Associações de trabalhadores no bairro paulistano da Mooca entre 1900 e 1920

Autores

  • Bruno Caccavelli Escola de Filosofia, Letras e Ciências Humanas - Universidade Federal de São Paulo.

DOI:

https://doi.org/10.5007/1984-9222.2015v7n14p145

Palavras-chave:

Associações, Trabalhadores

Resumo

O objetivo deste texto é traçar um panorama das associações de trabalhadores do bairro paulistano da Mooca entre os anos 1900 e 1920, abordando o surgimento e coexistência das sociedades, seus tipos, endereços escolhidos para fixar as suas sedes e o funcionamento interno, a partir do cruzamento de informações obtidas em diversas fontes. Buscamos analisar também a dinâmica associativa e entender as formas com que identidades múltiplas, como a étnica e a de classe, se relacionavam.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Bruno Caccavelli, Escola de Filosofia, Letras e Ciências Humanas - Universidade Federal de São Paulo.

Mestrando em História pela Universidade Federal de São Paulo. 

Referências

BATALHA, Claudio. “A geografia associativa: associações operárias, protesto e espaço urbano no Rio de Janeiro da Primeira República”. In: AZEVEDO, E. et al. (Org.). Trabalhadores na cidade: cotidiano e cultura no Rio de Janeiro e em São Paulo, séculos XIX e XX. Campinas: Ed. UNICAMP, 2009.

BATALHA, Claudio H. M. “Cultura associativa no Rio de Janeiro da Primeira República”. In: BATALHA, Claudio H. M. et al. (org.). Cultura de Classes: identidade e diversidade na formação do operariado. Campinas, SP: Editora Unicamp, 2004.

BIONDI, Luigi. “Mãos unidas, corações divididos. As sociedades italianas de socorro mútuo em São Paulo na Primeira República: sua formação, suas lutas, suas festas”. Tempo, vol. 16, núm. 33, julio-diciembre, 2012, p. 80. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/tem/v18n33/a04v18n33.pdf. Acesso em: 1 de jun. 2015.

BIONDI, Luigi. “Imigração Italiana e Movimento Operário em São Paulo: Um Balanço Historiográfico”. In: CARNEIRO, Maria L. T. [et al.]. História do Trabalho e História das migrações: Trabalhadores Italianos e Sindicatos no Brasil (Séculos XIX e XX). São Paulo: Edusp: Fapesp, 2010.

BIONDI, Luigi. Classe e Nação: trabalhadores e socialistas italianos em São Paulo (1890-1920). Campinas-SP: Editora da Unicamp, 2011.

CACCAVELLI, Bruno. “Lazer e sociabilidade dos trabalhadores do bairro paulistano da

Mooca (1900-1920)”. (Dissertação de Mestrado. Universidade Federal de São Paulo, 2015).

CANOVAS, M. D. K. Imigrantes Espanhóis na Pauliceia: Trabalho e Sociabilidade Urbana (1890-1922). São Paulo: Edusp: FAPESP, 2009.

DUARTE, A. L. “Cultura popular e cultura política no após-guerra: redemocratização, populismo e desenvolvimentismo no bairro da Mooca, 1942-1973”. (Tese de Doutorado, Universidade Estadual de Campinas, 2002).

GUZZO, Maria Auxiliadora Dias. A Vida Fora das Fábricas: cotidiano operário em São Paulo - 1927-1934. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

HALL, Michael. “Imigrantes na cidade de São Paulo”. In: PORTA, Paula (org.). História da Cidade de São Paulo: a cidade na primeira metade do século XX. (v. 3). São Paulo: Paz e Terra, 2004.

HALL, Michael; PINHEIRO, Paulo Sérgio. (Org.). A Classe Operária no Brasil. 1899-1930. Vol. I. São Paulo: Alfa-Omega, 1979.

HOGGART, Richard. As Utilizações da Cultura: aspectos da classe trabalhadora, com especiais referências a publicações e divertimentos. v. 2. Lisboa: Presença, 1973.

LOPREATO, C. S. R. O espírito da revolta: a greve geral anarquista de 1917. São Paulo: Annablume/FAPESP, 2000.

PINTO, Maria I. M. B. Cotidiano e Sobrevivência: A Vida do Trabalhador Pobre na Cidade de São Paulo, 1890-1914. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 1994.

RAGO, Margareth. “A invenção do cotidiano na metrópole: sociabilidade e lazer em São Paulo, 1900-1950”. In: PORTA, Paula (org.). História da Cidade de São Paulo: a cidade na primeira metade do século XX. (v. 3). São Paulo: Paz e Terra, 2004.

SALUM, Alfredo Oscar. "Palestra Itália e Corinthians: Quinta Coluna ou Tudo Buona Gente?". (Tese de Doutorado, Universidade de São Paulo, 2007).

SAVAGE, Mike. “Classe e história do trabalho”. In: BATALHA, Claudio H. M. et al. (org.). Cultura de Classes: identidade e diversidade na formação do operariado. Campinas, SP: Editora Unicamp, 2004.

SIQUEIRA. “Clubes e Sociedades dos Trabalhadores do Bom Retiro” e “Entre sindicatos, clubes e botequins: identidades, associações e lazer dos trabalhadores paulistanos (1890-1920)”. (Tese de doutorado. Universidade Estadual de Campinas, 2008).

SIQUEIRA, Uassyr. “Clubes e Sociedades dos Trabalhadores do Bom Retiro: organização, lutas e lazer em um bairro paulistano (1925-1942)”. (Dissertação de mestrado, Universidade Estadual de Campinas, 2002).

THOMPSON, E. P. A Formação da Classe Operária Inglesa. v. 1. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

THOMPSON, E. P. A Formação da Classe Operária Inglesa. v. 2. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

TRINDADE, Liana S. “O negro em São Paulo no período pós-abolicionista”. ORTA, Paula (org.). História da Cidade de São Paulo: a cidade na primeira metade do século XX. (v. 3). São Paulo: Paz e Terra, 2004.

TRENTO, Angelo. “Organização Operária e Organização do Tempo Livre entre os Imigrantes Italianos em São Paulo”. In: CARNEIRO, Maria L. T. [et al.]. História do Trabalho e História das migrações: Trabalhadores Italianos e Sindicatos no Brasil (Séculos XIX e XX). São Paulo: Edusp: Fapesp, 2010.

VISCARDI, Cláudia. M. R., “O estudo do mutualismo: algumas considerações historiográficas e metodológicas”. Revista Mundos do Trabalho, v. 2, p. 23-39, 2010.

Downloads

Publicado

2016-06-28

Como Citar

CACCAVELLI, B. Associações de trabalhadores no bairro paulistano da Mooca entre 1900 e 1920. Revista Mundos do Trabalho, Florianópolis, v. 7, n. 14, p. 145-166, 2016. DOI: 10.5007/1984-9222.2015v7n14p145. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/mundosdotrabalho/article/view/1984-9222.2015v7n14p145. Acesso em: 1 dez. 2021.