Pensamento Algébrico na aprendizagem de equações do 1º grau

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/1981-1322.2021.e77155

Palavras-chave:

Pensamento Algébrico, Aprendizagem, Equações do 1º grau

Resumo

Nesta pesquisa, adotamos uma abordagem qualitativa e a mesma classifica-se em descritiva. O objetivo do estudo foi compreender o nível de desenvolvimento do Pensamento Algébrico de alunos de uma turma da 8a classe, na resolução de situações-problema relativas a Equações do 1º grau. Participaram da pesquisa 28 alunos de uma Escola Secundária da Autarquia de Montepuez, da província de Cabo Delgado, em Moçambique. Os dados foram recolhidos por meio de um questionário, cujas informações foram organizadas e analisadas segundo os procedimentos da Análise de Conteúdo proposta por Bardin (1977). Os resultados revelaram o domínio de atividades algébricas referentes aos níveis de desenvolvimento do Pensamento Algébrico Incipiente e o Pensamento Algébrico Intermediário, em que 24 alunos mobilizaram o nível incipiente e 4 alunos o nível intermediário. Estes resultados mostraram que os alunos estavam em um processo de transição do pensamento aritmético para o algébrico e as habilidades desenvolvidas por eles revelaram que estavam na fase de se familiarizarem com problemas algébricos e suas operações. Concluímos que as habilidades destes alunos, em função do seu nível de instrução, distanciam-se dos objetivos traçados no Programa de Matemática da 8ª classe do Sistema Nacional de Educação de Moçambique.

Biografia do Autor

Constantino Hilário

Pesquisador independente

Elias Manensa Sabe, Universidade Rovuma - Extensão de Cabo Delgado

Docente e Investigador afecto no Departamento de Ciências, Engenharia, Tecnologia e Matemática da Extensão de Cabo Delgado.

Idio Vilar Albano

Universidade Rovuma –Montepuez, MTZ, Moçambique

Marinez Meneghello Passos

Universidade Estadual de Londrina (UEL), Londrina, Brasil

Referências

Almeida, J. R. (2016). Níveis de desenvolvimento algébrico: Um modelo para os problemas de partilha de quantidade. (Tese de Doutorado em Ensino de Ciências e Matemática). Universidade Federal Rural de Pernambuco. Recife.

Barbeiro, E. C. C. (2012). A aprendizagem das Equações do 1º grau a uma incógnita: Uma análise dos erros e das dificuldades de alunos do 7º ano de escolaridade. (Dissertção de Mestrado em Ensino de Matemática no 3º ciclo do Ensino Básico e Secundário). Universidade de Lisboa. Lisboa.

Bardin, L. (1977). Análise de Conteúdo. Lisboa: Edições 70.

Beicher, E. Luís. (2009). Características do Pensamento Algébrico de estudantes do 1º ano do Ensino Médio. (Dissertação de Mestrado em Ensino de Ciências e Matemática). Universidade Luterana do Brasil. Canoas.

Bonadiman, A. (2007). Álgebra no Ensino Fundamental: produzindo significados para as operações básicas com expressões algébricas. (Dissertação de Mestrado em Ensino de Matemática). Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Porto Alegre.

Canavarro, A. P. (2007). O pensamento algébrico na aprendizagem da Matemática nos primeiros anos. Quadrante, v. XVI (2), 81-119.

Gamas. S, C. (2013). Diofanto de Alexandria e os primórdios da Álgebra. Coimbra: Editora IIIUC – Imprensa da Universidade de Coimbra.

Gerhardt, T. E., & Silveira, D. T. (2009). Métodos de Pesquisa. Porto Alegre: Editora da UFRGS.

Groenwald, C. L. O., & Beicher, E. L. (2010a). Caraterísticas do pensamento algébrico de estudantes do Ensino Médio com Equações do 1º grau. Acta Scientiae, Canoas, v. 12 (1), 81-94.

Groenwald, C. L. O., & Beicher, E. L. (2010b). Caraterísticas do pensamento algébrico de estudantes do Ensino Médio com Equações do 1º grau. Educação Matemática Pesquisa, São Paulo, v. 12 (2), 242-270.

Instituto Nacional de Desenvolvimento da Educação (INDE). (2010). Matemática, Programa da 8ª Classe. Maputo: DINAME.

Pagliarini, T. R. (2007). Situação-problema: representações de acadêmicos do curso de Licenciatura em Matemática da UFSM. (Dissertação de Mestrado em Educação). Universidade Federal de Santa Maria. Santa Maria.

Pimenta, C. M. Santos. (2016). A Construção do conhecimento no desenvolvimento do Pensamento Algébrico. (Tese de Doutoramento em Didáctica da Matemática). Universidade da Beira Interior. Covilhao.

Ponte, J. P.; Branco, N., & Matos, A. (2009). Álgebra no Ensino Básico. Ministério de Educação. Disponível em https://www.researchgate.net/publication/267842645.

Possamai, J. P., & Baier, T. (2013). Primeiros passos na álgebra: conceitos elementares e atividades pedagógicas. Revista Dynamis, v. 19 (2), 72-86.

Santos, L. Goncalves dos. (2007). Introdução do Pensamento Algébrico: um olhar sobre professores e Livros Didácticos de Matemática. (Dissertação de Mestrado em Educação Matemática).

Silva, A. Zulmira da. (2012). Pensamento Algébrico e equações no Ensino Fundamental: uma contribuição para o caderno do professor de Matemática do oitavo ano. (Dissertação de Mestrado em Ensino de Matemática). Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. São Paulo.

Soares, R. Mendes. (2018). Pensamento Algébrico: quais elementos são identificados por professores de Matemática em actividades com este foco? (Dissertação de Mestrado em Educação Matemática). São Paulo.

Souza, M., & Silva, D. (2016). Pensamento algébrico: um olhar para as publicações do Encontro Nacional de Educação Matemática. Sociedade Brasileira de Educação Matemática. São Paulo.

Spinillo, A. G.; Lautert, S. L.; Borba, R. E. S. R.; Santos, E. M., & Silva, J. F. G. (2017). Formulação de problemas matemáticos de estrutura multiplicativa por professores do Ensino Fundamental. Bolema, v. 31 (59), 928-946.

Vieira, A. R. L.; Rios, P. P. S., & Vasconcelos, C. A. (2020). A linguagem simbólica e a resolução de problemas matemáticos no 8º ano do Ensino Fundamental. Educação Matemática Pesquisa, São Paulo, v. 22 (1), 43-67.

Downloads

Publicado

2021-03-09

Edição

Seção

Artigos