Os Febianos: experiência, consciência e agência dos trabalhadores brasileiros convocados para a guerra na Força Expedicionária Brasileira - FEB (1943 – 1945)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/1984-9222.2019.e66536

Palavras-chave:

Força Expedicionária Brasileira, Exército de Caxias, Segunda Guerra Mundial

Resumo

Este artigo analisa características de uma identidade coletiva surgida entre parte dos civis recrutados para a FEB e algumas de suas tentativas de agência durante a campanha da Itália. As novas práticas vivenciadas na FEB eram muito diferentes das práticas adotadas no Exército Brasileiro. Em episódios de indisciplina, ou na utilização instrumentos construídos coletivamente, como o jornal de trincheira ‘E a Cobra Fumou!’ buscamos evidenciar o protagonismo dos Febianos em relação ao comando da FEB, composto de militares profissionais do Exército.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Frederico Soares Ribeiro

Mestre em História. Atualmente, docente de História na SEEDUC - RJ e Secretaria Municipal de Educação de Piraí - RJ.

Referências

ARRUDA, Demócrito Cavalcanti de. C. et al. Depoimento dos Oficiais de Reserva sobre a FEB. São Paulo: [s. n.], 1949.

CARTROGA, Fernando. Memória, História e Historiografia. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2015.

CASTRO, Celso; LEIRNER, Piero. (Org.) Antropologia dos militares: reflexões sobre pesquisas de campo. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2009.

FERRAZ, Francisco César Alves. A guerra que não acabou: a reintegração social dos veteranos da Força Expedicionária Brasileira (1945-2000). Londrina: Eduel, 2012.

FERRAZ, Francisco César Alves. Os brasileiros e a Segunda Guerra Mundial. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2005.

FIELD, Geoffrey. Civilians in Uniform: Class and politics in the British Armed Forces, 1939 - 1945. International Labor and Working-Class History, p. 121 – 147, n. 80, fall 2011.

MAXIMIANO, Cesar Campiani. Barbudos, sujos e fatigados: soldados brasileiros na Segunda Guerra Mundial. São Paulo, Grua, 2010.

MERON, Luciano Bastos. Memórias do front: Relatos de guerra de veteranos da FEB. 2009. Dissertação (Mestrado em História) - Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2009.

MORAES, João Baptista Mascarenhas de. A FEB pelo seu comandante. Rio de Janeiro: Biblioteca do Exército Ed., 2005.

RODRIGUES, Fernando da Silva. Indesejáveis: Instituição, pensamento político e formação profissional dos oficiais do exército brasileiro. São Paulo: Paco Editorial, 2013.

SCHNAIDERMAN, Boris. Guerra em surdina. 4 ed. rev. São Paulo: Cosac & Naify, 2004.

SCHURSTER, Karl apud SILVA, Francisco Carlos Teixeira da et. al (org.). O Brasil e a Segunda Guerra Mundial. Rio de Janeiro: Multifoco, 2011.

THOMPSON, E. P. A formação da classe operária inglesa. v. I: A árvore da liberdade. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

THOMPSON, E. P. Senhores e caçadores: a origem da lei negra. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

UDIHARA, Massaki. Um médico brasileiro no front: diário de Massaki Udihara na II Guerra Mundial. São Paulo: Imprensa Oficial do Estado, 2002.

Downloads

Publicado

2019-12-17

Como Citar

RIBEIRO, F. S. Os Febianos: experiência, consciência e agência dos trabalhadores brasileiros convocados para a guerra na Força Expedicionária Brasileira - FEB (1943 – 1945). Revista Mundos do Trabalho, Florianópolis, v. 11, p. 1-30, 2019. DOI: 10.5007/1984-9222.2019.e66536. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/mundosdotrabalho/article/view/1984-9222.2019.e66536. Acesso em: 22 out. 2021.

Edição

Seção

Dossiê 2019.1 - "Trabalhadores e Segunda Guerra Mundial"