Negando igualdade de oportunidades educacionais: foco no monitoramento de habilidades na Educação Especial

Autores

  • Warren C. Hope

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-795X.2010v28n1p89

Palavras-chave:

Estados Unidos – Segregação na educação, Discriminação racial – Estados Unidos, Estados Unidos – Discriminação na educação, Estados Unidos – Educação Especial

Resumo

Nos Estados Unidos, os afroamericanos viveram com a desigualdade de
oportunidades educacionais desde que se tornaram cidadãos. O acesso à educação de qualidade foi negado pela segregação, e eles perseveraram até que houvesse um recurso legal. Hoje em dia, contudo, certas práticas educacionais enfraquecem o acesso das crianças afroamericanas à igualdade de oportunidades educacionais, adquirida no caso Brown versus the Board of Education. O monitoramento de habilidades, uma prática há muito tempo presente nas escolas públicas estadunidenses, e a Educação Especial, um produto da legislação federal, estão se mostrando adversárias da igualdade de oportunidades educacionais. Ambas são grandes redes arrastando um enorme número de crianças afroamericanas e diminuindo suas oportunidades de resultados educacionais iguais. As experiências educacionais de estudantes afroamericanos disponíveis através destas práticas levantam as seguintes questões: primeiramente, se a discriminação retornou à educação; e se as crianças afroamericanas estão recebendo uma educação de menor qualidade em comparação com seus colegas brancos. O monitoramento de habilidades e a Educação Especial promovem a rotulagem e proporcionam um aprendizado menos rigoroso; consequentemente, as oportunidades futuras dos estudantes afroamericanos estão ameaçadas em função de seu encarceramento nestas experiências escolares.

Downloads

Publicado

2010-06-03