Do Arsenal de Guerra para o mundo operário mais amplo: estudo centrado na Sociedade Bolsa de Caridade (1872-1930)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/1984-9222.2019.e66903

Palavras-chave:

Sociedade Bolsa de Caridade, Mutualismo, Associativismo Operário, Arsenal de Guerra da Bahia

Resumo

A Sociedade Bolsa de Caridade do Arsenal de Guerra da Bahia foi fundada em 8 de maio de 1872. De início, tratava-se de uma associação mutualista fechada, restrita aos operários aquela instituição. Ela foi gradualmente eliminando entraves, até tornar-se uma agremiação aberta aos indivíduos de qualquer ocupação, sexo ou nacionalidade. A presente pesquisa acompanhou a trajetória da associação desde a sua fundação, até o ano de 1930, buscando compreender o que representava o associativismo mutualista para os próprios filiados ao longo desse período. Nesse sentido, este artigo procura apresentar a composição social da agremiação e a rede de relações de seus membros com outras associações de auxílio-mútuo, especialmente a avultada participação de seus filiados no corpo diretivo de diversas outras sociedades operárias de Salvador.

Biografia do Autor

Celina Batalha Oliveira Lima, Secretaria da Educação do Estado da Bahia

Graduada em História pela Universidade Federal da Bahia (UFBA). Mestre em História pela Universidade do Estado da Bahia (UNEB).

Referências

BACELAR, Jeferson. Os negros em Salvador: os atalhos raciais. Revista de História, São Paulo, n. 129-131, p. 53-65, 1993/1994.

BATALHA, Claudio H. M. Sociedades de trabalhadores no Rio de Janeiro do século XIX: algumas reflexões em torno da formação da classe operária. Cadernos AEL, Campinas, v. 6, n. 10/11, p. 42-67, 1999.

BATALHA, Claudio H. M. Relançando o debate sobre o mutualismo no Brasil: as relações entre corporações, irmandades, sociedades mutualistas de trabalhadores e sindicatos à luz da produção recente. Revista Mundos do Trabalho, Florianópolis, v. 2, n. 4, 2010.

CASTELLUCCI, Aldrin A. S. A luta contra a adversidade: notas de pesquisa sobre o mutualismo na Bahia (1832-1930). Revista Mundos do Trabalho, v. 2, n. 4, p. 40-77, 2010.

CASTELLUCCI, Aldrin A. S. Política e cidadania operária em Salvador (1890-1919). Revista de História (USP), São Paulo, n 162, p. 205-241, 1º semestre de 2010.

CASTELLUCCI, Aldrin A. S. “O associativismo mutualista na formação da classe operária em Salvador (1832-1930)”. In: CORD, Marcelo Mac; BATALHA, Claudio H. M. (Org.). Organizar e proteger: trabalhadores, associações e mutualismo no Brasil (séculos XIX e XX). Campinas: Editora da Unicamp, 2014, p. 47-82.

CASTELLUCCI, Aldrin A. S. Muitos votantes e poucos eleitores: a difícil conquista da cidadania operária no Brasil Império (Salvador, 1850-1881). Varia Historia (UFMG), Belo Horizonte, v. 30, n. 52, p. 183-206, jan./abr. 2014.

CASTELLUCCI, Aldrin Armstrong Silva. Trabalhadores e política no Brasil: do aprendizado do Império aos sucessos da Primeira República. Salvador: EDUNEB, 2015.

LACERDA, David Patrício. Trabalho, política e solidariedade operária: uma história social do Arsenal de Marinha do Rio de Janeiro (c. 1860 - c. 1890). Tese (Doutorado em História). Universidade Estadual de Campinas, 2016.

LEITE, Douglas Guimarães. “Mutualistas, graças a Deus”: identidade de cor, tradições e transformações do mutualismo popular na Bahia do século XIX (1831-1869). Tese (Doutorado em História Social), Universidade de São Paulo, 2017.

LIMA, Celina Batalha Oliveira. Do Arsenal de Guerra para o mundo operário mais amplo: um estudo sobre a Sociedade Bolsa de Caridade (1872-1930). Dissertação (Mestrado em História). Universidade do Estado da Bahia – Campus de Alagoinhas, 2019.

LUCA, Tania Regina de. O sonho do futuro assegurado: o mutualismo em São Paulo. São Paulo: Contexto; Brasília; DF: CNPq, 1990.

MAC CORD, Marcelo. Artífices da cidadania: mutualismo, educação e trabalho no Recife oitocentista. Campinas, SP: Editora da Unicamp, 2012;

SILVA JUNIOR. As sociedades de socorros mútuos: estratégias privadas e públicas (estudo centrado no Rio Grande do Sul, 1854-1940). Tese (Doutorado em História) – Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, 2004.

SILVA JUNIOR, Adhemar Lourenço da. Oligarquias em sociedades de socorros mútuos (1854-1940). Revista Mundos do Trabalho, Florianópolis, v.2, n. 4, p. 78-108, 2010.

VISCARDI, Cláudia Maria Ribeiro. Estratégias populares de sobrevivência: o mutualismo no Rio de Janeiro Republicano. Revista Brasileira de História, São Paulo, v. 29, nº 58, p. 291-315, 2009.

VISCARDI, Cláudia Maria Ribeiro. “O ethos mutualista: valores, costumes e festividades”. In: MAC CORD, Marcelo; BATALHA, Claudio H. M. (Org.). Organizar e Proteger: trabalhadores, associações e mutualismo no Brasil (séculos XIX e XX). Campinas, SP: Ed. Unicamp, 193-218, 2014.

Downloads

Publicado

2019-11-05

Edição

Seção

Artigos