A Sociedade de Resistência dos Trabalhadores em Trapiche e Café: novos questionamentos para incontornáveis debates (1904-1913)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/1984-9222.2020.e66937

Palavras-chave:

Trabalhadores, Sociedade resistência, Rio de Janeiro

Resumo

O período compreendido entre as últimas décadas do século XIX e o início do século XX nas
principais cidades do Brasil – incluindo o Rio de Janeiro – é marcado por uma ebulição política e um intenso processo de conscientização dos trabalhadores acerca de suas condições de vida e trabalho. Nesse contexto, a zona portuária da cidade consistia num dos principais espaços de articulação dos trabalhadores, e tinha a Sociedade de Resistência dos Trabalhadores em Trapiche e Café como um grande exemplo de ferramenta para sua organização. Tal entidade possuía diversos traços advindos do período escravista, seja na composição étnico-racial de seus associados, ou em determinados elementos relacionados à organização desses sujeitos. Propomos, contudo, uma reaproximação do tema a partir de novas fontes no intuito de buscar novos questionamentos e suscitar novas reflexões, de forma a captar possíveis convergências entre as heranças provindas dos trabalhadores escravizados e suas formas de organização, por um lado, assim como novas perspectivas ideológicas oriundas das lutas dos trabalhadores europeus que se forjavam, por outro. Nesse sentido, podemos identificar em tal cenário bastante heterogêneo, alguns elementos de conflito entre os trabalhadores, mas, também, diversos aspectos de solidariedade de classe entre eles.

Biografia do Autor

Lívia Cintra Berdu, Universidade Federal Fluminense (UFF)

Doutoranda em História Social na Universidade Federal Fluminense (UFF).

Referências

ARANTES, Érika Bastos. O Porto Negro: trabalho, cultura e associativismo dos trabalhadores portuários no Rio de Janeiro na virada do XIX para o XX. Tese (Doutorado em História) – Instituto de Ciências Humanas e Filosofia, Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2010.

BATALHA, Claudio. A difusão do marxismo e os socialistas brasileiros na virada do século XIX In: MORAES, João Quartim (org.). História do marxismo no Brasil, v. II. Campinas, Unicamp, 1995, p. 11-44.

BATALHA, Claudio. O socialismo no Brasil na época da II Internacional: uma revisão de algumas interpretações correntes. In: XV Encontro Anual da ANPOCS, 1991, Caxambu/MG. Anais... São Paulo: ANPOCS, 1991, p. 1-26.

BATALHA, Claudio. A difusão do marxismo e os socialistas brasileiros na virada do século XIX In: MORAES, João Quartim (org.). História do marxismo no Brasil, v. II. Campinas, Unicamp, 1995.

CRUZ, Maria Cecília Velasco e. Virando o jogo: estivadores e carregadores no Rio de Janeiro da Primeira República. Tese (Doutorado em História) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 1998.

CRUZ, Maria Cecília Velasco e. Tradições negras na formação de um sindicato: Sociedade de Resistência dos Trabalhadores em Trapiche e Café – Rio de Janeiro, 1900-1930. Afro-Ásia, Salvador n. 24, p. 243-290, 2000.

CRUZ, Maria Cecília Velasco e. Cor, etnicidade e formação de classe no porto no Rio de Janeiro: a Sociedade de Resistência dos Trabalhadores em Trapiche e Café e o conflito de 1908. Revista USP, São Paulo, n. 68, dez.-fev., p. 194, 2005-2006.

TERRA, Paulo Cruz, Cidadania e trabalhadores: cocheiros e carroceiros no Rio de Janeiro (1870-1906) Tese (Doutorado em História) – Instituto de Ciências Humanas e Filosofia, Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2012.

Downloads

Publicado

2020-03-09

Edição

Seção

Artigos