se-movimentar – do olheiro com o jogador – que o devir jogador de futebol se realiza.


Palavras-chave


Futebol; Ciência; Técnica/tecnologia; Fenomenologia

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5007/%25x



R. Motriviv., Florianópolis, Santa Catarina, Brasil, ISSNe: 2175-8042.

Os textos publicados na Revista Motrivivência estão licenciados com uma Licença Creative Commons de atribuição não comercial compartilhar igual: CC BY-NC-SA