Planejamento de ensino na educação infantil: percepções de professores de Educação Física escolar

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-8042.2020e75850

Palavras-chave:

Educação física escolar, Planejamento de ensino, Educação infantil, Pesquisa qualitativa

Resumo

Este estudo discute como professores de Educação Física escolar compreendem e elaboram o planejamento de ensino na Educação Infantil. Trata-se de uma pesquisa qualitativa realizada com cinco professores de Educação Física, diplomados pela mesma instituição de ensino superior, que atuam na Educação Infantil da rede pública de um município da Região do Vale do Taquari/RS. As informações foram coletadas por meio de entrevistas semiestruturadas, cuja análise de conteúdo originou dois pontos de discussão: (i) planejamento de ensino: das dúvidas à desvalorização do plano de trabalho e (ii) planos de aulas: da busca por atividades às críticas sobre o Ensino Superior. Em conclusão, os professores percebem o planejamento de ensino como documento de fins burocráticos, cuja elaboração é marcada pela escolha de objetivos e seleção de atividades práticas e brincadeiras prontas. Nesse caso, desconsiderando o caráter político e utópico do planejamento e reduzindo o curso de graduação a uma formação técnico-instrumental.

Biografia do Autor

Joana Diedrich, Universidade do Vale do Taquari

Licenciada de Educação Física

Samuel Nascimento de Araújo, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Mestre em Ciências do Movimento Humano pela UFRGS. Professor de Educação Física da Prefeitura Municipal de Guarani das Missões, professor de Educação Física do Governo do Estado do Rio Grande do Sul e professor/treinador da Associação Guaraniense Pró Esporte e Cultura.

Leandro Oliveira Rocha, Universidade do Vale do Taquari

Doutor em Ciências do Movimento Humano pela UFRGS (2019). Professor de Graduação em Educação Física da Universidade do Vale do Taquari e professor de Educação Física da Rede Municipal de Ensino de Teutônia/RS.

Referências

AGUIAR, Elton José da Silva; MARÇAL, Izabela Lobato. Planejamento em Educação Física: ocorre de fato? In: CONGRESSO NORTE-BRASILEIRO DE CIÊNCIAS DO ESPORTE, 3, 2010. Anais. Castanhal e Belém: CONCENO, 1 - 4, dez., 2010. Disponível em: http://congressos.cbce.org.br/index.php/3conceno/3conceno/paper/viewFile/4667/2263. Acesso em: 30/04/2020.

BALZAN, Newton Cesar. O Conceito de Planejamento e sua aplicação aos Sistemas Educacionais e às Atividades de Ensino: alcance e limites no linear do século XXI. Educação Brasileira, v. 18, p. 151-172, 1996.

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2011.

BOSSLE, Fabiano. Planejamento de ensino dos professores de educação física do 2º e 3º ciclos da rede municipal de ensino de Porto Alegre: um estudo do tipo etnográfico em quatro escolas desta Rede de Ensino. 2003. 271 f. Dissertação. Mestrado em Ciências do Movimento Humano) – UFRGS, Porto Alegre.

BRASIL. Parâmetros Curriculares Nacionais: Educação Física. Secretaria de Educação Fundamental – Brasília, DF: MEC/SEF, 1997, 68p. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/livro07.pdf. Acesso em: 30/04/2020.

BRASIL. Base Nacional Curricular Comum – Brasília, DF: MEC, 2018. 595 p. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf. Acesso em: 30/12/2020.

CAPARRÓZ, Eduardo C.; BRACHT, Valter. O tempo e o lugar de uma didática da educação física. Revista Brasileira de Ciências do Esporte, Campinas, v. 28, n. 2, p. 21-37, jan. 2007.

CHIZZOTTI, Antonio. Pesquisa em ciências humanas e sociais. 4. ed. São Paulo: Cortez, 2000.

COLL, César. Psicologia e currículo: uma aproximação psicopedagógica à elaboração do currículo escolar. São Paulo: ativa, 1997.

FIGUEIREDO, Zenólia C. Campos. Formação docente em Educação Física: experiências sociais e relação com o saber. Movimento, Porto Alegre, v. 10, n. 1, p. 89-111, jan./abril, 2004.

FONSECA, Denise Grosso da; MACHADO, Roseli Belmonte. Educação Física: (re)visitando a didática. Porto Alegre: Sulina, 2015.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia. 35. ed. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. 50. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2011.

GANDIN, Danilo. Planejamento como prática educativa. 12. ed. São Paulo: Loyola, 2002.

KUENZER, Acácia Zeneida. Política educacional e planejamento no Brasil: os descaminhos da transição. In: CALAZANS, Maria Julieta Costa et al. Planejamento e educação no Brasil. São Paulo: Cortez, 1990.

LEAL, Regina Barros. Planejamento de ensino: peculiaridades significativas. Revista Iberoamericana de Educación, Espanha, n. 37/3, p. 1-7, jan./abril, 2005.

MORAES, Roque. Mergulhos discursivos: análise textual qualitativa entendida como processo integrado de aprender, comunicar e interferir em discursos. In: GALIAZZI, Maria do Carmo; FREITAS, José Vicente. Metodologias emergentes de pesquisa em educação ambiental. Ijuí: Unijuí, 2007, p. 85-114.

NUNES, Luciana de Oliveira; FONSECA, Denise Grosso da; BOSSLE, Cibele Biehl; BOSSLE, Fabiano. Planejamento de ensino e Educação Física: uma revisão de literatura em periódicos nacionais. Motrivivência, Florianópolis/SC, v. 29, n. 52, p. 280-294, setembro/2017. Disponível em: DOI: https://doi.org/10.5007/2175-8042.2017v29n52p280. Acesso em 20/03/2020.

PADILHA, Paulo Roberto. Planejamento dialógico: como construir o projeto político-pedagógico da escola. São Paulo: Cortez, 2001.

PÉREZ GÓMEZ, Angel Ignacio. As funções sociais da escola: da reprodução à reconstrução crítica do conhecimento e da experiência. In: SACRISTÁN, José Gimeno e PÉREZ GÓMEZ, Angel Ignacio. Compreender e transformar o ensino. 4 ed. Porto Alegre: Artmed, 1998, p. 13-26, 396 p.

PIMENTA, Selma Garrido; LIMA, Maria Socorro Lucena. Estágio e docência: diferentes concepções. Revista Poíesis, v. 3, n. 3/4, p. 5-24, 2005/2006.

RODRIGUES, Anegleyce Teodoro. A questão da formação de professores de educação física e a concepção de professor enquanto intelectual – reflexivo – transformador. Pensar a Prática, v. 1, p. 48-58, nov. 2006.

SCHÖN, Donald A. Educando o profissional reflexivo. Porto Alegre: Artmed, 2000.

TARDIF, Maurice; LESSARD, Claude. O trabalho Docente: elementos para uma teoria da docência como profissão de interações humanas. 6. ed. Petrópolis/RJ: Vozes, 2011.

TRIVIÑOS, Augusto Nibaldo Silva. Introdução à pesquisa em ciências sociais: a pesquisa qualitativa em educação. São Paulo: Atlas, 1987.

Downloads

Publicado

2020-11-16

Edição

Seção

Artigos Originais