Mulheres fora da área: escritoras "arriscando-se" a dissertar sobre futebol

Maria Thereza Oliveira Souza, André Mendes Capraro, Larissa Jensen

Resumo


http://dx.doi.org/10.5007/2175-8042.2017v29n50p140

É notável que o ambiente do futebol foi historicamente dominado pela presença masculina, o que reflete na produção artística/literária sobre o tema. Sabendo de antemão que há um grande número de cronistas homens escrevendo diariamente sobre esporte, e especialmente sobre futebol, e constatando que, em contraste a isso, são raros os textos dessa temática escritos por mulheres, objetivou-se no presente artigo apresentar reflexões sobre como o número reduzido de literatas, que escreveram sobre futebol, o conceberam, possibilitando também refletir sobre o domínio masculino perpetuado nessa esfera. A metodologia utilizada foi de estudos literários, focada na análise de crônicas esportivas, nesse caso, especificamente, das escritoras Lya Luft, Raquel de Queiroz e Clarice Lispector, portanto, buscou-se fazer uma relação entre literatura e história. Concluiu-se que, nos raros textos futebolísticos produzidos por essas mulheres, quando estas não se desculparam por estar escrevendo sobre tal temática, procuraram se afastar de avaliações técnicas ou táticas.

 


Palavras-chave


Mulheres; Literatura; Futebol

Texto completo:

PDF/A




Motriviv. UFSC, Florianópolis, SC, Brasil, ISSNe: 2175-8042.

 



 

 

Licença Creative Commons
A Revista Motrivivência está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.