Bons video games e boa aprendizagem

James Paul Gee

Resumo


O artigo defende que os bons  videogames  incorporam bons princípios de aprendizagem, apoiados pelas  pesquisas  atuais  em Ciência Cognitiva, e os lista:  identidade; interação; produção; riscos; customização; agência; boa ordenação dos problemas; desafio e consolidação; “na hora certa” e “a pedido”;  sentidos contextualizados; frustração prazerosa; pensamento sistemático;  exploração, pensamento lateral, revisão dos  objetivos; ferramentas inteligentes e conhecimento distribuído; equipes transfuncionais e performance anterior à competência.  O artigo conclui com a seguinte pergunta: como podemos tornar  a aprendizagem, dentro e fora das escolas, mais parecida com os games no sentido de que ela use  os tipos de princípios de aprendizagem que os jovens vêem todos os dias nos bons videogames, quando e se estiverem jogando esses games de um modo reflexivo e estratégico?


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5007/2175-795X.2009v27n1p167



Direitos autorais 2009 James Paul Gee

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Perspectiva, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. ISSN print 0102-5473, ISSN 2175-795X.

Recomendamos o uso do browser Firefox_Mozilla como navegador do portal .

Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.