“Também eram exploradas!”: as mulheres e o Primeiro de Maio em Manaus na década de 1910

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/1984-9222.2020.e72710

Palavras-chave:

Primeiro de Maio, Mulheres, Manaus

Resumo

Neste artigo, temos como objetivo demostrar como as mulheres trabalhadoras da cidade de Manaus participaram das mobilizações do Primeiro de Maio durante a década de 1910. Enfocaremos na trajetória das trabalhadoras da Fábrica de Roupas Amazonense, que empreenderam sucessivas greves na cidade entre 1911 e 1913. A partir da imprensa manauara – tanto jornais operários quanto jornais da chamada grande imprensa –, observamos a participação delas no préstito de 1914 quando foram convidadas a seguir o cortejo. A atuação da imprensa também foi alvo de análise neste artigo, principalmente quando os diversos jornais observados escreveriam de forma distinta acerca da participação dessas mulheres. Contudo, apesar do Primeiro de Maio ser encarado como um tema clássico na historiografia, ele ainda pode ser alvo de novas análises, sobretudo a partir de novas perguntas e abordagens das fontes.

Biografia do Autor

Richard Kennedy Nascimento Candido, Universidade Federal do Amazonas (UFAM)

Doutorando em História pela Universidade Federal do Amazonas (UFAM). Mestre em História pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ). Licenciado em História pela Universidade Federal do Amazonas (UFAM).

Referências

ARÊAS, Luciana Barbosa. A Redenção dos Operários: o Primeiro de Maio no Rio de Janeiro durante a República Velha. Dissertação (Mestrado em História) – Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 1996.

BATALHA, Claudio Henrique de Moraes. Cultura associativa no Rio de Janeiro da Primeira República. In: BATALHA, Claudio Henrique de Moraes; SILVA, Fernando Teixeira da (org.). Culturas de classe: identidade e diversidade na formação do operariado. Campinas: Editora da Unicamp, 2004.

BILHÃO, Isabel. Trabalhadores do Brasil!: as comemorações do Primeiro de Maio em tempos de Estado Novo Varguista. Revista Brasileira de História, São Paulo, v. 31, n° 62, 2011.

CANDIDO, Richard Kennedy Nascimento. Primeiro de Maio em Tempos de Repressão: o “Grande Dia” do operariado mundial na Ditadura Civil-Militar Brasileira através do Jornal do Comércio do Amazonas (1964-1968). Revista Manduarisawa, v.1, n° 1, 2017.

CARDOSO, Alcina de Lara e ARAÚJO, Silvia Pereira de. 1° de Maio: cem anos de solidariedade e luta. Curitiba: Beija-Flor, 1986.

DE LUCA, Tania Regina. A História dos, nos e por meio dos jornais. In: PINSKY, Carla Bassanezi (org.). Fontes Históricas. 2° ed. São Paulo: Contexto, 2008.

ENGELS, Frederich. A situação da classe trabalhadora na Inglaterra. São Paulo: Global, 1985.

FONSECA, Cláudia. Ser mulher, mãe e pobre. In: PRIORE, Mary Del (org.). História das Mulheres no Brasil. São Paulo: Contexto, 1997.

FONTANA, Hugo. Haymarket, Chicago, 1° de Maio de 1886. Verve, n° 27, 2015.

GOMES, Angela de Castro Gomes. Cidadania e direitos do trabalho. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 2002.

HOBSBAWM, Eric J. Mundos do Trabalho: novos estudos sobre a história operária. 6° Ed. São Paulo: Paz e Terra, 2015.

HOBSBAWM, Eric J. O nascimento de um feriado: o Primeiro de Maio. In: HOBSBAWM, Eric J. Pessoas Extraordinárias: resistência, rebelião e jazz. Tradução Irene Hirsch e Lólio Lourenço de Oliveira. São Paulo: Paz e Terra, 1998.

HOBSBAWM, Eric. El Nacimiento de una fiesta: El Primero de Mayo. PERRERAC. Disponível em: https://pt.scribd.com/document/346962987/Eric-Hobsbawm-El-Nacimiento-de-Una-Fiesta-El-Primero-de-Mayo, acesso: 1 jun. 2020.

JOSHI, Chitra. Além da polêmica do provedor: mulher, trabalho e história do trabalho. Revista Mundos do Trabalho, v. 1, n° 2, 2009.

LINS, Lindercy Francisco Tomé de Souza. Um dia, muitas histórias... Trajetória e concepções do Primeiro de Maio em Fortaleza da Primeira República ao Estado Novo. Dissertação (Mestrado em História) - Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2006.

PERROT, Michelle. Os excluídos da História: operários, mulheres e prisioneiros. 7° edição – Rio de Janeiro; São Paulo: Paz e Terra, 2017.

PINHEIRO, Luís Balkar Sá Peixoto e PINHEIRO, Maria Luiza Ugarte. Mundos do Trabalho na cidade da borracha: trabalhadores, lideranças, associações e greves operárias em Manaus (1880-1930). Jundiaí: Paco Editorial, 2017.

PINHEIRO, Luís Balkar Sá Peixoto. Tensões, disputas e conflitos étnicos na formação do proletariado amazonense: o caso dos portugueses (1890-1930). In: SARGES, Maria de Nazaré, FIGUEIREDO, Aldrin Moura de e AMORIM, Maria Adelina (orgs.) O Imenso Portugal: estudos luso-amazônicos. Belém: UFPA; Cátedra João Lúcio de Azevedo, 2019.

PINHEIRO, Maria Luiza Ugarte. “Mulheres Portuguesas na Belle Époque Manauara, 1880-1920”. In: MENEZES, Lená Medeiros de e SOUZA, Fernando (org.). Brasil – Portugal: Pontes sobre o Atlântico, múltiplos olhares sobre a e/imigração, v.1. Rio de Janeiro: Eduerj, 2017.

PINHEIRO, Maria Luiza Ugarte. A Mulher na Imprensa Amazonense, 1900-1950: algumas reflexões. In: XXVII Simpósio Nacional de História – Conhecimento Histórico e diálogo Social. 2013, Natal/RN. Anais XXVII Simpósio Nacional de História, Natal: Universidade Federal do Rio Grande do Norte, 2013, p. 1-13. Disponível em: http://www.snh2013.anpuh.org/resources/anais/27/1364739330_ARQUIVO_ArtigoMariaLuizaUgartePinheitoAmulhernaImprensaAmazonense.pdf. Acesso em 28 de março de 2020.

PINHEIRO, Geraldo. Imprensa, política e etnicidade: portugueses letrados na Amazônia (1885-1933). Tese (Doutorado em História). Universidade do Porto, Porto, 2012.

PRAIA, Benta Litaiff. Dimensões do Trabalho Feminino: outras imagens da Manaus da borracha (1910-1930). In: PINHEIRO, Maria Luiza Ugarte (Org.). Gênero & Imprensa na História do Amazonas. Manaus: EDUA, 2014.

PIRES, Isabelle Cristina da Silva. Entre Teares e Lutas: relações de gênero e questões etárias nas principais fábricas de tecidos do Distrito Federal (1891-1932). Dissertação (mestrado em História, Política e Bens Culturais) – Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil, Fundação Getúlio Vargas, Rio de Janeiro, 2018.

SILVA, Isabel Saraiva. Mulheres Impressas: amor, honra e violência no cotidiano das mulheres em Manaus, 1932-1962. Dissertação (Mestrado em História). Instituto de Ciências Humanas e Letras, Universidade Federal do Amazonas, Manaus, 2016.

TELES, Luciano Everton Costa. Construindo Redes Sociais, projetos de identidade e espaços políticos: a imprensa operária no Amazonas. Tese (Doutorado em História) – Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2018.

TELES, Luciano Everton Costa. Mundos do Trabalho no Amazonas: as lideranças operárias socialistas – Joaquim Azpilicueta, Nicodemos Pacheco, Manoel Sérvulo e Cursino da Gama (1914-1928). Antítese, v. 11, n. 21, jan./jun. 2018.

TELES, Luciano Everton Costa. Imprensa e Mundos do Trabalho: a singularidade da Imprensa Operária no Amazonas. Revista Mundos do Trabalho, v. 3, n. 5, 2011.

THOMPSON, Dorothy. Las Mujeres y la Radicalidad Politica en el siglo XIX: una dimension ignorada. Revista Mora, Buenos Aires, v. 19, n° 2, 2013.

Downloads

Publicado

2020-07-13

Edição

Seção

Artigos