Educação Infantil e Espaços Culturais: possibilidades de apropriação na cidade do Rio de Janeiro

Autores

  • Cristina Carvalho Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-RJ)
  • Thamiris Lopes Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-RJ)
  • Priscila Resinentti Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-RJ)

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-795X.2017v35n1p300

Palavras-chave:

Infância, Educação infantil, Espaços culturais

Resumo

O artigo investiga espaços culturais da cidade do Rio de Janeiro em suas condições e possibilidades de apropriação pelo segmento de educação infantil da Secretaria Municipal de Educação (SME-RJ). A pesquisa utilizou como metodologia questionário online enviado aos espaços culturais da cidade cadastrados no Guia de Museus Brasileiros. Com os resultados, pode-se destacar a dificuldade de comunicação com as instituições, a desigual distribuição dos equipamentos culturais em âmbito municipal e a pouca atenção dada às condições de atendimento para o público infantil. Constatou-se, também, que melhorias nas condições e possibilidades de atendimento para esse segmento nos espaços culturais é uma tarefa necessária para reconhecer as crianças como cidadãs de direitos, e as instituições culturais como espaços democráticos.

Biografia do Autor

Cristina Carvalho, Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-RJ)

Doutora em Educação pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro  (PUC-RJ). Professora do Departamento de Educação da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro  (PUC-RJ).

Thamiris Lopes, Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-RJ)

Mestra em Museologia e Patrimônio pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro  (UNIRIO).

Priscila Resinentti, Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-RJ)

Mestra em Educação pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro  (PUC-RJ). Professora da Rede Municipal de Educação do Rio de Janeiro.

 

 

Downloads

Publicado

2017-03-31

Edição

Seção

Artigos de Demanda Contínua